Consultório - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
 
Início Respostas Consultório Área linguística: Ortografia/Pontuação
Guilherme de Almeida Professor aposentado Lisboa, Portugal 180

Nos nomes dos religiosos, após Padre "X", Frei "Y", Fulano "Z", os religiosos inserem um código de duas letras, de significado nebuloso e  que não vejo em lado nenhum explicado. Uns escrevem "SJ" após o nome; outros apõem "SI", [...]  e outras siglas ainda. Contrariando todas as regras do bom uso de siglas, eles não as explicam em lado nenhum, assumindo – erradamente – que toda a gente as saberá ou deverá saber, coisa de que eu duvido muito. O que significarão, ao certo, essas siglas misteriosas?

João Nogueira da Costa Almada, Portugal 212

Sempre ouvi o termo ligatura para denominar os carateres tipográficos que combinam duas letras num único sinal gráfico, como @, &, æ ou œ.

O Dicionário [de Língua Portuguesa] da Porto Editora (2008) e o dicionário da Academia [das Ciências de Lisboa] (2001) não registam o termo ligatura – e na entrada ligadura não registam o significado de «carateres tipográficos que combinam duas letras num único sinal gráfico».

Já o Dicionário Houaiss apresenta a entrada ligatura com este significado, assim como a Infopédia, aqui.

Wikipédia apenas regista ligadura.

Nos textos que li do Ciberdúvidas, nunca encontrei o termo ligatura e só uma vez ligadura: “o uso da vogal æ (deriva da ligadura entre as vogais a e e)”, aqui:

Gostaria de ouvir a vossa opinião sobre os termos ligatura e ligadura (tipográfica) – e ainda perguntar se o símbolo § para designar parágrafo, símbolo correspondente a dois ss entrelaçados, iniciais da expressão latina signum sectionis, se pode denominar também ligatura/ligadura.

P. S. – Quero apenas acrescentar que encontrei a palavra ligatura num artigo de Nuno Crato, no Expresso de 2 de março de 2002 [...][que] aparece reproduzido aqui. Além do Dicionário Houaiss e da Infopédia, que referi na minha questão, vi ainda o termo ligatura no [Dicionário] Priberam.

Daniela Costa Estudante EUA 149

Tenho dúvida em relação a que tipo de escrita uma criança a partir dos 6 anos entende. Será que ela entende o que é o hífen e consegue ler textos com hifens? Além disso que tipo de coisas se deve evitar na escrita para crianças e que tipo de coisas são essenciais saber quando se escreve para crianças a partir dos 6 anos?

Manuel Mouro Estudante Lisboa, Portugal 271

"Prelectivo" está correcto como adjectivação de prelecção? Se não, qual é o termo correcto?

José Borges de Almeida Reformado Braga, Portugal 248

No romance de Aquilino Ribeiro A Via Sinuosa, edição da Livraria Bertrand de 1960, surgiu-me a palavra "àlacremente", com esta grafia; a minha dúvida é se é esta a forma correcta de formar o advérbio de modo. Esta palavra não aparece no dicionário da Priberam.

Obrigado.

Sónia Nascimento Lisboa, Portugal 553

Já fiz uma pesquisa exaustiva em diferentes gramáticas e em muitas entradas do Ciberdúvidas, mas continuo sem chegar a uma resposta conclusiva. Percebo que a utilização da vírgula é um tema movediço, mas a minha dúvida tem que ver com uma utilização específica, ou, pelo menos, circunscrita.

Nas orações condicionais e estando a subordinada depois da subordinante, a vírgula antes da conjunção se é obrigatória?

Se em frases como:

«Se amanhã ele não vier, vou procurá-lo.»

«Se ele não tivesse chegado a tempo, ela ter-se-ia zangado.»

A inserção da vírgula é obrigatória e não me causa dúvidas, já em frases como as seguintes o mesmo não é tão óbvio.

«Seria agradável aceitar a teoria da mãe, se não tivesse uma falha crucial.»

«A estratégia dela ficou clara — desconfiava que ele adiaria qualquer confronto agendado, se lhe dessem hipótese.

Consultando Rodrigo de Sá Nogueira, vemos que ele defende a inclusão da vírgula. Mas, por exemplo, o consultor do Ciberdúvidas Carlos Rocha na entrada «Sobre valores da conjunção se» já sente necessidade de justificar a sua inclusão por não ser obrigatória.

Posso contar com a sua prestimosa ajuda para resolver esta dúvida com todas as explicações que achar necessárias e pertinentes?

Ana Maria Balbino Caldeira Professora Alcobaça, Portugal 527

[...] Gostaria de saber o que é mais correto: se escrever-se conforme se diz, ou não usar a contração/apóstrofe no caso que a seguir descrevo.

É só correto escrever «em declarações a O Alcoa» (o nome do nosso jornal tem o determinante, assim como O Jogo, A Bola), ou se pode-se refletir a oralidade na escrita e escrever "em declarações a'O Alcoa?

Muito grata!

Henrique Carlos Professor e bibliotecário aposentado Gotemburgo, Suécia 314

Vocabulário Ortográfico Comum da Língua Portuguesa «determina legalmente a ortografia da língua portuguesa», e é igualmente o «recurso oficial de referência para a escrita do português». Da mesma forma, o seu Vocabulário Toponímico tem também essas funções. A minha questão é se a grafia dos topónimos estrangeiros incluídos no referido Vocabulário Toponímico se torna assim obrigatória e exclusiva, não permitindo grafias alternativas, mesmo quando estas estão consagradas pelo uso. O caso mais atual é o termo Listenstaine, em contraposição com "Lichtenstein".

Franqueira Neto jornalista Macau, Macau 351

O ponto utilizado na abreviatura de uma palavra é dispensado quando a palavra abreviada termina uma frase, servindo o ponto final da frase para abreviar essa mesma palavra. Em resposta a pergunta anterior, ficou claro que o mesmo não se passa se a frase terminar com um outro sinal de pontuação diferente. No entanto, é comum ver-se o uso da abreviatura de "observações" normalmente seguida de dois pontos, sem o ponto da abreviatura da palavra [Obs:]. Isto é aceitável?

Patrícia Andréa Borges Estudante São Carlos, São Paulo, Brasil 141

Gostaria de saber se há algum documento que comente que a manutenção do h em Bahia foi uma reivindicação dos baianos, conforme o escrito [na resposta "Bahia e baía: porquê?].