Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Padre António Vieira
Padre António Vieira
1K

Padre António Vieira (Lisboa, 1608 – Salvador, 1697) Foi um religioso, filósofo escritor e orador português da Companhia de Jesus. Como político e orador defendeu os direitos dos povos indígenas e evangelizou-os e defendeu também o direito dos judeus. A sua obra literária passa pela redação de muitos sermões com grande importância no barroco português e brasileiro. Assim, temos: Sermão de Nossa Senhora do Ó (1640), Sermão de São José (1642), Sermão de Santo António aos Peixes.

 
Textos publicados pelo autor

É possível que somos portugueses, e havemos de ouvir um pregador português, e não havemos de entender o que ele diz?

Será porventura o estilo que hoje se usa nos púlpitos? Um estilo tão empeçado, um estilo tão dificultoso, um estilo tão afectado, um estilo tão encontrado a toda a arte e a toda a literatura? Boa razão é também esta. O estilo há-de ser muito fácil e muito natural. Por isso Cristo comparou o pregar ao semear: Ex, qui seminat, seminare. Compara Cristo o pregar ao sem...

«[…]

Encomendou E-Rei D. João o terceiro a S. Francisco Xavier o informasse do estado da Índia por via de seu companheiro, que era mestre do príncipe; e o que o Santo escreveu de lá, sem nomear ofícios, nem pessoas, foi que o verbo rapio na Índia se conjugava por todos os modos. A frase pareceu jocosa em negócio tão sério; mas falou o servo de Deus como fala Deus, que em uma palavra diz tudo.

Cuidavam e diziam os sábios antigos que, em diferentes ilhas do mundo, reinavam diferentes deidades; que em Creta reinava Júpiter, que em Delos reinava Apolo, que em Samo reinava Juno, que em Chipre reinava Vénus, e assim de outras. Se o império da mentira não fora tão universal no mundo, pudera-se suspeitar que nesta nossa ilha tinha a sua corte a mentira. Todas as terras, assim como têm particulares estrelas, que naturalmente predominam sobre elas, assim padecem também diferentes vícios, a ...