Consultório - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
 
Início Respostas Consultório
Marcos Santana Estudante Carira , Brasil 42

Qual é a forma correta "pelo o" ou "pelo"?

Como é usado o "pelo/pela"?

«Cristiano Ronaldo viajou pelo o Brasil» ou «Cristiano Ronaldo viajou pelo Brasil»?

Obrigado.

Maria Lins Estudante Portugal 178

Vejo regularmente o título "História de África" para catalogar os livros que documentam a história africana, mas o título correcto não seria "História da África", sendo que também se fala em História da Europa ou da História da América do Norte.

África é um nome feminino, que possui o mesmo grau de feminidade que as palavras Europa e América possuem (assumo), portanto porque se costuma utilizar de invés de da?

João Amorim Reformado Évora, Portugal 221

Lendo a crónica satírica do Comendador Marques de Correia na Revista do semanário Expresso do dia 16 de outubro de 2021, fiquei com a dúvida do correto emprego da forma verbal do verbo dizer nesta frase:

«É certo e confirmado que quem dizer esta oração ao primeiro militante do CDS que encontre num raio de 20 quilómetros (ou de 40 em áreas desertificadas) consegue salvar este partido do extermínio ou da compra por parte do mestre André (Ventura) que apesar das broncas ainda dura.»

Não devia ter ido usado, antes, o futuro do conjuntivo, disser?

Agradecido.

Diogo Sobral Explicador Amoreira, Portugal 42

Numa frase como «Ela está doente com gripe», se bem entendo, «com gripe» é um complemento do adjetivo.

A minha questão é: será, então, o predicativo do sujeito apenas «doente» ou será «doente com gripe», incluindo-se assim o complemento do adjectivo?

Muito obrigado.

Virginia Andrade Professora Lisboa, Portugal 200

Gostaria de saber qual a forma correta: «no Algueirão» ou «em Algueirão»?

Bernardo Monteiro Estudante Porto, Portugal 42

O verbo acarretar é acompanhado de preposição? Ex:

(I) Tens de acarretar com as consequências.

(II) Tens de acarretar as consequências.

 

Bernardo Monteiro Estudante Porto, Portugal 42

Li, num livro, que o futuro normalmente está ligado a uma suposição e não a uma certeza, estando associado, por conseguinte, a uma probabilidade. Porém, o futuro não pode ser utilizado para expressar certeza?

Consideremos o seguinte enunciado: (I) Ele irá conseguir. Neste caso, (I) expressa uma certeza ou uma suposição?

E, agora, consideremos um enunciado semelhante: (II) Ele vai conseguir. Em (II), expressa certeza ou suposição?

O que me responderam foi que o (I) expressa suposição e o (II) certeza, devido ao tempo utilizado. Porém, em (II), o presente não adquire valor de futuro?

Agradeço a vossa preciosa ajuda para decifrar os mistérios da nossa tão vetusta e opulenta língua.

Adilia Fernandes Auxiliar de educação Portugal 164

Considerando o valor do adjetivo ( restritivo ou não restritivo) e a sua posição (pós-nominal ou pré-nominal, respetivamente) como traço distintivo, na frase «Os funcionários, incansáveis, receberam um prémio» qual o valor do adjetivo incansáveis?

Será correto considerar que, apesar da posição pós-nominal, o adjetivo tem valor não restritivo? A situação ocorre quando o adjetivo desempenha a função sintática de modificador apositivo do nome?

Desde já, agradeço a atenção dispensada.

Ana Beatriz Silva dos Santos Professora Rio de Janeiro, Brasil 148

Gostaria de entender melhor como funciona o processo de formação da palavra contemporaneidade.

Poderia ser considerada um exemplo de derivação parassintética?

Grata.

Maria do Carmo Morais da Costa Professora Viana do Castelo, Portugal 330

Na frase «Apresentou-me à Maria», o grupo preposicional «à Maria» desempenha a função de complemento indireto ou de complemento oblíquo?

Obrigada