Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Abertura Ver mais

1. Predomina a sintaxe nas respostas – 10 ao todo – colocadas em linha na presente atualização do Ciberdúvidas*. Por exemplo: à volta de uma frase no Amor de Perdição, de Camilo Castelo Branco, de um caso de modificador apositivo com vírgula obrigatória, e um terceiro sobre classificação de orações subordinadas. Já na área da semântica responde-se a esta dúvida, chegada de Barcelona: «Recentemente, li "os carros calcorreavam". Ora, se calcorrear significa “andar a pé”, “percorrer (caminho geralmente longo) a pé”, “caminhar muito”, não se poderia aplicar o termo a veículos motorizados?» E, finalmente, um caso menos bem esclarecido sobre o uso do hífen em ligações enclíticas mesoclíticas («telefonaram-lhe», «fá-lo-ei», etc.).

* Pelas razões já anteriormente expostas, o Ciberdúvidas passou a assegurar as suas atualizações temáticas apenas uma vez por semana – agora à terça-feira. Entretanto, sempre que a atualidade ou a relevância informativa o justificar, não deixaremos de o assinalar nos Destaques que vão sendo renovados neste período. 

2. Na rubrica O Nosso Idioma, deixamos transcrito um apontamento do jornalista Luís M. Faria, publicado na Revista do semanário “Expresso” do dia 10 p.p. sobre algumas metáforas do discurso político em Portugal.