Imagem da abertura

1. Continuando a assinalar os 25 anos de atividade do Ciberdúvidas da Língua Portuguesa, justifica-se lembrar a colaboração com outros canais de divulgação, esclarecimento e debate de temas da língua portuguesa. É o caso do Cuidado com a Língua, concebido para a televisão pública portuguesa pelo jornalista José Mário Costa, cofundador do Ciberdúvidas e um dos seus coordenadores editoriais, além de criador de Mambos da Língua (2014-2015), para a Rádio Nacional de Angola. Não menos importantes, e regularmente aqui referidos, são os programas de rádio Língua de Todos, na RDP África, e Páginas de Português, na Antena 2, pelos quais é atualmente responsável  o professor José Manuel Matias, também coordenador editorial do Ciberdúvidas. Acerca do aniversário deste espaço sobre a nossa língua comum, sugere-se ouvir a emissão que lhe dedicou o Páginas de Português em 16 de janeiro de 2022 – aqui.

2. É igualmente de salientar o interesse que, desde cedo, o Ciberdúvidas suscitou junto da comunidade científica, tornando-se objeto de investigação de projetos académicos, como o PorLinha (2003). É o que recorda a linguista Margarita Correia em crónica publicada no Diário de Notícias de 17 de janeiro de 2022 – e que se inclui, com a devida atribuição de fonte, em O Nosso idioma. Na mesma rubrica, a professora Carla Marques completa o balanço de duas décadas e meia de trabalho árduo no Ciberdúvidas, descrevendo as suas rubricas e a evolução da equipa de especialistas que as dinamiza, num texto intitulado "Ainda os 25 anos do Ciberdúvidas – um quarto de século a cuidar da língua portuguesa".

3. Na rubrica A Covid-19 na Língua, seis novas entradas: cérebro, certificados falsificados, máscaras comunitárias, máscara NP2,  modelação e reação adversa.

4. O que será mais correto: «museu da eletricidade» ou «de eletricidade»? São duas opções corretas, conforme se explica no Consultório, que inclui outras quatro perguntas: qual será o gentílico correspondente a Médio Oriente? Ainda se usa o termo gramatical «complemento determinativo»? Na análise sintática convencional, a função do advérbio não tem algum nome especial? A forma incorreta «tu sois», que se regista ou registou no Nordeste do Brasil, atesta alguma tendência de uso mais antiga?

5. O que é a norma-padrão? E a variação linguística? Que lugar cabe a estas duas realidades no ensino? São perguntas que motivam a reflexão de Inês Gama  na rubrica Ensino.

6. A proeminência do uso de certas línguas na Internet é também índice de desenvolvimento social – sustenta a linguista Edleise Mendes, a respeito de estratégias para promoção da presença do português no espaço digital, em crónica lida no programa Páginas de Português (Antena 2, 16 de janeiro de 2022) e agora também disponível em Lusofonias.

7. Por último, voltando a O Nosso Idioma, dá-se conta do apontamento que o professor universitário e tradutor Marco Neves dedicou, em 16 de janeiro de 2022, à origem da palavra gravata (texto transcrito, com a devida vénia, do blogue Certas Palavras). 

Ver mais