Consultório - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
 
Início Respostas Consultório
Cláudia Pinto Professora de Português Lisboa, Portugal 43

Existe a palavra "confinamento" no português europeu?

Obrigada.

William Coates Programador Lisboa, Portugal 42

Mandei um SMS a uma amiga com o seguinte texto: «Espero que o espetáculo de teatro corresse bem.» Na resposta ela disse que a forma correta era «Espero que o espetáculo de teatro tenha corrido bem».

Eu percebo que a segunda versão é correta, mas podiam-me explicar qual é o problema com a primeira versão?

Obrigado.

 

Ana Silva Arquiteta Coimbra, Portugal 42

Pretendo esclarecer se o nome alimentação é contável ou não contável.

Obrigada.

Dionísia Costa Rodrigues Professora Vila Nova de Famalicão, Portugal 222

Têm-me surgido cada vez mais dúvidas no âmbito dos processos de formação de palavras por derivação.

Por exemplo: infeliz é uma palavra derivada por prefixação; felizmente é uma palavra derivada por sufixação. E infelizmente? É derivada por sufixação (infeliz+-mente) ou por prefixação e sufixação (in-+feliz+-mente)? O Dicionário Terminológico apresenta a derivação por prefixação ou por sufixação e a parassíntese surge como o único caso em que são adicionados prefixos e sufixos...

Obrigada.

Diogo Morais Barbosa Revisor Lisboa, Portugal 179

É muito comum ler-se, nomeadamente em textos literários, «a meu lado» em vez de «ao meu lado». Pergunta: «a meu lado» é correto, ou trata-se de um erro já muito enraizado na nossa língua?

Muito obrigado pelo vosso trabalho excelente!

Carlos Garcia Professor Porto Alegre, Brasil 195

Gostaria de saber se são corretos os seguintes usos do pronome oblíquo:

«O juiz foi-lhe clemente.»

«O professor considerou os problemas do aluno, sendo-lhe clemente»

Obrigado.

A. H. Veríssimo Reformado Ponta Delgada, PT 42

Gostaria de saber se, nas frases abaixo, casar, apesar de ser um verbo principal, rege predicativo do sujeito («rico», na frase (1) e «pobre», na frase (2)), como acontece com os verbos sentir (em «ela sente-se triste») ou viver (em «ela vive feliz»).

(1) «Casa rico! casa rico! casa rico!... »

(2) «Candidinha vira o filho casar pobre por esta coisa estúpida — o amor!» (Raul BrandãoA Farsa)

Parabéns pelo vosso trabalho.

Obrigado.

Maria da Silva Professora Maia, Portugal 42

Estou com uma dúvida que me tem inquietado. Na ficha de trabalho de um manual, a propósito da obra Auto da Barca do Inferno [de Gil Vicente], surgiu a palavra solar («fidalgo de solar») identificada como extensão semântica (solar – relativo ao sol /solar – terreno onde se eleva a casa de uma família nobre ou pessoa nobre). Será possível aceitar extensão semântica e também derivada por sufixação?

António Lima Professor Bonito-PA, Brasil 145

Gostaria de saber se o verbo ser pode ter objeto indireto. Minha dúvida surgiu após ler o Dicionário de Verbos e Regimes, de Francisco Fernandes,no qual ele diz que o verbo ser pode ser transitivo indireto. Um dos exemplos dele [é]: «À noite serei em tua casa , e de manhã partiremos.»

Na frase «O que seria desses meninos se lhes faltassem os pais»,  a parte «desses meninos» é objeto indireto do verbo ser?

Grato pela resposta. Parabéns pelo belo trabalho de vocês.

Elaine Maria Estudante Lisboa, Portugal 240

Na frase:

«A comunidade, historicamente, marginaliza as minorias, o que promove a falta de apoio da população e do Estado para com esse grupo»

o que é partícula consecutiva, tendo o sentido de «a tal ponto que», ou relativa?

Se for a segunda, qual o significado do o?