Consultório - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
 
Início Respostas Consultório Tema: Pragmática
João Marques Estudante Coimbra, Portugal 171

Gostaria de saber qual das seguintes frases é que está correta e, se possível, o porquê de uma estar correta e da outra não o estar.

«Se vir algo que lhe pareça estranho, contacte as autoridades.»

«Se vir algo que lhe parecer estranho, contacte as autoridades.»

Desde já o meu obrigado pelo tempo disponibilizado e votos de um bom ano novo.

Rui Batista Professor Açores, Portugal 263

Tenho consultado várias gramáticas e verificado que apontam como deíticos pessoais todos os pronomes pessoais e os possessivos à exceção dos que se referem à 3.ª pessoa (ele/ela/eles/elas; seu/sua/seus/suas). Mas, na verdade, os possessivos de 3.ª pessoa não deverão ser considerados deíticos pessoais também? Vejam-se estes exemplos: "Sr. Lopes, o seu irmão ligou-lhe esta manhã." / "Este livro é seu, Sr. Lopes?" Nas frases dadas, "seu" relaciona-se com o "Sr. Lopes", pessoa que, dado o protocolo de tratamento entre o locutor e o interlocutor, se subentende ser tratada por "você/Sr.". Então, "seu" (e as outras formas dos pronome possessivos) não deverão pertencer ao quadro dos deíticos pessoais?

Maria Manuela Cunha professora aposentada Porto, Portugal 369

Nas frases «estou a estudar» e «estava a estudar», sendo que o verbo estar é aqui um auxiliar aspetual, poder-se-á falar em tempo presente e em pretérito imperfeito?

Obrigada.

Felipe Molina Administrador São Carlos, Brasil 294

[Qual é] [o] conteúdo proposicional do tipo de ato ilocucional envolvido na enunciação: «Eu não sei fazer essa conta.» (Contexto: aluno de Letras diz ao economista em uma conversa sobre investimentos).

Carlos Garcia Professor Porto Alegre, Brasil 474

No caso em que, numa narração, um diálogo entre os personagens é interrompido em vista de algum evento, qual dos dois casos seria o correto:

a) Neste momento da conversa...

b) Nesse momento da conversa...

Obrigado.

Simão Reis Gestor Lisboa, Portugal 779

«És muito bem comportado, pois és?»/«És muito bem comportado, não és?»

«Gostas muito de gelado, pois é?»/«Gostas muito de gelado, não é?»

«O gato é querido, pois é?»/«O gato é querido, não é?»

Existe a expressão «pois é» ou «pois és» nestes contextos? A expressão não será «não é»?

João Martins Viseu, Portugal 10K

O termo semiose não se encontra no Dicionário da Língua Portuguesa. Será correto substituí-lo por semiótica?

Helen Bampi Brasil 2K

Gostaria de saber se a expressão «como assim» seguida de um complemento deve ter vírgula. Por exemplo: «como assim você não quer?», «como assim ele caiu?», «como assim azul? Eu achei que era verde».

Deve haver vírgula após «como assim»?

Obrigada!

Talita Correia Professora São Paulo, Brasil 20K

O que é linguagem formal e linguagem informal?

Rafael Batista Digitador Fortaleza, Brasil 3K

Algumas expressões aparecem entre vírgulas, nos textos. Mas essas expressões não alteram o sentido do texto no qual estão — as expressões — inseridas.

Como, por exemplo: «Algumas informações são arquivadas de uma forma privilegiada, dependendo, é claro, do volume emocional.»

Sobre o termo «é claro», como posso chamá-lo? Refiro-me num contexto geral, com relação, é claro, a todas as expressões que possam estar no mesmo lugar do termo «é claro» em outras orações. Como são chamados esses termos que, quando eliminados, não alteram o sentido da oração, e sempre aparecem entre vírgulas?