Consultório - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
 
Início Respostas Consultório Classe de palavras: advérbio
José Borges de Almeida Reformado Braga, Portugal 180

No romance de Aquilino Ribeiro A Via Sinuosa, edição da Livraria Bertrand de 1960, surgiu-me a palavra "àlacremente", com esta grafia; a minha dúvida é se é esta a forma correcta de formar o advérbio de modo. Esta palavra não aparece no dicionário da Priberam.

Obrigado.

Vera Lucia Diretora Lisboa, Portugal 211

«Graças a Deus» em «Graças a Deus, estou vivo» é uma locução interjetiva? Se sim, essa nomenclatura (locução interjetiva) é uma função sintática ou apenas uma classe de palavras? Qual a função de "graças a Deus" na frase?

Gostaria de uma explicação.

Nathalia Santos Professora Venda Do Pinheiro, Portugal 346

Tenho uma questão: depois de ter consultado gramáticas mais recentes, notei que os advérbios já não estão divididos em três subclasses: de frase, de predicado e conectivo. Os novos manuais trazem os advérbios classificados mediante a ideia que transmitem: negação, inclusão, quantidade..., e apresentam apenas o conectivo (dentro das três subclasses). O que mudou?

Obrigada.

Ana Vilhena Professora de Português Lisboa, Portugal 298

Na frase «A Sara gosta da maneira como o Rui fala de livros», a oração subordinada adjetiva relativa restritiva assume a função sintática de modificador do nome restritivo ou complemento do nome, atendendo à natureza do nome maneira?

Adalberto Gomes Engenheiro Burlington, Canadá 563

Tendo descoberto que embora provêm de «em boa hora», gostaria de saber se por exemplo na frase «Vamos embora daqui para fora» o seu uso é o mesmo de agora ou realmente sair para algum lado. Por outro lado ao dizer «Foi-se embora», seria correcto também dizer-se «Foi-se agora». Em Portugal, pelo menos, parece-me que o embora é utilizado como movimento ou ação e não como informação temporal.

Podiam ajudar-me a entender? Obrigado.

Eduarda Rabaçal Estudante Porto, Portugal 1K

Na frase «Eles jogam golfe regularmente.», «regularmente» é modificador de grupo verbal ou modificador de frase?

Eu diria, em primeira análise, que é de grupo verbal, porque, a meu ver, pode ser interrogado e negado:

É regularmente que eles jogam golfe? Eles jogam golfe não regularmente.

Além disso, não se trata de uma intervenção do interlocutor, mas sim da constatação de um facto.

Creio que está ao mesmo nível que «diariamente» na frase «Eles treinam diariamente futebol.»

No entanto, têm-me dito que é de frase e estou baralhada, porque não percebo porquê…

Podem ajudar-me?

Ana França Estudante Lisboa, Portugal 1K

Tenho uma pergunta em relação ao uso da expressão «sei lá!» Por que razão tem esta o valor negativo de «não sei» quando não comporta qualquer marcador de negação?

Obrigada pela atenção.

Fernando Marques Técnico de Museografia Vila Franca De Xira, Portugal 1K

Na frase «Entre o Mato e a Roça é um nome que alude a um não lugar» não será mais correto ligar o não e o lugar com hífen?

Rita Ferraz Professora Santa Comba Dão, Portugal 2K

No excerto «um país que, recentemente, em termos históricos, passou quatro décadas sob uma ditadura e que ainda exibe as suas cicatrizes», a palavra ainda contribui para a coesão interfrásica ou para a coesão temporal?

Vasco Ferreira Técnico Superior Lisboa, Portugal 1K

Tenho ouvido e lido cada vez mais a expressão o porquê, que sempre achei estar errada, por se estar a pôr um artigo definido num advérbio interrogativo. No entanto, soube recentemente que se começa a defender o uso de porquê como substantivo, justificando o artigo. Isto é mesmo assim? É possível usar advérbios interrogativos como substantivos? Posso passar a dizer o onde ou o quando ou o como ou, claro, o porquê?

Muito grato pela atenção e muitos parabéns por esta plataforma e pelo excelente trabalho desenvolvido.