Início Respostas Consultório Tema: Uso e norma
Patricia Moreira Estudante Lisboa, Portugal 42

Gostaria de saber se a seguinte frase é gramatical: "Os resultados do grupo A aproximam-se dos do grupo B." Caso seja gramatical, porquê repetir a preposição, o que está a ligar a preposição dos?

Muito obrigada.

Fernando Lopes Professor Vila Real, Portugal 42

Na frase «A sogra bateu na nora porque estava bêbeda.», quem é que estava bêbeda, a sogra ou a nora?

Ana Furtado Educadora Lisboa, Portugal 291

Na frase «Este livro entrou para a História da literatura universal.», qual a função sintática de «para a História...»?

Tania Oliveira Escritora Barcelona, Espanha 449

Primeiramente, obrigada, equipa Ciberdúvidas, pelo excelente trabalho.

A pergunta que tenho é sobre o verbo calcorrear. Recentemente, li «os carros calcorreavam». Ora, se calcorrear significa «andar a pé» (Dicionário Priberam), «percorrer (caminho geralmente longo) a pé; caminhar muito» (Dicionário Infopédia), não se poderia aplicar o termo a veículos motorizados, certo?

João Gouveia Estudante Lisboa, Portugal 414

O Dicionário Online Priberam, quando pesquisamos sobre a definição de 'Hífen', fornece-nos a seguinte informação: «hí·fen (latim hyphen, do grego hufén, como um, num só) substantivo masculino [Tipografia] Sinal gráfico horizontal (-) usado na separação de elementos de um composto, de alguns prefixos, de sílabas em fim de linha e de ligações enclíticas, mesoclíticas ou proclíticas. = TIRETE, TRAÇO DE UNIÃO Plural: hífenes. "hífen", in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa.»

Eu gostaria de saber se não há um erro por parte do Priberam quando afirma que o hífen pode ser utilizado em ligações proclíticas, uma vez que estas últimas possuem nas suas características o facto de apresentarem ausência de hífen (os pronomes clíticos não se unem por hífen às formas verbais às quais revelam ligação). Existirá, então, um lapso no Dicionário Online Priberam que deveria ser corrigido?

Lucas Alves Estudante Brasil 42

Em muitas leituras que já fiz, acabei por encontrar os dois pronomes se e lhe usados juntos. Gostaria de saber o porquê desse emprego.

Exemplificando: concede-se-lhe, arrojou-se-lhe, opor-se-lhe, em frases como «Dê-se-lhe vista dos Autos.», «Fora adorada pelos pais, pelo marido, pelos filhos; inspirara mais de uma paixão e as suas amigas disputavam-se-lhe a preferência. Habituou-se a ser sempre a primeira», «Viu-se então que a idade o não abatia. Num desempenho de rapaz atlético aprumava-se-lhe a estatura elegantíssima entre as voltas do poncho desbotado que lhe desciam até às botas de viagem, flexíveis e armadas das rosetas largas das esporas retinindo ao compasso de um andar seguro.»

Agradeço a ajuda, desde já.

Michel Marques Estudante Coromandel, Brasil 420

«Se bobear eu te pego.» É preciso utilizar vírgula após a palavra bobear?

No segundo caso, «A gente vive sem comida, sem cerveja nunca.» É necessário o uso da vírgula depois de «cerveja»?

Obrigado pela atenção.

Maria Oliveira Estudante Águeda, Portugal 194

Gostaria que me ajudassem a classificar as seguintes orações subordinadas e a identificar as suas funções sintáticas: «Cumpriam tudo que lhes mandavam», «Alijaram tudo que na coberta havia», «Como enfuriasse ainda mais o tempo, trataram de alijar os mastaréus das gáveas» e «Foi a de Jorge de Albuquerque Coelho a primeira de todas que se lançaram ao mar» (in História Trágico-Marítima).

Obrigada pela atenção.

Fernando Pestana Professor de Português Rio de Janeiro, Brasil 457

Minha dúvida tem a ver com a conjunção pois. Nas gramáticas normativas, nunca vi esta conjunção ser classificada como adversativa ou ser apresentada como uma conjunção de valor semântico adversativo. No entanto, em todos os dicionários que consultei (Houaiss, Michaelis, Priberam, Porto, Aulete, etc.), esse conectivo é também encarado como sinônimo de mas, porém, no entanto, etc. Devido a isso, fiquei com a pulga atrás da orelha: afinal, a conjunção pois é abonada por algum livro consagrado de gramática como sinônima de conjunções adversativas? Caso não encontrem a resposta a essa pergunta, mas creiam que o pois pode, sim, indicar oposição, gostaria que dessem exemplos (e os explicassem) para eu conseguir ensinar a meus alunos da melhor forma possível. 

Tânia Alexandra Marques Filipe e Campos Professora Viseu, Portugal 666

Na frase «Nem os professores queriam chorar nem os alunos mostrar a sua tristeza» estamos perante orações coordenadas copulativas ou disjuntivas?

Obrigada.