Os 10 anos do Dia da Língua Portuguesa, o topónimo Bornazeiro Cortado e a nova gramática do latim - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Início Aberturas Abertura
Os 10 anos do Dia da Língua Portuguesa, o topónimo Bornazeiro Cortado e a nova gramática do latim
Os 10 anos do Dia da Língua Portuguesa,
o topónimo Bornazeiro Cortado e a nova gramática do latim
Por Ciberdúvidas da Língua Portuguesa 190

1. Festeja-se em 5 de maio o Dia da Língua e da Cultura na Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), que em 2019 completa 10 anos de comemorações. A data – cujo objetivo é mostrar a importância da língua portuguesa como um património cultural comum e a diversidade linguística e cultural dos Estados-membros da comunidade – é marcada por vários eventos (ver programa e também aqui). Com um total de 190 iniciativas na UNESCO e em  56 países, entre os quais Cuba, China e Rússia, no dia 3 de maio, na sede da CPLP, em Lisboa,  a data fica assinalada com uma sessão solene subordinada ao tema "A cultura e a aproximação dos povos da CPLP: realidades, desafios e perspetivas futuras". A ela se associa o “Debate Africano na CPLP”, transmitido em direto pela RDP África e através do portal da CPLP, a partir das 17h00.

Ainda na região de Lisboa, a data é também assinalada no Mercado da Língua Portuguesa, que decorre de 3 a 5 de maio em Cascais, numa iniciativa da União das Cidades Capitais de Língua Portuguesa.

2. No Consultório, levantam-se questões que se concentram em tópicos da sintaxe: na frase interrogativa «quem sou eu?», onde está o sujeito? Como analisar a frase «ele dá pulos de tão contente que está»? Como classificar a construção «seja amanhã ou depois»? Completam esta atualização uma pergunta sobre um caso de redundância num programa de televisão e um comentário sobre o topónimo Bornazeiro Cortado, do concelho de Castelo Branco.

3. Um ponto pode fazer falta, sobretudo na escrita dos numerais ordinais – 1.º, 2.º, 3.º –, de modo a evitar trocas com o sinal em expoente do símbolo °C, que representa o grau Celsius (ler "O grau centígrado: um fóssil terminológico", da autoria do professor Guilherme de Almeida). No Pelourinho, a consultora do Ciberdúvidas Sara Mourato dá conta de mais um caso suscetível de gerar confusão, ocorrido no concurso Joker, transmitido pela RTP1, um dos canais da televisão pública portuguesa. Sobre esta questão, ler "O ponto é ou não obrigatório para marcar uma abreviação?".

4. O estudo da nossa língua não dispensa o do latim, por este constituir a matriz do português e, a par do grego, facultar numerosos radicais para a formação de termos científicos e técnicos. Na Montra de livros, apresenta-se a Nova Gramática do Latim, do professor universitário, tradutor e escritor português Frederico Lourenço.

Recorde-se que o programa Páginas de Português deu igualmente atenção a esta obra, com uma entrevista feita ao próprio autor e transmitida em 7/04/2019.

5. Da atualidade relacionada com a língua portuguesa, fazemos registo:

– do anúncio da construção do novo polo da Escola Portuguesa de Macau, coincidindo com a deslocação que Marcelo Rebelo de Sousa, presidente da República Portuguesa, fez em 1 de maio p. p. à Região Administrativa Especial de Macau, assim concluindo a sua visita à República Popular da China (ver também Abertura de 26/04/2019; sobre o interesse internacional pela aprendizagem a língua portuguesa, leia-se a entrevista que Luís Faro Ramos, presidente do Camões-Instituto da Cooperação e da Língua concedeu ao jornal Mundo Português);

 – em Santiago de Compostela, no dia 4 de maio, da estreia do documentário Pacto de Irmãos, trabalho que reúne os depoimentos de um conjunto de especialistas sobre um texto do século XII descoberto pelo filólogo galego José Souto Cabo há quase duas décadas, na Torre do Tombo (Lisboa), e provavelmente o documento galego-português mais antigo que se conhece (ver a apresentação em vídeo aqui).

 6. As políticas linguísticas na perspetiva da diáspora portuguesa e nos países africanos lusófonos, abordadas pela investigadora Teresa S. Ferreira, do CELGA/ILTEC, são o tema central do programa Língua de Todos, transmitido pela RDP África na sexta-feira, 3/05/2019, depois do noticiário das 13h00* (com repetição no dia seguinte, pelas 9h15*). No programa Páginas de Português, na Antena 2, no domingo, 5/05/2019, às 12h30** (com repetição no sábado seguinte, dia 11 de maio, às 15h30**), uma conversa com a diretora do escritório em Portugal da Organização de Estados Ibero-Americanos (OEI) para a Educação, a Ciência e a Cultura, Ana Paula Laborinho,  e com o responsável do Observatório da Língua Portuguesa, Francisco Ramos, dá relevo ao seminário “Importância da Língua Portuguesa para as Gerações Futuras”, inserido nas comemorações do 10.º aniversário do Dia da Língua Portuguesa e da Cultura na CPLP, em 5 de maio.

 * Hora oficial de Portugal continental, ficando ambos os programa disponíveis posteriormente, aqui e aqui.