Inês Gama - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Inês Gama
Inês Gama
4K

Licenciada em Português com Menor em Línguas Modernas – Inglês pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra e mestre em Português como Língua Estrangeira e Língua Segunda (PLELS) pela mesma instituição. Fez um estágio em ensino de português como língua estrangeira na Universidade Jaguelónica em Cracóvia (Polónia). Exerce funções de apoio à edição/revisão do Ciberdúvidas e à reorganização do seu acervo.

 
Textos publicados pela autora

Pergunta:

Como se deve dizer?

«O envolvimento das pessoas na política torna-as cidadãs»?

Ou «O envolvimento das pessoas na política torna-as cidadãos»?

Muito obrigado!

Resposta:

A frase mais aceite é «O envolvimento das pessoas na política torna-as cidadãs».

A primeira frase apresentada pelo consulente é a única que pode ser aceite caso cidadão seja categorizado como adjetivo, uma vez que este elemento desempenha a função sintática de predicativo do complemento direto (PCD) e concorda em género e número com o constituinte que predica.

Na frase apresentada, o pronome clítico acusativo as desempenha a função sintática de complemento direto (CD) que, neste caso, é completado por um PCD. O CD juntamente com o seu predicativo forma uma predicação complexa, o que exige que o PCD concorde em género e número com o CD, como se verifica em (1).

(1)    A Joana encontrou o quarto desarrumado.

Na frase (1), o nome quarto desempenha a função sintática de CD e o adjetivo desarrumado a de PCD, concordando este último em género e número com o CD, sendo que, por esta razão, o PCD encontra-se no masculino singular tal como o nome quarto. No entanto, se ao invés do nome quarto, o CD fosse preenchido pelo nome feminino plural salas, o adjetivo desarrumado assumiria a sua forma feminina plural de modo a concordar em género e número com o CD, como se pode observar em (2).

(2)    A Joana encontrou as salas desarrumadas.

Portanto, se na frase «O envolvimento das pessoas na política torna-as cidadãs» o CD é preenchido por um elemento feminino plural e o PCD é preenchido por um adjetivo, então, este último constituinte terá de estar também no feminino plural, ou seja, terá de ser a forma feminina plural cidadãs.

Todavia, caso cidadão seja categorizado como nome, é preciso ter em atenção que em estruturas predicativas cujo predicador é um nome não existe concordância, uma vez que neste tipo de estruturas a concord...

A diversidade linguística nas instituições de ensino
Os novos desafios do ensino do português

«Com o início de mais um ano letivo em Portugal, muitos professores encontram na sua sala de aulas grupos de alunos heterogéneos e com caraterísticas linguísticas muito diversificadas, resultado da multiculturalidade crescente em muitas escolas públicas portuguesas. Este desafio recente exige que, para além de se priorizar a integração social, se favoreça a aprendizagem da língua portuguesa.» São reflexões de Inês Gama, num apontamento sobre os novos desafios do ensino do português nas escolas portuguesas, onde hoje a diversidade é uma realidade.

«Deixa de andar na Lua e desce à Terra»
Será esta expressão um provérbio?

A frase «Deixa de andar na Lua e desce à Terra» foi o tema abordado pela consultora do Ciberdúvidas Inês Gama, no programa Páginas de Português, da Antena 2.

O português como língua de herança
O caso das comunidades portuguesas residentes em França

 «Não é novidade que a marca social da estrutura linguística e da pronúncia do português dos emigrantes em França tem sido, por via de imagens estereotipadas, fator discriminatório quer face à sociedade francesa, quer face à sociedade portuguesa. Uma das imagens mais comuns do típico emigrante português em França é a de um discurso marcado pela confluência de expressões francesas e portuguesas. Mas, será este tipo de discurso propositado ou haverá razões profundas e científicas que o expliquem?» À volta desta pergunta, a consultora do Ciberdúvidas Inês Gama apresenta uma reflexão sobre o conceito de língua de herança, tomando como exemplo o caso das comunidades portuguesas em França.

O sujeito da prosa poética
Como se designa a voz que fala na prosa poética?

«A expressão sujeito poético é usada para se referir o sujeito da primeira pessoa do texto lírico, ou seja, menciona aquele que revela a sua interioridade através de um texto poético, transparecendo os seus sentimentos e emoções» – observa a consultora Inês Gama neste apontamento, incluído no programa Páginas de Português, na Antena 2, no dia 25 de junho de 2023.