Consultório - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
 
Início Respostas Consultório Tema: Classes de palavras
Filipa Costa Estudante Viseu, Portugal 336

É sabido que agradecer com Obrigado ou Obrigada varia conforme o género da pessoa que o diz. No entanto, deparei-me com a seguinte dúvida:

A frase «Desde já, o meu muito obrigado», caso seja uma mulher a dizê-lo, varia para «Desde já, o meu muito obrigada», ou mantém-se o masculino?

Alexsander da Silva Oliveira Assistente Administrativo Brasília, Brasil 179

Gostaria de saber qual o emprego correto dos pronomes relativos na seguinte frase:

«A seguradora "a que ou à qual" pagamos o seguro do carro faliu.»

Entendo que «à qual» ocorre porque se entende o verbo pagar como VTDI [verbo transitivo direto e indireto], ou seja, paga-se algo (o seguro do carro) a alguém (a seguradora). Porém, não entendo por que poderá ocorrer «a que».

Evandro Braz Lucio dos Santos Professor Santa Quitéria, Brasil 203

Por favor, As frases: «Ele se fez de bobo» e «A garota fez-se linda». A palavra fez é verbo transitivo direto ou passa a ser verbo de ligação nestas frases? As palavras «de bobo» e «linda» são predicativos do sujeito ou do objeto direto «se»?

Grato.

Sónia Campos Professora Porto, Portugal 172

Na frase «O outro não lhe emprestava o material», consideramos "o" um determinante artigo definido e "outro" um pronome indefinido?

Obrigada desde já.

Vera Lucia Diretora Lisboa, Portugal 212

«Graças a Deus» em «Graças a Deus, estou vivo» é uma locução interjetiva? Se sim, essa nomenclatura (locução interjetiva) é uma função sintática ou apenas uma classe de palavras? Qual a função de "graças a Deus" na frase?

Gostaria de uma explicação.

Manuela Salvador Cunha Professora aposentada Porto, Portugal 205

Na frase «Se o perceberá a pobre da mãe!» (Almeida Garrett, Frei Luís de Sousa) que exprime duvida, qual é a classe morfológica do se?

Obrigada pela vossa colaboração.

Luísa Macedo Professora Porto, Portugal 247

Na expressão «O próprio problema...», «o próprio» é um determinante demonstrativo ou deverá ser analisado separadamente? Creio já ter visto em gramáticas mais antigas como exemplo de determinante demonstrativo (a par de «o mesmo», «o outro»...), mas nas atuais não encontro qualquer referência.

Grata pela ajuda dispensada.

Paulo Manuel Sendim Aires Pereira Engenheiro Brasília, Brasil 247

Reparei que algumas gramáticas omitem o pronome relativo (terminologia brasileira) quanta (Celso Cunha...) e outras não (Evanildo Bechara...). Investiguei em várias e verifiquei que todas elas evitavam o tema nos exemplos.

Pela investigação no Google tornou-se-me claro que quanta existia como pronome relativo no português antigo, quer com função de adjetivo, quer com função de substantivo, mas não consegui concluir em relação ao português moderno. Quais das seguintes frases podemos considerar corretas?

A) Daquela água, ele bebeu toda quanta pôde.

B) Daquela água, ele bebeu toda quanto pôde.

C) Ele conseguiu tirar do motor toda quanta água nele tinha entrado.

A mim, me parecem todas corretas, mas fico perplexo com a coexistência de A) e B). Por que é que algumas gramáticas não colocam quanta na sua enumeração exaustiva dos pronomes relativos, mas colocam quantas?

Nathalia Santos Professora Venda Do Pinheiro, Portugal 346

Tenho uma questão: depois de ter consultado gramáticas mais recentes, notei que os advérbios já não estão divididos em três subclasses: de frase, de predicado e conectivo. Os novos manuais trazem os advérbios classificados mediante a ideia que transmitem: negação, inclusão, quantidade..., e apresentam apenas o conectivo (dentro das três subclasses). O que mudou?

Obrigada.

Manuela Salvador Cunha Professora aposentada Porto, Portugal 286

1. Numa frase passiva o auxiliar ser é um verbo copulativo?

2. Se não, numa frase com predicativo do complemento direto – «Nomearam o professor diretor da escola» – «diretor da escola» passa a ser predicativo do sujeito?

3. Neste caso «da escola» continua a ser modificador do nome?

Muito obrigada.