Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Abertura Ver mais

1. Qual fénix renascida, algumas palavras também se reerguem das próprias cinzas. Há palavras repletas de vitalidade e pujança e outras adormecidas e votadas ao esquecimento. Há palavras que estão "na moda" e outras que ninguém usa ou mesmo (re)conhece. A palavra mandonismo encontrava-se neste limbo até Jerónimo de Sousa, líder do Partido Comunista Português, a trazer de novo para a ribalta na entrevista que concedeu ao jornal Público e à Rádio RenascençaMandonismo significa «tendência para, hábito ou desejo de mandar em qualquer circunstância, especialmente com abuso e prepotência» (Dicionário Houaiss) e, segundo o dicionário, é uma palavra usada sobretudo no Brasil. Mandonismo formou-se a partir da associação do sufixo -ismo ao radical mandon, de onde derivou mand(ão). Um termo que se arrisca a não ficar esquecido nos tempos que correm. 

     A resposta a uma questão sobre algumas palavras em desuso (arcaicas) pode ser encontrada no Consultório do Ciberdúvidas. Recordamos ainda um artigo sobre palavras na "moda" nos textos da comunicação social. 

2. Miguel Esteves Cardoso, jornalista e escritor, explora, na sua crónica do jornal Público, o uso quotidiano da expressão "alguma coisa foi", enquanto manifestação explicativa de ocorrências para as quais não se encontra explicação provável (disponível na rubrica O Nosso Idioma).

3. Na atualização do Consultório, encontramos dúvidas relacionadas com a pronúncia de palavras como cerca, cinco ou sete: o som inicial destas palavras pronuncia-se sempre [s] (como em pássaro) ou também pode corresponder a [ʃ] (como em chamar)? E como se pronuncia corifeu e cacheiro? E interregno? Já no plano sintático, a atenção recai sobre a palavra quanta. Será um pronome relativo? E a expressão tão único é aceitável? Para concluir, uma questão ortográfica relacionada com a escrita dos símbolos de referências monetárias

4. No âmbito da atualidade internacional, tem lugar a 26.ª Cimeira Ibero-Americana, na sexta-feira, dia 26 de novembro,  na cidade de Antígua na Guatemala. Contando com a participação, por parte de Portugal, do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousae do ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, e  pelo Brasil, do Presidente ainda em funções, Michel Temer, tem como lema «Uma Ibero-América próspera, inclusiva e sustentável».

     A propósito da Cimeira Ibero-Americana, relembramos alguns textos publicados no Ciberdúvidas: a pronúncia correta de ibero e a grafia de Ibero-América. E ainda um artigo de reflexão sobre o espaço da lusofonia no mundo, na rubrica Lusofonias.

5. Oxford Dictionaries anunciou que toxic é a palavra internacional do ano 2018. Entre as razões que justificam a escolha está o facto de o número de pesquisas da palavra nas páginas do dicionário ter aumentado significativamente e também a diversificação de contextos em que a palavra é utilizada, nomeadamente como adjetivo que qualifica determinadas realidades, como "chemical", "masculinity", "environment", "relationship", "culture","waste", "algae" e, por fim, "air" (para mais detalhes, leia-se a notícia do jornal Público aqui).  

6. Destaque para o Congresso Internacional Luso-Brasileiro (IV edição), promovido pelo Centro Cultural Eça de Queiroz/Telheiras. O congresso, a decorrer entre os dias 19 e 24 de novembro,  terá como tema «Lusofonia: realidade(s), mito(s) e utopia(s)».

7.  Recordamos que o programa Língua de Todos, que vai para o ar na RDP África, na sexta-feira, dia 16 de novembro, pelas 13h15* (com repetição no sábado, 17/11), passará uma entrevista com a consultora linguística Sara de Almeida Leite a propósito do livro que acaba de publicar –  Para acabar de vez com o mau portuguêsNo programa Páginas de Português, emitido pela  Antena 2, no domingo, 18 de novembro, às 12h30* (com repetição no sábado seguinte, 24/11, às 15h30), Maria Antónia Barreto, e Clara Carvalho, investigadoras do Centro de Estudos Internacionais do Instituto Universitário de Lisboa, falam sobre a língua portuguesa na Guiné-BissauSão Tomé e Príncipe e Cabo Verde.

Os programas Língua de Todos, e Páginas de Português  ficam  disponíveis posteriormente aqui e aqui. Hora oficial de Portugal continental.