Evanildo Bechara - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Evanildo Bechara
Evanildo Bechara
2K
Professor, gramático e linguista brasileiro. Sócio correspondente da Academia das Ciências de Lisboa e da Academia Internacional da Cultura Portuguesa. Doutor Honoris Causa da Universidade de Coimbra (2000). É autor de conhecidas obras no domínio da descrição e da normativização da língua, de entre as quais se salientam: Moderna Gramática Portuguesa (37.ª edição, Rio de Janeiro : Editora Lucerna, 1999), Gramática Escolar da Língua Portuguesa (1.ª edição, Rio de Janeiro : Editora Lucerna, 2001), Lições de Português pela Análise Sintática (18.ª edição, Rio de Janeiro : Editora Lucerna, 2004) e Novo Dicionário de Dúvidas da Língua Portuguesa (Nova Fronteira, 2016). Ver mais aqui.
 
Textos publicados pelo autor
Imagem de destaque do artigo

«Sem sentido» é como o gramático e académico brasileiro Evanildo Bechara qualifica a iniciativa unilateral da Academia das Ciências de Lisboa de uma revisão do Acordo Ortográfico, «um tratado internacional assinado pelos oito países de língua oficial portuguesa. Entrevistado pelo jornalista Miguel Roque Dias para o programa Língua de Todos do dia 24/02 p.p., aponta a dedo o presidente da ACL, Artur Anselmo, que considera «fora de rumo» nessa campanha.

Imagem de destaque do artigo
Por Evanildo Bechara

Da autoria do gramático, linguista e filólogo brasileiro Evanido Bechara este Novo Dicionário de Dúvidas da Língua Portuguesa é um guia de consulta rápida e fácil para esclarecer as dificuldades mais recorrentes do nosso idioma comum. Com a colaboração da lexicógrafa Shahira Mahmud, nele foram incluídas as dúvidas que mais ocorrem aos candidatos a concursos públicos no Brasil, além daquelas que estudantes e profissionais de diferentes áreas têm levado ao autor ao longo de toda sua vida académica.

Com cerca de 1500 verbetes e organizada por ordem alfabética, a obra abrange as áreas da pronúncia, regras de acentuação, questões de ortografia, sobre o novo Acordo Ortográfico, o uso apóstrofo, do hífen e das preposições, a crase, a flexão e a conjugação verbal, a formação do plural, a conjugação, os numerais, entre outras.

Organizado por ordem alfabética – como explica o próprio Evanido Bechara –, o livro  trata de factos da língua portuguesa que se acham definidos nas gramáticas. «A diferença é que as dúvidas no modo de falar ou escrever podem ser dirimidas em ordem alfabética. Um dicionário gramatical deste tipo dispõe ao leitor como resolver suas dificuldades. Por exemplo: se houver dúvida sobre a expressão correta, como quando eu vir ou quando eu ver, basta acessar os verbetes dos verbos vir e ver. Quando eu vir, refere-se ao verbo ver. Já a expressão quando eu ver não existe.».

Além da explicação sobre a forma correta do seu manuseamento, ou as diversas possibilidades de emprego de cada verbete, o dicionário vem com exemplos e abonações de autores clá...

Imagem de destaque do artigo

Há mais de cem anos já havia quem, no Brasil, sugerisse o que pretendem agora os que defendem a abolição do “h” em hoje (“oje”) e que quero passasse a escrever-se “qero”. E já havia quem, em 1907, se insurgisse contra tais propósitos anarquizantes da escrita como se recorda neste artigo do mais reputado gramático brasileiro vivo.

 

 

Evanildo Bechara, gramático e membro da Academia Brasileira de Letras, esclarece dúvidas e faz várias considerações sobre a relação da língua popular com a norma culta numa entrevista feita em 2002 pelo ator e humorista Jô Soares na Rede Globo (Programa do Jô).

Pontos mais salientes: (...)

Entrevista a Evanildo Bechara, gramático e membro da Academia Brasileira de Letras, na Rio TV Câmara em 2013.

Pontos mais salientes: