Consultório - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
 
Início Respostas Consultório
Daniela Ferreira TCO Lisboa, Portugal 42

Na frase «Na base da descoberta científica está um artigo de 1952», o constituinte «um artigo de 1952» é predicativo do sujeito, é complemento direto ou é sujeito? Há alguma circunstância em que o verbo estar possa reger constituintes que não cumpram a função de predicativo do sujeito?

Agradeço a ajuda.

Gládis Lorinda Ludwig Funcionária Pública Porto Aleggre, Brasil 239

É necessário usar os dois pontos depois de CPF ou RG em uma qualificação? E é necessário escrever antes dos algarismos em um endereço?

Eu acho que é desnecessário, mas tenho dúvida se estaria errado.

 

[N. E. – No Brasil, CPF e RG são siglas de «Cadastro de Pessoas Físicas» e «Registro geral», respetivamente.]

Geobson Freitas Silveira Agente público Bela Cruz, Brasil 42

No contexto abaixo, seria possível inferir que a conjunção e por si só está fazendo as vezes da preposição sobre ou equivalentes como «quanto a», «em relação a», etc. Ou seria apenas casos em que se omite a preposição?

«E sua mãe, para onde ela foi?» (Quanto a sua mãe, para onde ela foi?)

«E o dinheiro, o que faço para reavê-lo?» (Sobre o dinheiro, o que faço para reavê-lo?)

Agradeço desde já pela disponibilidade, compreensão e apoio de sempre!

Mário Alberto Seara Engenheiro São Pedro de Avioso - Maia, Portugal 261

Bom dia! Gostaria de saber se os vocábulos "simultaneamente" e "futuramente" são advérbios de tempo. Muito obrigado! Mário Seara

Paulo Saraiva Professor Coimbra, Portugal 42

Na frase «A questão colocada era idêntica, mas com o número 5 no enunciado, na vez do número 7», a expressão «na vez de» surge como alternativa a «em vez de».

Diria que só esta é que está correta, mas não estou seguro. São aceitáveis ambas as expressões?

Agradeço antecipadamente.

Beatriz Duarte Cenógrafa Caldas da Rainha, Portugal 42

Já tentei pesquisar online, sendo que não tenho um dicionário de verbos, e não encontro a resposta em lado algum.

Queria saber qual é a regência do verbo impor.

Obrigada.

Geobson Freitas Silveira Agente de correios Bela Cruz, Brasil 42

A conjunção ou indubitavelmente é classificada como conjunção alternativa em qualquer livro de gramática. Não obstante, vejo que no contexto abaixo o sentido expresso por ela está mais adição em vez de alternância. Seria correto classificá-lo como conjunção aditiva?

«O professor fala português ou inglês fluentemente.»

Obrigado.

Ana Santana Tradutora Lisboa, Portugal 42

Manche (alavanca cujos movimentos controlam a subida, a descida ou o equilíbrio lateral de uma aeronave) é masculino ou feminino? Obrigada!

Geobson Freitas Silveira agente público Bela Cruz, Brasil 42

Estaria correto afirmar que, no contexto abaixo, o advérbio agora está fazendo as vezes de um conector cujo valor semântico se aproxima bastante de uma consequência ?

«Você quis que fosse dessa forma; agora, aguente as consequências.»

Obrigado.

Cláudia Borralho Professora Lisboa, Portugal 42

Há algum tempo que não ouço uma expressão que costumava ouvir, mas nunca a vi escrita e não entendo nem a origem da expressão nem se ela se refere à côr ou ao gentílico.

Diz-se que uma pessoa muito célebre é «mais conhecida que o cão russo» ou «ruço»?

Obrigada,