Início Respostas Consultório Campo linguístico: Semântica nominal
Paul Professor Leeds, Reino Unido 42

«Estudar português» e «estudar o português». Existe alguma diferença entre as opções acima? Uma explicação que me foi dada é que a primeira exprime a ideia de estudar a disciplina de português, enquanto a segunda insiste mais na ideia de estudar a língua. Mas parece-me uma daquelas explicações espontâneas.

Se as duas possibilidades são corretas, há alguma diferença entre elas em termos de registo?

É que os meus alunos que estudaram no Brasil sempre dizem o segundo...

Agradeço desde já.

Diogo Morais Barbosa Revisor Lisboa, Portugal 366

Será aceitável dizer «eu sei o que é um coma»? O artigo faz sentido, na frase? Ou devemos sempre dizer «Eu sei o que é estar num estado de coma»?

Maria Lopes Faro, Portugal 796

Gostaria de confirmar se a palavra álbum é um nome comum ou um nome comum coletivo. Segundo alguns dicionários, define-se como:

1. Livro em branco para colecionar fotografias, postais, selos, recortes, etc. 2. Livro em branco em que se coleccionam notas, pequenas composições literárias, autógrafos, etc. 3. Livro com muitas ilustrações, geralmente acompanhadas de pequenos textos (ex.: álbum de banda desenhada). 4. Obra musical de longa duração, gravada em suporte físico (CD, vinil, etc.) ou digital.

Entendo que será um nome comum. Está correto?

Obrigada.

Florentino Serranheira Professor Lisboa, Portugal 193

Em saúde e segurança do trabalho, em particular na avaliação do risco de acidentes de trabalho, é frequente a utilização dos termos severidade e gravidade. Em alguns casos são usados como se de sinónimos se tratasse. Noutras situações classifica-se a severidade qualitativamente. Por exemplo, a perda de um dedo num acidente de trabalho é menos severa que a perda da mão. Aqui a gravidade é referida como o potencial da severidade do dano. Em qualquer dos casos tenho enormes dúvidas sobre a possibilidade de utilizar o termo severidade neste contexto. Será que podem ser considerados como sinónimos, ou será que existe qualquer relação entre os termos severidade e gravidade?

Telmo Nave Comercial Coimbra, Portugal 252

Diz-se «a casca de laranja» ou «a casca da laranja», ou ambas as formas estão correctas?

João Seabra Jornalista Lisboa, Portugal 594

«No Porto Alto» ou «em Porto Alto»?

Como acham que é certo: no Porto Alto ou em Porto Alto?

Na lógica de outros topónimos cujos nomes correspondem a substantivos comuns (casos do Porto, do Porto Santo, da Figueira da Foz, da Cuba, etc.), seria «o Porto Alto».

Acontece que, por exemplo, os CTT usam no código postal desta localidade o nome em género neutro: «em Porto Alto».

Margarida Nunes Publicitária Porto, Portugal 752

Qual é mais correto: aceleração ou aceleramento?

Sandra Santos Professora Porto, Portugal 909

No exemplo, devemos escrever «no qual desenvolve», «onde desenvolve», «em que desenvolve»?

Ex.: Friedrich Froebel (1782-1852) funda os “jardins de infância” (1840), aplicando um novo método educacional, essencialmente antiformalista, onde desenvolve recursos didáticos também aplicáveis a crianças deficientes mentais, que ainda hoje se mantêm atuais.

Nuno Gouveia Estudante Ovar, Portugal 485

Dei por mim a confundir as palavras detrimento e deterioramento e fui pesquisar os seus significados, que me pareceram ser o mesmos, mas não fiquei convencido. Portanto, queria que me ajudassem a perceber se são palavras sinónimas e se uma derivou da outra, porque elas são semelhantes.

Ana Santos Estudante Porto, Portugal 484

Nos versos «Eu com um sopro enorme, um sopro imenso/ Apagaria o lume das estrelas», para além de estar presente uma hipérbole, também é possível dizer que há uma metáfora? Pessoalmente, considero apenas existir uma hipérbole. No entanto, o segmento «lume das estrelas» parece uma metáfora.

Muito obrigada pela atenção.