O nosso idioma - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
 
Início Português na 1.ª pessoa O nosso idioma
Textos de investigação/reflexão sobre língua portuguesa.
História das línguas de Lisboa
Do Terramoto ao século XXI

 «A cidade [de Lisboa] tem camadas – vestígios fenícios reutilizados em ruínas romanas, um castelo medieval reinventado no século XX, avenidas traduzidas do francês, a Baixa de ideias iluministas – como as tem a língua: também o português se ensopou das várias línguas com que foi contactando.»

Artigo do professor universitário e tradutor Marco Neves publicado no blogue Certas Palavras em 15 de maio de 2022, a respeito da história linguística da cidade de Lisboa, do Terramoto de 1755 até à atualidade.

 

Dez palavras portuguesas de origem persa
Empréstimos por via árabe

Um olhar para a língua persa e alguns dos «presentes» que deu à nossa língua – é o que se prpôs o professor universitário e tradutor Marco Neves, elabrando  uma lista de dez palavras portuguesas de origem persa em artigo publicado a 6 de janeiro de 2022 no blogue Certas Palavras, a propósito da celebração do Dia de Reis. Mantém-se a ortografia de 1945, seguida pelo autor. Junta-se também a versão em vídeo que o autor lançou em 11 de maio de 2022.

 

As minhas duas mães
Sobre o sentido de «língua materna»

«Com a minha mãe aprendi não apenas a amar os livros e a língua portuguesa; aprendi que o percurso de uma língua — a vida de cada uma das palavras que a forma — conta a história do mundo.» Crónica de José Eduardo Agualusa saída no jornal O Globo em 7 de maio de 2022, à volta da celebração de duas datas próximas, a do Dia Mundial da Língua Portuguesa, em 5 de maio, e a do Dia das Mães no Brasil, sempre no segundo domingo de maio (em 2022, em 8 de maio).

A Europa aqui tão perto
O novo significado do Dia da Europa

«Para muitas pessoas da minha geração e das anteriores, a Europa foi uma realidade distante, o que se refletia mesmo na língua do quotidiano, através de expressões como "ir à Europa" ou "emigrar para a Europa" [...].» Crónica da linguista Margarita Correia publicada no Diário de Notícias de 9 de maio de 2022, data em que se assinala o Dia da Europa e que serve de mote para uma reflexão da autora sobre como tem evoluído a relação de Portugal com a história europeia recente.

A paixão, o amor, o namoro <br> e tantas outras relações e ralações
O léxico amoroso juvenil

O vocabulário usado pelos jovens para descrever várias fases da relação amorosa ou atitudes desencadeadas por ela evidencia o predomínio das expressões inglesas e o aparecimento de neologismos. Palavras novas para descrever os «mesmos hábitos humanos», como conclui a linguista e professora universitária Sónia Valente Rodrigues

A língua dos mapas ao contrário
O romance Jangada de Pedra e o Dia Mundial da Língua Portuguesa

«E, como a jangada de pedra [do romance de José Saramago], equidistante da América e da África (e também da Ásia), a nossa língua cai cada vez mais em direção a sul e que tudo tem para enriquecer os que a falam e ser um instrumento cada vez mais poderoso de diálogo e comunicação.» 

Crónica da linguista Margarita Correia publicada no Diário de Notícias de 2 de maio de 2022, na qual, a propósito do Dia Mundial da Língua Portuguesa, festejado em 5 de maio, se fala do romance Jangada de Pedra (1986), de José Saramago, como metáfora de um futuro mapa do português.

 

Dia do Trabalhador
A palavra do 1.º de Maio

No dia 1 de maio, Dia do Trabalhador, a professora Carla Marques apresenta uma crónica dedicada à palavra trabalhador. 

A origem portuguesa de <i>fetiche</i>
A relação com feitiço

«Tudo começou — ou pelo menos escolho começar por aqui — na palavra «feitiço», um velho vocábulo português que já tinha vindo do latim com o sentido de qualquer coisa artificial. Uma coisa postiça, ou seja, feitiça

Um apontamento do professor universitário, tradutor e divulgador de temas linguísticos Marco Neves publicado no blogue Certas Palavras, em 24 de abril de 2022, à volta das origens portuguesas do galicismo fetiche e do seu contexto histórico. Transcreve-se comm a devida vénia o texto original, mantendo aornorma otográfica f de 1945 do original

A estrutura passiva em português
Características gerais

«Em geral, as gramáticas consideram que a ordem básica dos constituintes da frase em português é a SVO, ou seja, sujeito-verbo-objeto. Todavia, existem frases a que são aplicados processos sintáticos que originam uma organização de constituintes diferente da típica, como é o caso da estrutura passiva.»

Apontamento de Inês Gama sobre as frases passivas e as construções associadas, como «as casas são vendidas» e «vendem-se casas».

O cair das máscaras
Etimologia, a propósito da covid-19 e do 25 de Abril de 1974

«As palavras máscara em português e em espanhol, masque em francês e mask em inglês terão todas a mesma origem, i.e., a palavra maschera, com o significado de "rosto falso", atestada no século XIV, na obra de Giovanni Boccacio, autor que, tal como Dante Alighieri, era natural de Florença, berço da língua italiana.»

Artigo da linguista Margarita Correia publicado no Diário de Notícias de 25 de abril de 2022, no qual se aborda a etimologia da palavra máscara a propósito do levantamento da obrigação de usar máscara depois das fortes restrições aplicadas no quadro da pandemia de covid-19.