Imagem da abertura

1. No contexto da escalada da covid-19, depois de prolongada polémica pró e contra, o governo de Portugal decidiu fechar todas as escolas e suspender as atividades letivas durante quinze dias – das presenciais às do ensino à distância. É uma pausa de emergência a reavaliar dentro de duas semanas, que obriga a rever o calendário escolar de 20210/2021. Entretanto, a pandemia não para de pressionar os hospitais, num quadro «demolidor»,  de catástrofe, agravado pela veloz propagação do chamado «vírus inglês», a que se juntam o binómio «cansaço vs. banalização» e a perspetiva de os custos sanitários e outros atingirem os «15 mil milhões». São estas as expressões desalentadoras que fazem parte das novas entradas de  "O léxico da covid-19", onde felizmente o vocabulário também dá sinais de resiliência: «inverter a tendência» e voluntariado.

2. Por causa da pandemia ou, em Portugal, devido às eleições presidenciais de 24 de janeiro de 2021, o verbo preocupar é recorrente no que ultimamente se diz e escreve. No Consultório, uma resposta analisa a propósito o uso de «preocupar-se com» – por exemplo, em «preocupar-se com as eleições». E, querendo contextualizar a informação, descreve-se o conector «nesse cenário» e interpretam-se os paradoxos da poesia barroca. Completam este conjunto, esclarecimentos sobre o adjetivo tributário, o significado do nome pregão e a (não) relação  etimológica entre noite e oito, bem como um comentário à volta dos  topónimos portugueses Arruda dos Vinhos  e Calhandriz.

3. A respeito das confusões no uso dos pronomes pessoais átonos o e lhe, no Pelourinho disponibiliza-se um apontamento crítico do linguista brasileiro Aldo Bizzocchi (blogue Diário de um Linguista, em 18 de janeiro de 2019).

4. No Luxemburgo, radicou-se uma larga comunidade de portugueses que procura conservar a sua língua materna apesar de vários constrangimentos. Na rubrica Ensino, transcreve-se um interessante artigo do tradutor e jornalista António Raul Reis, que dá conta da situação do português naquele pequeno mas abastado país europeu (edição da Visão de 19 de janeiro de 2021).

5. Quando se fala de modelos de prosa literária, é obrigatório mencionar Eça de Queirós (1845-1900). Em O Nosso Idioma, divulgam-se as palavras de Guilherme d'Oliveira Martins publicadas no Diário de Notícias em 19 de janeiro de 2021, a propósito das honras de Panteão Nacional concedidas ao escritor português.

6. O mundo seguiu com atenção a tomada de posse de Joe Biden como novo presidente dos Estados Unidos da América, em Washington, em 20 de janeiro de 2020. É grande a expetativa em redor do novo ocupante da Casa Branca, sobretudo quando, do seu antecessor, Donald Trump, perdurará a memória incómoda e opressiva de um estilo ou linha política que os dicionários definem sob os termos trumpismo e trumpista. Também, nos anos recentes, foram frequentes as referências mediáticas a posições pró-Trump e anti-Trump (com hífen, sempre que os prefixos se associam a nomes próprios). Com a chegada de Biden, o ambiente parece, para já, bastante contrastante, com apelos à unidade dos Americanos na sua diversidade, como ilustra a participação da poetisa Amanda Gorman na referida cerimónia, com o poema "The hill we climb" ("O monte que subimos"), falando de rumos de entendimento e aceitação social. Aqui fica o registo desta intervenção (fonte: Público, 21/01/2021), em inglês, com legendas em português – para todos:

 

7. Da atualidade cujo tópico central é o português, assinalem-se as declarações do embaixador de Portugal em Brasília, Luís Faro Ramos, que diz estar prevista para março de 2021 a reabertura do Museu da Língua Portuguesa, na Estação da Luz, em São Paulo. Este espaço, fechado, recorde-se, desde dezembro de 2015 após um grande incêndio, foi totalmente reconstruído com esforços combinados dos Governos de Portugal e do Brasil, e o patrocínio de instituições privadas como a EDP e a Fundação Roberto Marinho.

8. Registo de duas efemérides:

– Em 1961, na madrugada de 22 de janeiro,  o assalto ao paquete Santa Maria. O acontecimento ficou também conhecido como «rapto (ou sequestro) do Santa Maria», como forma de denominar o que foi a mudança de rumo forçada (desvio) pelo comando de portugueses e espanhóis (galegos)  que tomaram conta do barco.

– Há um ano, em 23 de janeiro de 2020, o novo coronavírus voltava a ter destaque nas notícias, depois de as autoridades chinesas proibirem as entradas e saídas de Huanggang, a cerca de 70 quilómetros de Wuhan. Observe-se que as duas cidades têm em conjunto mais de 18 milhões de habitantes.

9. Nos programas produzidos pela Associação Ciberdúvidas da Língua Portuguesa para a rádio pública portuguesa, têm destaque:

 – O linguista brasileiro Sweder Souza fala do novo doutoramento da Universidade Federal do Paraná, em Curitiba, orientado para os professores de Português dos países africanos de língua portuguesa, em entrevista ao Língua de Todos, emitido pela RDP África, na sexta-feira, 22 de janeiro de 2020, pelas 13h20* (repetido no dia seguinte, depois do noticiário das 09h00*);

Jorge Baptista, professor da Universidade do Algarve, refere-se ao Dicionário Gramatical de Verbos do Português, um recente recurso em linha, no  Páginas de Português, transmitido na  Antena 2, no domingo, 24 de janeiro de 2020, pelas 12h30* (com repetição no sábado seguinte, 30 de janeiro, às 15h30*). No programa, inclui-se ainda uma crónica da linguista Edleise Mendes a respeito das palavras de origem africana e ameríndia no português do Brasil e do que terá restado da “língua geral” antes da proibição decretada pelo Marquês de Pombal.

*Hora oficial de Portugal continental, ficando ambos os programas disponíveis posteriormente aqui e aqui, respetivamente.

Ver mais