Início Respostas Consultório Campo linguístico: Tempo/Modo/Pessoa/Número (verbos)
Luís Varela Controlador de qualidade Porto, Portugal 650

Surgiu uma controvérsia em torno da expressão «tá-se bem», a que, por curiosidade, fui dar num site de conjugação de verbos onde me surgiu o verbo "estar-se". Está todo conjugado e parece-me correcto, embora tenha dúvidas se tal pode ser chamado de verbo. Apesar da dúvida, penso que se trata de assuntos diferentes.

Portanto, no primeiro caso a dúvida é se o correcto é "tá-se", ou "tasse". No segundo caso, se existe este verbo e se o se é um pronome pessoal reflexo que depois nas diferentes conjugações se ajusta ao sujeito.

Desde já agradeço a ajuda que possa receber.

Jorge Hamsten Matemático Niterói, RJ, Brasil 576

Eu leio há muito tempo em textos técnicos de Matemática construções do tipo «Se um conjunto é finito, então qualquer subconjunto deste também é». Ou, quando muito, «Se um conjunto for finito, então qualquer subconjunto deste também é.» Essas parecem-me erradas (um erro aparentemente oriundo de um anglicismo). A que me parece correta é a seguinte: «Se um conjunto for finito, então qualquer subconjunto deste também será.»

Assim, tenho esta dúvida: em uma frase condicional do tipo «Se (...), então (...)», o verbo na oração subordinada deve necessariamente estar conjugado no modo conjuntivo? Ademais, pode-se estabelecer alguma relação a priori entre os tempos nos quais os verbos das orações principal e subordinada são conjugados?

Agradeço desde já.

Maria Manuela Salvador Cunha Professora aposentada Porto, Portugal 511

No ensino de Português a estrangeiros como justificar o uso do pretérito perfeito numa situação passada que se prolonga no presente, como no seguinte caso: «sempre foste gordo»?

Thiago Lima Estudante Araraquara, Brasil 314

Gostaria de saber se a locução «até que» sempre é acompanhada do verbo no subjuntivo e, se sim, porque isso ocorre.

«Eu sairei até que tudo passe.»

«O tempo ficará parado até que findem o intervalo.»

«Fico até que todos façam os deveres.»

Obrigado.

Diogo Maria Pessoa Jorge Morais Barbosa Estudante Lisboa, Portugal 1K

Num texto que li hoje, uma das personagens dizia o seguinte: «Ele tem um caderno na sala de aulas.»; ao que o interlocutor respondeu com esta resposta: «Vistes-lo?». Ora o [programa] Word quer que eu corrija a resposta/pergunta para «vistes-lho». Faz sentido?

Muito obrigado!

Stefano Loi Estudante Lisboa, Portugal 771

Gostava muito de saber qual é a forma verbal exigida pela conjunção adversativa «não obstante». Por exemplo, «Não obstante TENHA 20 anos, ele ainda não tirou a carta de condução». Ou: «Não obstante ELE TER 20 anos, ele ainda...». Ou ainda: «Não obstante ELE TIVER 20 anos, ele ainda...».

Acho que esta locução não admite a forma ao indicativo do verbo. Estou certo?

Obrigado pela ajuda.

Diogo Maria Pessoa Jorge Morais Barbosa Estudante Lisboa, Portugal 247

Devemos escrever «Aquela pessoa foi forte e jamais se vergou» ou «Aquela pessoa foi forte e jamais vergou»?

Ana Santos Estudante Porto, Portugal 419

Gostaria que me esclarecessem sobre as diferenças que existem entre valor imperfetivo, durativo, habitual e iterativo. O valor imperfetivo pode ser simultaneamente durativo? Não consigo identificá-los claramente nas frases. A título de exemplo, no segmento «hoje os investigadores continuam a fazer perguntas (...)», o complexo verbal «continuam a fazer» que valor expressa?

Muito obrigada pela atenção dispensada.

João Pereira Estudante São Paulo, Brasil 425

O uso de um infinitivo simples no lugar de um infinitivo composto marca uma simplificação dos tempos verbais, depende do grau de formalidade ou possuem uma intercambialidade plena, sem comprometer o significado ou sentido da frase?

«Depois de correr até a esquina, voltou sem fôlego», ou «depois de ter corrido até a esquina, voltou sem fôlego??

«Depois de ser soldado nunca deixou de ser», ou «depois de ter sido soldado nunca deixou de ser»?

Agradeço antecipadamente.

Diogo Morais Barbosa Revisor Lisboa, Portugal 756

Estou a rever um livro em que os tradutores usam várias vezes a expressão «Seria que» em vez do «Será que», mais habitual. Por exemplo: «Seria que me pode dar um copo de água?». Esta construção faz algum sentido?

Obrigado.