Consultório - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
 
Início Respostas Consultório Área linguística: Outros
Ana Lorena Ramalho Editora Lisboa, Portugal 171

Gostaria que me explicassem, se possível, a regra de entrada de capítulo, no qual a primeira linha do capítulo não tem tabulação (avanço) mas as primeiras linhas dos parágrafos seguintes têm.

Celeste Gonçalves Professora Castelo Branco, Portugal 439

A necessidade de introduzir na escrita a igualdade de género, exige a meu ver, que terminemos com o masculino "universal". A propósito de um texto que escrevi e publiquei e que agora estou a rever, surge-me a seguinte dúvida:

Escrevi no texto da 1.ª edição «amigas e amigos, senhoras e senhores», repetindo-se ao longo do conto, por mais duas vezes a referência «amigas e amigos» e «Companheiras e companheiros». Coloquei em primeiro lugar a palavra no feminino, optando por colocar em 2.º lugar o masculino. Deveria ter procedido de forma inversa (primeiro o masculino e depois o feminino), ou alternar (umas vezes em primeiro a palavra no feminino e outras no masculino)?

Gostaria de conhecer o vosso parecer.

Anderson Morais Estudante Olinda, Brasil 443

Há diferença de significado entre as preposições ante e perante? Quando se deve usar uma ou outra? Ainda, há diferença de significado entre elas e a locução prepositiva «diante de»?

De antemão, agradeço a resposta.

Valter Rodrigues Guarda Municipal Rio de Janeiro, Brasil 661

Gostaria de uma explicação sobre o porquê de o verbo dar não flexionar para o plural na seguinte construção: «Iguarias que não dá para resistir.»

Obrigado.

José Marques Consultor Lisboa, Portugal 5K

Qual a diferença entre \ e /?

Diogo Paiva Estudante Lisboa, Portugal 3K

Deve escrever-se «de mão dada com essa pessoa» ou «de mão dada a essa pessoa»?

Obrigado.

Arsénio Sacramento Tradutor Cascais, Portugal 4K

«O meu patrão diz-me sempre que posso ficar à vontade para lhe pedir um aumento.»

«Ficar à vontade» não parece constar da maioria dos dicionários da variante europeia da língua portuguesa. Significa isso que não é recomendável em português de Portugal?

Ana de Almeida Tradutora Lisboa, Portugal 1K

No âmbito do nosso trabalho [...], fomos confrontados com a seguinte dúvida:

– Quando nos referimos a milhão/milhões devemos utilizar um ou dois “m”? Devemos utilizar mmbtu ou mbtu? Mmscf ou mscf? Sendo BTU referente a British Thermal Unit.

– Em inglês utiliza-se os dois “m” e algumas empresas transpuseram essa opção para o português. Está correto?

Esta dúvida aplica-se também aos seguintes termos:

mmbbl: milhões de barris.

mmboe: milhões de barris de petróleo equivalente.

mmboepd: milhões de barris de petróleo equivalente por dia.

mmbopd: milhões de barris de petróleo por dia.

Em suma, o que está definido para a língua portuguesa no que se refere à abreviatura de medidas que se referem a milhões?

Agradecemos desde já a vossa preciosa ajuda.

Markus Christiana Teologia Alemanha 16K

Essa expressão, «em meio a», acaso tem alguma legitimidade, ou é [uma particularidade do português  do Brasil]  brasileira sem sentido, à semelhança do «por que...?», em vez de «porque...?»? É que a tenho encontrado unicamente entre brasileiros, e sempre lhes respondo que é erro, e que não faz sentido nenhum, e que correcto é «no meio de», porque não se está em meio a alguma coisa, mas, sim, no meio de alguma coisa. Frases como estas: «tenho uma casa em meio à floresta», «em meio ao espectáculo, ele levanta-se e vai-se», «em meio à contenda, ele desmaia»: isto faz algum sentido? Não é evidente que deve ser: «tenho uma casa no meio da floresta», «no meio do espectáculo, ele levanta-se e vai-se" (ou, também, «durante»), «e no meio da contenda, ele desmaia»(também faria sentido usar «durante»)?

Ana Estudante Braga, Portugal 1K

A minha questão é a seguinte: o vocábulo "piscetariano" existe? E "piscetarianismo"?

Obrigada.