Consultório - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
 
Início Respostas Consultório Campo linguístico: Regência
Beatriz Duarte Cenógrafa Caldas da Rainha, Portugal 170

Já tentei pesquisar online, sendo que não tenho um dicionário de verbos, e não encontro a resposta em lado algum.

Queria saber qual é a regência do verbo impor.

Obrigada.

José Garcia Formador Câmara de Lobos, Portugal 277

Em relação aos verbos passear e deambular, podemos dizer «Ele passeia/deambula NA/ PELA cidade»?

Obrigado.

Laura Amado Tradutora Coimbra, Portugal 287

Como se faz a enumeração de nomes/verbos com regimes preposicionais diferentes numa frase sem alterar a ordem dos verbos/nomes? Qual das seguintes opções está correta?

«Os alunos aprendem a entender, lidar com e resolver os problemas.»

Ou «Os alunos aprendem a entender, lidar e resolver os problemas»?

«O estudo procura verificar se há uma identificação com ou alheamento aos valores atuais por parte dos jovens.»

Ou «O estudo procura verificar se há uma identificação ou alheamento aos valores atuais por parte dos jovens»?

José Garcia Formador Câmara de Lobos, Portugal 374

É possível que a sintaxe do verbo deixar admita a preposição destacada?

«Ana deixou uma carta PARA Rui.»

Obrigado.

Pedro Henrique Professor Brasil 236

Na oração «Criei um grupo no Whatsapp com meus amigos desempregados», qual a função sintática de «com meus amigos desempregados»?

Tinha pensado que poderia ser adjunto adverbial de companhia, mas o ato de criar não ocorreu na companhia dos amigos, pois apenas a pessoa (no contexto do qual retirei a oração) que criou o grupo. Logo, esse «com meus amigos desempregados» funcionaria como uma especificação do grupo criado...

Desde já, obrigado!

Alexandre Noriler Servidor Público Rio do Sul, Brasil 235

Qual é a forma correta? «Escrever no papel» ou «escrever sobre o papel»?

Patrícia Sanches Vendedora Faro, Portugal 404

Sabemos que os pronomes relativos devem ser procedidos pela regência dos verbos que os seguem. No entanto, não é uma prática que percebo na oralidade.

É frequente ouvir:

Li o livro que me falaste.

Em vez de: Li o livro de que me falaste.

Aprendi a música que gosto.

Em vez de: Aprendi a música de que gosto.

Gostaria de saber o que as gramáticas dizem sobre isto e a vossa opinião. Devemos considerar agramatical?

Obrigada!

Maria Helena da Silva Almeida Professora Vila Nova de Famalicão, Portugal 441

Devo escrever: «no pressuposto de que» ou «no pressuposto que»?

Grata pela atenção dispensada!

Julian Alves Estudante Nápoles , Itália 570

Eu gostaria de saber se existe a regência nominal de confiança com a preposição a, cujo sentido é «entrega à confiança de»?

Eu sei que confiança pede a preposição em no significado próximo de «crer, ter fé»; mas o meu pensamento em relação à possibilidade do uso da preposição a, é justificado pela regência do verbo confiar que pode pedir em ou a.

Ex.: «Por viagem a trabalho, Marina confiou a Jorge sua cadela, Veneza. Mas ela não confia mais nele, porque ele a deixou três dias com fome.»

Antecipadamente, muito obrigado.

Roberto Andrade Servidor Rio de Janeiro, Brasil 568

 «Bife a rolê» ou «bife rolê»?

Faço a pergunta, pois tive muita dificuldade de encontrar a expressão "rolê" nos dicionários sem o sentido de «dar uma volta».

O pouco que encontrei remete "rolê" à palavra francesa roulé que traduzida pelo tradutor leva a "enrolado" que é o nosso bife!

Dito tudo isso, não deveria ser bife "rolê" (enrolado) sem a preposição? Outro fato que me faz perguntar é o caos que tal bife gera na escrita! Basta uma rápida pesquisa no Google para vermos que até o acento grave aparece na expressão «bife rolê» («bife à rolê»).

Desde já, agradeço a enorme atenção que os Senhores possuem e admiro demais o trabalho do Ciberdúvidas.