Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Abertura Ver mais

1. A tendência para a harmonia é uma das características dos usos da língua. Os falantes procuram a regularidade, o que gera as dúvidas. Um dos objetivos do Consultório passa pelo auxílio no esclarecimento das questões que a língua oferece aos seus utilizadores. Na presente atualização, mostra-se como as incertezas linguísticas podem passar pela grafia correta de uma palavra (dí(c)tico, dêí(c)tico ou deí(c)tico? ou ainda pitaia ou pitaya?), pelos sentidos veiculados pelas palavras («uma colisão pode ser repetida?» e «o vento faz-se sentir ou sente-se?»), pela disposição ("à inglesa") do texto na página («Quais as normas de indentação (recuo de parágrafo)?») ou pela tentativa de compreensão do uso dos pronomes no cotejo entre uma expressão espanhola («me lavé las manos») e uma portuguesa («lavei as mãos»). 

2. Os problemas ortográficos são uma das causas de desequilíbrio na harmonia da língua. Ciente desta realidade, Sandra Tavares Duarte, professora e linguista, reúne, em artigo publicado originalmente na edição digital da revista Visão, um conjunto de erros que importa procurar corrigir. Marco Neves, tradutor e professor, buscando palavras que unem e a propósito de um agradecimento aos seus leitores, desvenda a história da palavra obrigado (texto que se trancreveu do seu blogue Certas Palavras). Em sentido contrário, Miguel Esteves Cardoso, colunista do jornal Público, reflete sobre as palavras gastas, usadas automaticamente, sem a novidade da primeira vez, na sua crónica diária.  

3. Quanto à atualidade relacionada com a língua portuguesa:

– Registe-se a visita a Portugal do Presidente angolano, João Lourenço, de 22 a 24 de novembro (notícias aqui e aqui). Trata-se da primeira visita oficial a Portugal, numa missão que procura estreitar as relações entre Portugal e Angola.

A reaproximação entre Portugal e Angola abre espaço também para revisitar algumas publicações do Ciberdúvidas relacionadas com o português falado em Angola. Destacamos a evolução desta variante do português, questões lexicais diversas relacionadas com os termos esquebra, chota, palanca (negra) e outros, ainda o neologismo calorear, o verbo manter ou empréstimos do umbundo ao português. Recordamos também o Dicionário de Regionalismos Angolanos, o programa de rádio produzido pela Radio Nacional de Angola com a colaboração do Ciberdúvidas sobre os Mambos da Língua, um vídeo que apresenta e explica vocábulos característicos do português de Angola e ainda as crónicas de Edno Pimentel, professor de português em Angola e colaborador do jornal Nova Gazeta

– Ainda uma nota para a mais recente polémica linguística: após Pedro Filipe Soares, líder da bancada do Bloco de Esquerda, ter usado o termo "camarados" na XI Convenção do Bloco de Esquerda, num descuido propiciado pela linguagem inclusiva e que o próprio corrigiu, Nuno Melo, deputado do CDS, veio acusá-lo de estar disposto a «assassinar a língua portuguesa, para sublinhar proclamações de género ridículas», num artigo publicado do Jornal de Notícias. Em resposta à polémica que se gerou em torno do erro, que foi prontamente corrigido, Pedro Filipe Soares, num artigo do Público, veio recordar que a língua é ideológica e tem história, defendo ainda que há uma campanha contra a linguagem inclusiva. 

As polémicas relacionadas com as questões de género na língua têm estado presentes em diversos artigos publicados no Ciberdúvidas, entre os quais destacamos "Qual a regra gramatical que permite a forma presidenta?", "Os cidadãos e a gramática", "Calem-se, por favor, mas de vez", "A propósito do feminino de procurador-geral da República", "Sobre o género gramatical das palavras" e "Pai e Mãe Nossa que estais no céu".

4. O programa Língua de Todos, que vai para o ar na RDP África, na sexta-feira, dia 23 de novembro, pelas 13h15* (com repetição no sábado, 24/11), apresenta uma entrevista com a professora Ana Paula Gonçalves, sobre o projeto desenvolvido pela Ciberescola de ensino de Português Língua Não Materna aos alunos do 1.º Ciclo, em parceria com a Direção Geral de Educação. Num apontamento, a nossa colaboradora, Ana Sousa Martins, refere-se ainda à importância do latim para a aprendizagem do português. No programa Páginas de Português, emitido pela  Antena 2, no domingo, 25 de novembro, às 12h30* (com repetição no sábado seguinte, 1 de dezembro, às 15h30),  a situação da língua portuguesa na Guiné-Bissau, São Tomé e Príncipe e em Cabo Verde constitui o tema central de uma entrevista às investigadores Maria Antónia Barreto e Clara Carvalho. Estas especialistas registam as variações e percecionam tendências e evoluções. 

Os programas Língua de Todos, e Páginas de Português  ficam  disponíveis posteriormente aqui e aqui. Hora oficial de Portugal continental.