Consultório - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
 
Início Respostas Consultório
Gabriel Jacinto Estudante Lisboa, Portugal 441

Registei um nome de associação: «Centro de Competências Ferroviário». O que eu queria dizer era referente ao centro e, salvo melhor opinião, não me parece que seja português mal escrito.

No entanto, sofri algumas criticas dizendo que é português mal escrito: que se for referente ao centro, deveria ser «Centro Ferroviário de Competências»; se for referente às competências, que deveria ser «Centro de Competências Ferroviárias». Ora, como eu referi, quero-me referir ao centro, e não me soou bem ficar «Centro Ferroviário de Competências», daí ter colocado como coloquei.

Muito obrigado pela Vossa atenção.

Maria Rosa Professora Grândola, Portugal 431

Na frase «Vamos lá, Carlos, mexe-te!», qual a função sintática desempenhada pelo pronome te?

Obrigada.

Adina Vladu Tradutora Santiago de Compostela, Espanha 745

Queria saber qual é o termo que se usa em português para designar o inglês crumble, isso é, por uma parte, a cobertura crocante de um doce tipo tarte, com frutas, tradicional de Inglaterra, e por outra (e por extensão) esse mesmo doce.

Muito obrigada.

Cláudia Jaleco Técnica Superior de Comunicação Arruda dos Vinhos, Portugal 565

Gostaria de saber qual a grafia correta para os topónimos começados pelo som A-do, pois encontram-se registos com 3 grafias diferentes. Ex. A-do-Mourão, A-das-Lebres, A-dos-Bispos Será: - À-do - A-do - Á-do

Agradeço desde já o vosso trabalho e a ajuda prestada.

Henrique Riuna Químico Salvador, Brasil 639

Em cores originadas de adjetivos compostos apenas o segundo elemento sofre a concordância nominal.

A minha dúvida é se isso se mantém quando vem antecedido da palavra cor, como nos exemplos: "roupa na cor amarelo-esverdeada" / "vermelho-clara" / "azul-escura" etc.

Ou seja, concorda em singular feminino, pois é antecedido da palavra cor, certo?

Ou a cor ficaria invariável: «roupa na cor "amarelo- esverdeado" / "vermelho-claro" / "azul-escuro"» etc?

Paula Guimarães Engenheira Florestal Lisboa, Portugal 389

Que nome se deve usar para designar a qualidade do que é abstrato? O termo "abstratividade" existe?...

Muito agradeço uma resposta a estas questões e a indicação do termo mais adequado para o que pretendo.

Obrigada!

Matos Santos Estudante Anagé, Brasil 549

Nesta frase seria possível dizer «a onde»?

1. E a bola regressa a onde já tinha estado.

E estas outras duas também seriam possíveis em Portugal?

2. E a bola regressa aonde já tinha estado.

3. E a bola regressa para onde já tinha estado.

Raquel Santos Estudante Porto, Portugal 624

Estou a ter alguns problemas para distinguir ditongos crescentes.

Poder-me-ão dizer se é uma situação normal, dado que são muito instáveis e que há quem os considere falsos ditongos. (Já vi quem defenda serem falsos ditongos, outros, porém, chamam-lhes falsas esdrúxulas. Não sei qual seria a designação apropriada.).

O problema é, no momento em que tenho de acentuar graficamente as palavras que os incluem, não sei porque tenho de aplicar a regra.

Como posso justificar a acentuação gráfica em palavras como: contrário, mágoa, tábua, nódoa, ténue, árduo, vácuo, polícia, côdea, cárie, aéreo? Ou a sua ausência em: lavandaria ou geometria?

Agradeço desde já a atenção e parabenizo o sítio do Ciberdúvidas e o vosso labor extraordinário. Bem hajam!

José Garcia Formador Câmara de Lobos, Portugal 379

Relativamente à variação dos ditongos ou/oi, presente em palavras como ouro/oiro, poder-se-á afirmar que o ditongo oi é de cunho popular?

Obrigado.

João Saavedra Estudante Lisboa, Portugal 471

A dúvida surge na seguinte frase:

«Na segunda parte do trabalho, pretendeu-se determinar as constantes cinéticas da invertase de S. bayanus

A construção frásica «pretendeu-se determinar» está correta, ou deveria ser «pretendeu determinar-se»? Ou será que ambas são aceites?

Na Gramática do Português, volume II (organizada por Eduardo Buzaglo Paiva Raposo, Maria Fernanda Bacelar do Nascimento, Maria Antónia Coelho da Mota, Luísa Segura e Amália Mendes, publicada pela Fundação Gulbenkian), no sub-capítulo "Propriedades dos verbos auxiliares", a secção sobre construção passiva pronominal apresenta os exemplos «Pretende-se corrigir os exames antes do fim do mês», «Pensou-se expulsar os diplomatas bizantinos» ou «Lamentou-se perder as chaves da casa» (p. 1249) como estando gramaticalmente corretos.