Consultório - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
 
Início Respostas Consultório Tema: Figuras de estilo
Fernando Bueno Engenheiro Belo Horizonte, Brasil 705

Quais são as figuras de estilo ou linguagem nas frases seguintes, se é que as há?

«Era um especialista na arte de dizer tolices.»

«Empregava todo o seu esforço em não fazer nada.»

«A beleza dela é inversamente proporcional à sua inteligência.»

Agradeço a resposta desde já.

Vasco Viegas Estudante Lagoa, Portugal 1K

«Fui o pajem das alamedas insuficientes às horas aves do meu sossego azul.» Refiro o excerto acima do Livro do Desassossego, de Fernando Pessoa (fragmento 156.º), que me deixa interrogativo sobre a inserção de 'aves' numa categoria gramatical – neste contexto, claro está. Supus que fosse adjetivo, mas não encontro dicionário que categorize a palavra como tal.

Obrigado!

Carlos Guimarães Funcionário público Lisboa, Portugal 1K

«Caiu para sempre», em vez de morreu, que recurso expressivo é?

Obrigado.

Maria Quaresma Professora Barreiro, Portugal 960

Gostaria de saber a vossa opinião sobre a presença da sinestesia nos seguintes exemplos: a) «deixando atrás de si como uma claridade, um reflexo de cabelos de oiro, e um aroma no ar»; b) «um dia de inverno suave e luminoso».

Obrigada pela ajuda!

Ana Goulão Estudante Lisboa, Portugal 1K

Gostaria de saber qual o valor expressivo da hipálage presente nos versos «(...) é que eu te falo das palavras/desamparadas e desertas/pelo silêncio fascinadas.», do poema O Silêncio, de Eugénio de Andrade.

Angela Paula Lima do lar Belo Horizonte, Brasil 1K

Na frase «não deixe nada passar para a frente» há um pleonasmo?

Ana Santos Estudante Porto, Portugal 992

Nos versos «Eu com um sopro enorme, um sopro imenso/ Apagaria o lume das estrelas», para além de estar presente uma hipérbole, também é possível dizer que há uma metáfora? Pessoalmente, considero apenas existir uma hipérbole. No entanto, o segmento «lume das estrelas» parece uma metáfora.

Muito obrigada pela atenção.

Isabel Lourenço Secretária Coimbra, Portugal 7K

Pedia o favor de me esclarecerem uma dúvida. Sobre o poema O gato de louça, de Álvaro Magalhães (Porto, 1951), foi feita a seguinte pergunta: «Transcreve da segunda estrofe o verso que contém uma personificação.» Passo a transcrever as duas primeiras estrofes, no sentido de facilitar a resposta:

1 – «Coitado do gato de louça/pousado na mesa redonda,/sobre um pano de renda./Não há quem lhe fale./Não há quem o ouça.»

2 – «Nunca se mexeu,/nem quando as moscas lhe pousavam no nariz./Nunca ninguém o ouviu miar./Testemunha silenciosa/da vida no corredor,/o gato de louça viu tudo/o que ali fizemos em segredo/e não disse nada a ninguém.»

Na minha opinião, o único verso da 2.ª estrofe que contém uma personificação é «e não disse nada a ninguém», uma vez que a fala é própria apenas do ser humano. O mesmo já não se pode dizer de «o gato de louça viu tudo», pois outros seres vivos são dotados de visão. Penso tratar-se de animismo (?).

Obrigada.

Henrique Mendes Estudante Lisboa, Portugal 7K

Queria saber o que é a composição poética e a estrutura interna de um poema, pois preciso de esclarecimento para um trabalho e não percebo o que é. Poderiam ajudar-me, por favor?

António Soares Professor Porto, Portugal 1K

Na Farsa de Inês Pereira, que recurso expressivo está presente na fala de Inês, quanto esta diz «antes lebre que leão/antes lavrador que Nero»?

Obrigado pelos esclarecimentos.