Início Respostas Consultório Área linguística: Discurso/Texto
Patricia Moreira Estudante Lisboa, Portugal 42

Gostaria de saber se a seguinte frase é gramatical: "Os resultados do grupo A aproximam-se dos do grupo B." Caso seja gramatical, porquê repetir a preposição, o que está a ligar a preposição dos?

Muito obrigada.

Fernando Bueno Engenheiro Belo Horizonte, Brasil 520

«Ele era de opinião que (ou "de que") céu cinzento e gotas de chuva nas janelas tiram o ânimo e causam melancolia.» Na frase citada, qual é a melhor regência para o termo "opinião"?

Obrigado.

João Nogueira da Costa Lisboa, Portugal 886

A resposta do Ciberdúvidas, dada por D´Silvas Filho, não esclarece por que razão o vocábulo ontem já se escreveu com h: “hontem”. É uma questão que também nunca consegui apurar. Terá sido por analogia com hoje ou com a palavra latina heri que significa «ontem»? No Diccionario da Lingua Portugueza de Antonio de Moraes Silva (8.ª edição, Volume II, 1891), a entrada ontem remete-nos para “hontem”, dando alguns exemplos: «desde hontem», «até hontem», «para hontem», «hontem foi dia sancto». Também na palavra erva, o mesmo dicionário nos remete para herva.

Mas neste vocábulo pode perceber-se a grafia com h através do seu étimo latino: herba. Do mesmo modo se podem compreender as grafias de húmido (português europeu) e úmido (português do Brasil), pois em latim existem as duas grafias: umidus e humidus. Alguns dicionários de latim referem que o h de é adventício, foi acrescentado a umidus por uma falsa aproximação com o vocábulo humus («terra»). Mas com o vocábulo ontem, que veio do latim ad noctem, não se percebe a ortografia “hontem”…

Anderson Gabriel Medina Estudante Rio de Janeiro, Brasil 433

Posso conjugar somente o verbo vir? Alguns verbos são ruins de conjugar, principalmente no subjuntivo/conjuntivo. Então eu uso o verbo vir, para não haver erro. Ex: em vez de conjugar a primeira pessoa do singular do verbo reaver no pretérito imperfeito do subjuntivo como "se eu reouvesse", eu costumo usar "se eu viesse a reaver". É correto? Posso usar em todos os verbos?

Henrique Gozzer Engenheiro Civil Vitória-ES, Brasil 1K

No caso de eu estar transcrevendo um trecho de texto entre aspas e o trecho originalmente ter um ponto final, mas também ocorrer de ser final do meu período, eu coloco o ponto final antes das aspas, depois, ou dois pontos finais? 

Ex.: «[...] da mesma forma que foi dito.», «[...] da mesma forma que foi dito». ou «[...] da mesma forma que foi dito.»?

Vítor Gomes Professor Massamá, Portugal 4K

Qual a expressão correta: «ao fim e ao cabo» ou «no fim e ao cabo»? Os dicionários e gramáticas que tenho consultado apresentam apenas a primeira destas expressões, que é também aquela que mais se lê e ouve. No entanto, parece-me mais lógica e correta a segunda, pois, ao desmontarmos a redundância que a expressão procura, ficamos com as expressões isoladas «no fim» e «ao cabo» (redução de «ao cabo de»), ambas corretas. Da desmontagem da primeira expressão, resulta o primeiro membro «ao fim», que não consigo considerar correta. "No fim de contas", em que ficamos?

Fernando Bueno Engenheiro Belo Horizonte, Brasil 1K

«– Ele está morto, ou por outra, pensa convictamente que está.»

Na frase acima, as vírgulas estão corretamente colocadas?

Obrigado.

Luís Varela Controlador de qualidade Porto, Portugal 1K

Surgiu uma controvérsia em torno da expressão «tá-se bem», a que, por curiosidade, fui dar num site de conjugação de verbos onde me surgiu o verbo "estar-se". Está todo conjugado e parece-me correcto, embora tenha dúvidas se tal pode ser chamado de verbo. Apesar da dúvida, penso que se trata de assuntos diferentes.

Portanto, no primeiro caso a dúvida é se o correcto é "tá-se", ou "tasse". No segundo caso, se existe este verbo e se o se é um pronome pessoal reflexo que depois nas diferentes conjugações se ajusta ao sujeito.

Desde já agradeço a ajuda que possa receber.

Jorge Hamsten Matemático Niterói, RJ, Brasil 990

Eu leio há muito tempo em textos técnicos de Matemática construções do tipo «Se um conjunto é finito, então qualquer subconjunto deste também é». Ou, quando muito, «Se um conjunto for finito, então qualquer subconjunto deste também é.» Essas parecem-me erradas (um erro aparentemente oriundo de um anglicismo). A que me parece correta é a seguinte: «Se um conjunto for finito, então qualquer subconjunto deste também será.»

Assim, tenho esta dúvida: em uma frase condicional do tipo «Se (...), então (...)», o verbo na oração subordinada deve necessariamente estar conjugado no modo conjuntivo? Ademais, pode-se estabelecer alguma relação a priori entre os tempos nos quais os verbos das orações principal e subordinada são conjugados?

Agradeço desde já.

Alexandra Figueiredo Socióloga Lisboa, Portugal 853

Estou a fazer uma análise de conteúdo do discurso jornalístico sobre o crime. Deparo-me frequentemente com a expressão «morta a tiros de caçadeira» e ainda «disparou a matar». Para além da violência associada às expressões, fico com curiosidade sobre se, do ponto de vista da língua portuguesa, estarão corretamente formuladas.

Agradeço, desde já, a vossa atenção.