Diversidades - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
 
Início Outros Diversidades
Textos que versam sobre as variedades nacionais e regionais do português.
As 19 maiores disputas linguísticas de todos os tempos
Inovação, tradição e conflito em inglês e noutros idiomas

Apesar de usado como língua franca e aparentemente recetivo à novidade, o inglês afirma uma longa tradição normativa, entre defensores aguerridos e contestatários desenfreados. Outros domínios linguísticos – do mandarim ao turcomeno e ao russo, do francês ao neerlandês, ou do croata ao japonês e ao maori – também conhecem o mesmo tipo de tensão, muitas vezes em resultado de convulsões sociais e políticas. E quando o contacto interlinguístico gera mal-entendidos, aproveitamentos abusivos e até conflitos sangrentos? O linguista britânico David Shariatmadari apresenta 19 polémicas linguísticas num artigo publicado pelo autor no jornal britânico The Guardian. no dia 17 de junho de 2019 – a seguir transcrito, devidamente traduzido em português*.
 

* Em alguns casos mantiveram-se vocábulos, expressões e frases em inglês, seguidos da tradução em português, entre parênteses retos.

Pequena História das Línguas
Artigo baseado num capítulo do livro do autor O Galego e o Português São a Mesma Língua?

Por que razão não há só uma língua no mundo? E, entre os cerca de sete mil idiomas, atuais, além das regras próprias – consagradas gramaticalmente – o que determinou as suas diferenças  ao longo do tempos?

[Artigo publicado no blogue do auor, Certas Palavras, com a data de  27 de junho de 2019 – que o autor adaptou de um capítulo do seu livro O Galego e o Português São a Mesma Língua? (Através Editora). Escrito conforme a norma ortográfica de 1945]

Qual é a origem da língua cabo-verdiana?
Uma história comum aos crioulos de todo o mundo

Há países onde a população fala um crioulo há muitos séculos, mas as instituições e as escolas usam outra língua, normalmente a língua europeia que deu origem ao léxico do crioulo. É o caso de Cabo Verde  – como assinala nesta crónica * o tradutor e professor universitário português Marco Neves, que a seguir se transcreve na integra, com a devida vénia.

* crónica  transcrita do portal SAPO 24, do dia 23 de junho de 2019. Escrita conforme a norma ortográfica de 1945.

«O reconhecimento de um facto evidente»
A classificação do crioulo como património nacional de Cabo Verde

No âmbito da passagem do Dia Internacional da Língua Materna 2019, o estudioso do crioulo cabo-verdianoMarciano Moreira, louva a iniciativa do seu Governo para a «classificação imediata» do crioulo como património nacional*.

*entrevista publicada no plataforma cabo-verdiano SAPO Muzika/Inforpres no dia 21 de fevereiro de 2019.

Como dizer os dias em chinês?
Uma faceta intuitiva do mandarim e do cantonês

Como se diz em chinês – melhor dito, em mandarim, que, em termos de escrita, é igual ao cantonês –  «Cuidado!»,«dia» ou «semana»? E «sábado»? Para que queira viajar até à  República Popular da China [(RPC) chinês simplificado中华人民共和国chinês tradicional中華人民共和國pinyin*], este texto da autoria de Ricardo Cartaxo, transcrito, com a devida vénia, do blogue Certas Palavras, no dia 2 de maio de 2019. Escrito conforme a norma ortográfica de 1945.

* zhōnghuá rénmín gònghéguó

Entenda como as línguas são criadas
(e por que desaparecem)

Que fenómenos explicam a diversificação dos idiomas, a sua evolução, a morte de alguns e a disseminação de outros, como é o caso do português? Artigo da autora originalmente publicado na revista brasileira Galileu, em 15/03/2018, a seguir transcrito com a devida vénia.

As quilométricas palavras do alemão
Quando confrontadas com as portuguesas

A «incrível flexibilidade morfológica» do alemão, que permite a criação de novas  e extensas palavras pela simples junção de outras – é o caso, por exemplo, Hottentotterstottertrottelmutterlattengitterkotterbeutelrattenattentater (assassino da mãe do garoto hotentote surdo-mudo, preso na jaula de cangurus coberta com tela) –, neste  apontamento linguista brasileiro Aldo Bizzocchi que, com devida vénia, se transcreve do seu blogue Diário de um Linguista.

O esperanto em 20 pontos
A história e características da língua artificial mais falada e bem sucedida no mundo

As principais características da língua artificial mais falada e bem sucedida no mundo. Foi criada no fim do séc. XIX pelo judeu (de nacionalidade polaca) Ludwik Lejzer Zamenhof*, com o propósito de servir para comunicação à escala planetária, entre os povos das suas, na altura, 57 nações atualmente, 193 países segundo a lista oficial da ONU – e os falantes das 6 909 línguas diferentes em todo o mundo.

* em Esperanto, Ludoviko Lazaro Zamenhofo

O domínio alemão através do inglês
A política linguística da União Europeia

Apesar da enorme diversidade linguística que encerra, a União Europeia reconhece oficialmente apenas 24 línguas, as quais se reduzem na prática a três – o inglês, o inglês e o alemão – no funcionamento de diferentes órgãos. Esta tendência vai mais longe, com pressões para o inglês se tornar a única língua de trabalho e instrumento de um processo de unificação cultural. Assim se configura uma política linguística incentivada pela Alemanha e materializada na recomendação «língua materna mais duas», cuja concretização, parecendo ir ao encontro do multilinguismo, acaba por favorecer, para já, a adoção do inglês como língua segunda da população europeia. Que futuro tem o português em tal contexto? Qual a verdadeira implantação do inglês na população portuguesa? Será desejável dar-lhe toda a prioridade? Estes e outros aspetos constituem a visão que o economista Jorge Fonseca de Almeida propõe num artigo de opinião publicado no jornal digital O Lado Oculto em 3/01/2019, a seguir transcrito com a devida vénia (mantém-se a ortografia do original, a qual é anterior à atualmente em vigor).

A nossa língua na televisão espanhola?
Um concurso (também) na língua da Galiza

«Eu nom sei que tes nos olhos, que se me miras tu matas
matas-me se pr'a mim ris, matas-me quando me falas.»

Assim começa uma canção intitulada Tris Tras, que na voz de Ugia Pedreira, do grupo galego Marful, teve grande sucesso em 2006. Anos mais tarde, Sabela, uma jovem galega das Pontes de Garcia Rodrigues (Corunha), levou esta e outras composições – Benditas FeridasNegro Caravel –  à edição de 2018 de um programa muito popular em Espanha, o concurso Operación Triunfo, cantando-as não em castelhano, mas na língua da Galiza. Escrito pelo professor universitário e tradutor Marco Neves, e publicado pelo portal Sapo 24 em 16/12/2018, transcreve-se um texto em que o autor comenta e realça o significado da participação de Sabela, «uma cantora que anda a usar a língua das Cantigas de Amigo para ganhar um concurso espanhol» (manteve-se a norma ortográfica, anterior ao Acordo Ortográfico de 1990).

Para saber mais sobre a edição de 2018 do referido concurso, ver aqui. E, para apreciar a versão original do grupo Marful, leia-se a letra aqui e assista-se aqui mesmo a um vídeo da BBC Alba, um canal escocês em língua gaélica.