Início Respostas Consultório Área linguística: Gramática
Rafael Streithorst Pesquisador Cachoeirinha, Brasil 589

Quando sabemos que a palavra até está exercendo a função de advérbio de inclusão ou está funcionando como uma preposição?

Diogo Morais Barbosa Revisor Lisboa, Portugal 286

Ouve-se e lê-se cada vez mais a expressão «de volta de». Pergunto, por isso: é aceitável uma frase como «Aquela pessoa está na sua rotina, de volta dos assuntos habituais»? Não se deveria dizer/escrever «à volta de» ou «em volta de»?

Diogo Waydown Estudante Porto, Portugal 1K

«Peço imensa desculpa» ou «peço imensas desculpas»?

Maria Gabriela Ferreira Professora Maia, Portugal 411

Poderiam esclarecer-me, se fazem o favor, se a palavra guarda-chuva ( processo de formação – composição morfossintática), poderá ser considerada da mesma família de chuva.

Muito obrigada pela atenção.

Ana Estudante Braga, Portugal 268

A minha questão é a seguinte: o vocábulo "piscetariano" existe? E "piscetarianismo"?

Obrigada.

Arsénio Sacramento Tradutor Cascais, Portugal 249

Em que contextos se usa cada uma das expressões que se segue: «de harmonia com» e «em harmonia com»?

Lina Gomes Setúbal, Portugal 311

Como se designa um conjunto de deputados?

vanda arquitecta/ estudante de doutoramento matosinhos, portugal 215

Pretendia saber como se designa um período de sete anos? Encontrei a palavra "seténio" nuns textos traduzidos nos anos sessenta de italiano para português, mas não existe no Priberam...

Obrigada.

Paula Cristina Bonet Coutinho Porto, Portugal 305

É correto escrever «trata-se de sinais que indicam.....», ou tem sempre de se usar o plural «tratam-se de sinais.....»? Acrescento que, no contexto da frase, os referidos sinais eram mais de um. Mas será erro dizer «trata-se», uma vez que este termo é uma espécie de «este assunto diz respeito a....», ou «trata de...»?

Obrigada, se puderem ajudar!

Sandra Santos Professora Porto, Portugal 939

No exemplo, devemos escrever «no qual desenvolve», «onde desenvolve», «em que desenvolve»?

Ex.: Friedrich Froebel (1782-1852) funda os “jardins de infância” (1840), aplicando um novo método educacional, essencialmente antiformalista, onde desenvolve recursos didáticos também aplicáveis a crianças deficientes mentais, que ainda hoje se mantêm atuais.