Consultório - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
 
Início Respostas Consultório Classe de palavras: verbo
Sofia Morais Professora Aveiro, Portugal 374

O significado de buscar é «encontrar», não é «trazer», certo?

A frase «vou buscar a minha filha à escola» está correta? – no sentido de que eu não vou ter com ela mas sim trazê-la para casa.

Obrigada.

Paul Castro Professor de português Glasgow, Reino Unido 250

Estou a ensinar o infinitivo pessoal aos meus [alunos] e quero acabar a aula comentando alguns usos mais complexos (e talvez poéticos). Pensei em usar o título da canção "O Quereres" de Caetano Veloso mas ainda não consegui encontrar uma boa explicação para este uso. Neste caso "O quereres" equivale a «o facto de quereres»?

Obrigado por qualquer esclarecimento.

Thiago Ferreira de Lima Estudante Araraquara, Brasil 214

Por vezes vejo a correlação temporal pretérito perfeito + futuro do presente do indicativo principalmente no português do Brasil.Ex: «Eles endossaram as medidas que nós tomaremos»

Porém quando procuro listas de correlação encontro pretérito perfeito + futuro do pretérito Ex: «Eles endossaram as medidas que nós tomaríamos.»

É correta a primeira correlação ou é preferível fazer a correlação temporal presente do indicativo + futuro do presente" caso eu queira construir uma sentença que atenda as normas gramaticais? Ex: «Eles endossam as medidas que nós tomaremos.»

Obrigado.

Iamta Na Isna Economista Bissau, Guiné-Bissau 293

Qual é o verbo mais usado na elaboração da ata de uma reunião e em que tempo?

Lanito Molita Estudante Lisboa, Portugal 237

Venho parabentear-vos por este vosso esforço em prol da língua portuguesa e, ao mesmo tempo, questionar-vos sobre uma particularidade da regência de enamorar.

Na pergunta «A regência de enamorar-se», [...] vós respondestes que «A regência correcta de enamorar-se é com a preposição de.» No entanto, pesquisei na Internet e encontrei vários sítios que regem enamorar-se com a preposição por, tal como a regência de apaixonar-se. Serão erros desses mesmos sítios ou a regência de enamorar-se está a mudar e está a começar a aceitar essas duas possibilidades? Pergunto isto porque tive um professor de linguística na faculdade que me dizia que o idioma não é feito pelas convenções, mas sim pelos falantes do mesmo.

Desde já, muito obrigado pelo vosso auxílio.

Valter Rodrigues Guarda Municipal Rio de Janeiro, Brasil 494

Gostaria de uma explicação sobre o porquê de o verbo dar não flexionar para o plural na seguinte construção: «Iguarias que não dá para resistir.»

Obrigado.

José Barbosa Reformado Maia, Portugal 298

Não existe a palavra "indignificar" cujo significado seria «tornar indigno» (não confundir com indignar)? Imagino uma frase assim: «Não cometa essa indignidade que só o indignificará.» Fui suficientemente claro? Pode por favor dar-me a sua opinião?

Obrigado.

Patrícia Pereira Explicadora Gafanha da Nazaré, Portugal 902

O verbo recorrer, quando transitivo indireto, rege um complemento indireto ou um complemento oblíquo?

Grata pela atenção.

Fernando Miao Estudante Bragança, Portugal 687

Sou um estudante estrangeiro e ultimamente tenho estado a ler um livro de língua portuguesa e deparei-me com uma estrutura que me causa confusão: «Não a víamos, dela não aparecia um braço nem uma mão ao atirar as coisas.» A minha dúvida é por que razão se coloca dela no início da frase. Outra questão é se posso substituir «ao atirar as coisas» por «a atirar as coisas».

Espero que o Ciberdúvidas me possa ajudar.

Agradeço pela atenção.

Maria Monteiro Estudante Lisboa, Portugal 1K

     É igualmente correto dizer/escrever «parecido com» e «parecido a» («parecer-se com» e «parecer-se a»)? Não consigo encontrar uma resposta a esta dúvida nas gramáticas de português a que tive acesso.

    Obrigada.