Consultório - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
 
Início Respostas Consultório Tema: Acordo Ortográfico
João Nogueira da Costa Almada, Portugal 135

A propósito da ilustração ao lado, e chamando-se esta associação humanitária “Um Lugar para o Joãozinho”, a palavra “pró” que vemos na imagem deveria estar escrita com acento grave (prò), uma vez que a contração de “para + o” dá “prò”. 

O Dicionário Priberam diz-nos que esta grafia foi «alterada pelo Acordo Ortográfico de 1990: pro”, o mesmo acontecendo com a contração de “para + a”: pra.

De facto, pelo Acordo Ortográfico de 1990 (Base XII), o acento grave só está previsto para a contração da preposição “a” com as formas femininas do artigo ou pronome demonstrativo (à, às) e com o demonstrativo “aquele” e suas flexões (àquele, àquela…).

A minha questão é a seguinte: perdendo “prò” e “prà” o acento segundo o AO90, e sabendo que todas as palavras agudas terminadas em “a” e “o” abertos são acentuadas graficamente, não deveriam estas palavras ter, então, acento agudo (pró, prá)?

 Muito obrigado.

Luís Serra Silva Jurista e professor Coimbra, Portugal 1K

A palavra «suprarreferido», segundo o Acordo Ortográfico, escreve-se com dois "r" a seguir à letra "a" ou só, unicamente, com um "r" – «suprareferido»?

Muito obrigado pela ajuda prestada.

Vítor Meireles Engenheiro Maia, Portugal 1K

A palavra actor é grave ou aguda? Eu pensava que era grave, pois o a da penúltima sílaba é aberto (pelo c). Mas, pelo AO, a palavra passa a ser escrita ator. Pelas regras de acentuação, se fosse grave tinha de levar acento no a (/átor/). Portanto, é aguda. Qual é a resposta correcta?

Obrigado.

Rosa Machado Aposentada Caldas da Rainha, Portugal 906

Apareceu nas redes sociais um livro,"A Cosinheira das Cosinheiras", de Rosa Maria; procurei na BN, e vejo que uma 5.ª ed. é de 1900. Um amigo meu teima em como está mal escrito. Eu digo que está correto, em relação à época. Não me recordo é com que Acordo Ortográfico este s passou a z.

Muito obrigada.

Joana Filipe Silva Médica Lisboa, Portugal 485

Tenho algumas dúvidas em relação a algumas palavras no novo acordo ortográfico. Assim, as minhas dúvidas são: co-infeção ou coinfeção, co-autoria ou coautoria, auto-imune ou autoimune (esta já não relativa ao prefixo co, mas ao prefixo auto que me parece, a mim, leiga, na mesma condição).

Desde já, obrigada pela ajuda. 

Alexandra Pereira Professora Aveiro, Portugal 1K

Venho colocar uma dúvida referente à classificação, quanto à acentuação, da palavra silêncio.

1. Trata-se de uma palavra esdrúxula/proparoxítona ou grave/paroxítona? A dúvida prende-se com o ditongo crescente (ou será hiato?) "io", em posição pós-tónica.

2. As proparoxítonas aparentes, mencionadas no Acordo Ortográfico, são consideradas esdrúxulas? Ainda não percebi este conceito de «proparoxítonas aparentes». Não sei se é o caso desta palavra, daí estar a antecipar esta questão.

Obrigada por todos os esclarecimentos que possam prestar.

Antonio A. Ferreira Servidor Público Brasília, Brasil 690

Em primeiro lugar, obrigado pelo canal. É muito bom saber que temos alguém em quem nos apoiar para esclarecer uma dúvida. Em segundo lugar, o que vocês fazem em prol da Língua Portuguesa, tornando-a mais simples e desmistificada, é sensacional.

Gostaria muito que me fosse esclarecida a seguinte dúvida: uma procuradoria é um órgão público que funciona como um escritório de advocacia. Suponho que em Portugal seja igualmente. Pode ser Procuradoria da República, da União e por aí vão as denominações. Uma Procuradoria-Geral (no site do VOLP - Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa, consta o vocábulo com hífen) uma Procuradoria Regional ou Seccional. Quando devo usar com hífen e por que razão. Pelas pesquisas que efetuei, acredito que só caiba o hífen na Procuradoria-Geral. No entanto, gostaria de uma análise mais detalhada, por favor. 

Giovani Araújo Estudante Fortaleza, Brasil 911

É fato que o Acordo Ortográfico nos deixa com a pulga atrás da orelha em certas ocasiões. O tema desta pergunta [sobre o uso do hífen] é um tanto quanto difícil para muitos. Eu, pessoalmente, ainda não entendo o 5.º tópico desse tema: «Emprega-se o hífen nos compostos com os elementos além, aquém, recém e sem: além-Atlântico, além-mar, além-fronteiras; aquém-mar, aquém-Pirenéus; recém- casado, recém-nascido; sem-cerimônia, sem-número, sem-vergonha».

Tanto no 4.º quanto neste tenho uma certa dificuldade. Como saber se usa-se hífen ou não? Exemplos: «Ele é um homem muito sem-vergonha!» Todos sabemos que se usa o hífen neste caso. «Aqueles são filmes sem censura.» Usa-se hífen?

«Ele é sem-teto.» Sabemos que se usa.

«Ele é um guerreiro valente! Um homem sem medo!» Usa-se?

Enfim, gostaria de vossa ajuda, de entender bem essa nova regra.

Os meus agradecimentos.

Sérgio Lemos Designer Aveiro, Portugal 2K

Beira-Mar, Beira-mar, Beira Mar ... não existe regra e podem ser de várias maneiras? Quais?

Muito obrigado.

Sávio Christi Desenhista, escritor, pintor, roteirista, compositor e poeta. Vitória, Espírito Santo, Brasil 729

O nome do filme deverá ser "O Desespero de Um Solteiro!" (o Um seria numeral com inicial maiúscula) ou "O Desespero de um Solteiro!" (o um seria artigo com inicial minúscula)? Acredito que ambos estejam igualmente corretos, mas qual o mais recomendado e por que razão?

Desde já, muito obrigado a vocês por toda a atenção e interesse e um abraço!