Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Abertura Ver mais

1. Fazendo coincidir a sua tradicional interrupção com a pausa escolar do 1.º período em Portugal, o Ciberdúvidas regressará com as suas atualizações regulares no dia 7 de janeiro de 2019*. Aproveitamos a época para deixar a todos aqueles que se interessam pela língua portuguesa e que acompanham as nossas atividades os votos de boas festas e de um feliz ano novo.

* Com esta pausa na atividade regular do Ciberdúvidas, fica igualmente interrompido o consultório linguístico, mas sempre que a atualidade noticiosa ou a relevância informativa o justificar, não deixaremos de o assinalar nos DestaquesE, como sempre, também, manter-se-á permanentemente disponível o acesso ao vasto e diversificado arquivo do Ciberdúvidas – de perto de 50 mil respostas e textos de toda a natureza sobre a língua portuguesa. Para qualquer outro assunto extralinguístico, deixamos os contactos aqui.

A época natalícia é lexicalmente muito rica em expressões que, em diversos casos, trazem dúvidas aos falantes. Nesta ocasião – além dos  cinco exemplos de erros de português muito comuns nesta época do ano assinalados pela professora Sandra Duarte Tavares, em artigo transcrito da edição digital da revista Visão do dia 12 de dezembro de 2018 –, recordamos algumas questões para as quais deixámos resposta no consultório: «Qual o plural de pai natal?», «E de Natal?», «E o plural de bolo-rei e de filhó?», «Natal é nome próprio?», «Diz-se «boa festa» ou «boas festas»?», «Ano novo escreve-se com maiúscula?» e «As expressões boas festas e ano novo levam hífen

Imagem: Natal no FunchalIlha da Madeira (in Sapo Viagens

2. No Consultório ficam em linha novas resposta relacionadas com a área da sintaxe («Qual a posição do pronome átono numa frase introduzida pela locução «mais uma vez»?» e «Qual a diferença entre «a que» e à qual»?), com a coesão textual («A seleção de um pronome na frase pode implicar referentes distintos?»), com a morfologia («Qual a origem das palavras garagem manada?») e com a fonética («Como se pronuncia o ditongo ei em Portugal?»).

 3. O final de um ano é sempre uma época de balanço. Neste contexto, o Ciberdúvidas dá a conhecer aos seus consulentes alguns dados relacionados com a sua atividade ao longo do ano de 2018:

–  Deu-se resposta a 1661 questões, das quais 401 foram tornadas públicas no consultório, por abordarem assuntos ainda não tratados, tendo as restantes 1260 sido respondidas diretamente aos consulentes;

– As questões foram colocadas por consulentes oriundos de Portugal, Brasil, Espanha, Alemanha, Angola, Namíbia, México, China (incluindo Macau), Reino Unido, USA, Polónia, Holanda e Suécia, entre outros países;

– Foram divulgados 131 artigos, entre textos produzidos exclusivamente para publicação na plataforma e outros reproduzidos da imprensa de língua portuguesa;

– Foram apresentados 18 livros, na Montra de Livros;

– 44 foi o número de notícias divulgadas;

–  A plataforma teve cerca de 1,4 milhões de visitas mensais, contando com uma média de 55 000 acessos diários, com origem sobretudo no Brasil e em Portugal, mas também em Moçambique, Angola e Estados Unidos.

4. A propósito do léxico típico da época natalícia, recordamos um texto de 1944, que integra a obra Língua e Má Língua, da autoria de Agostinho Campos  (1870 –1944), que foi professor universitário, jornalista e escritor, no qual o autor esclarece que Natal é uma palavra exclusivamente portuguesa, recordando a história da sua evolução e também da evolução de palavras que designam a mesma época, pertencentes a outras línguas. A autor esclarece igualmente a origem de palavras como réveillon ou pai natal (texto disponível na rubrica O Nosso Idioma).

 

5. Decorre até ao final de dezembro de 2018 a votação para a seleção palavra do ano 2018, numa iniciativa da Porto Editora, já com dez anos. Estes ano, as palavras selecionadas são assédio, enfermeiro, especulação, extremismo, paiol, populismo, privacidade, professor, sexismo e toupeira

 

6. Recordamos que o programa Língua de Todos (na RDP África, sexta-feira, dia 14 de dezembro, pelas 13h15*; com repetição no sábado, 15/12) passa uma conversa com a professora Renata Junqueira de Souza a propósito da apresentação do texto literário aos bebés. O Páginas de Português  (na Antena 2, no domingo, 16 de dezembro, às 12h30*; com repetição no sábado seguinte, 22 de dezembro, às 15h30) entrevista Joaquim Coelho Ramos, o novo diretor do Instituto Português do Oriente

     * Os programas Língua de Todos, e Páginas de Português  ficam  disponíveis posteriormente aqui e aqui. Hora oficial de Portugal continental.

7. A terminar, brindamos os nossos consulentes com um poema alusivo à época natalícia, da poetisa portuguesa Natália Correia (1923-1993):

 

       Falavam-me de Amor

Quando um ramo de doze badaladas
se espalhava nos móveis e tu vinhas
solstício de mel pelas escadas
de um sentimento com nozes e com pinhas,

menino eras de lenha e crepitavas 
porque do fogo o nome antigo tinhas 
e em sua eternidade colocavas 
o que a infância pedia às andorinhas. 

Depois nas folhas secas te envolvias 
de trezentos e muitos lerdos dias 
e eras um sol na sombra flagelado. 

O fel que por nós bebes te liberta 
e no manso natal que te conserta 
só tu ficaste a ti acostumado.

in O Dilúvio e a Pomba                                                                                                                                                                                                                                                                                                    Visitação. Maria Aurélia Martins de Sousa (Séc. XIX-XX)