Palavras evocativas de Espanha, o português na China, a sua ficção na Guiné Equatorial e o rigor com o bem escrever - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Início Aberturas Abertura
Palavras evocativas de Espanha, o português na China, a sua ficção na Guiné Equatorial e o rigor com o bem escrever
Palavras evocativas de Espanha, o português na China,
a sua ficção na Guiné Equatorial e o rigor com o bem escrever
Por Ciberdúvidas da Língua Portuguesa 157

1. A situação política em Espanha – onde se realizam eleições gerais no domingo, 28 de abril* –, levou um grupo de académicos portugueses a manifestar a sua posição no jornal Público em 23/04/2019. Entre os signatários, um identifica-se como mediólogo – e que significa esta palavra? Como se formou? No Consultório comenta-se a construção deste termo; e aludindo ao lugar-comum de Portugal e Espanha viverem de costas voltadas (o mesmo é dizer «de espaldas», em castelhano), define-se a eventual destrinça entre «virar as costas», com artigo definido, e «virar costas», sem ele. Duas perguntas sobre análise gramatical completam esta atualização: o verbo chover é impessoal ou unipessoal? Em «tua procura», qual é a classe de palavras da forma tua?

* A propósito das eleições espanholas, leia-se a Abertura de 24/06/2016, acerca dos castelhanismos que se ocultam no português. Sobre a influência do castelhano na língua portuguesa literária, convém igualmente consultar os textos "O português como língua de Camões é um mito" (Público, 20/04/2019) e "Saramago, o ibérico" (Expresso, 1/04/2006), ambos disponíveis na rubrica O nosso idioma. Refiram-se ainda outros artigos e respostas: "Os 48 gentílicos de Espanha", "O significado do provérbio 'De Espanha, nem bom vento, nem bom casamento'", "O verbo meter, um caso de empobrecimento vocabular, e a linguagem inclusiva vista de Espanha", "Costa del Sol (esp.), Costa do Sol (port.)" e "O significado do castelhanismo cantera". Na imagem, mapa de Espanha, distinguindo as comunidades autónomas (fonte: "Comunidades autónomas da Espanha", Wikipédia).

2. Tema da atualidade política, também, é a viagem oficial do Presidente português, Marcelo Rebelo de Sousa à República Popular da China de 26 de abril a 1 de maio. Desta deslocação, são pontos do itinerário a capital, Pequim, a cidade de Xangai e a Região Administrativa Especial de Macau, onde a língua portuguesa mantém estatuto oficial.

A respeito da relação linguística (mas não só) de Portugal com a China, recordamos os seguintes artigos e respostas disponíveis no arquivo do Ciberdúvidas: "O português na China", "O português na televisão e na China", "O português em África e na China, do ângulo de Macau", "Português Língua Estrangeira: negócio da China?", "Macau, «enorme ponte virtual» entre a China e a língua portuguesa", "Portugal, o melhor amigo da China". Sobre palavras e expressões alusivos a este país: "Marco Polo e o negócio da China", "Iuane e yuan", "O sufixo -idade e o 'sentimento de ser chinês'", "O hífen em palavras como tinta da China", "O gentílico de Nanquim (China)".

3. Cinco anos decorridos desde a sua entrada como membro de pleno direito da CPLP, como escreve José Manuel Matias, em artigo disponível na rubrica Lusofonias, a  língua portuguesa continua a ser uma ficção na Guiné Equatorial. E não só com responsabilidades do Governo de Malabo.

4. Quem rejeita o Acordo Ortográfico de 1990 segue a norma anterior. Quem o aplica – por exemplo, nos textos produzidos oficialmente – tem todos os meios de consulta para não errar, como lembra a professora Lúcia Vaz Pedro em apontamento escrito para O nosso idioma. Na mesma rubrica, a linguista Ana Sousa Martins revela o quão poupados e discretos são os falantes de português no uso da palavra dinheiro

5. Nas Diversidades, transcreve-se com a devida vénia um texto da jornalista brasileira Carol Castro, que o publicou na revista Galileu, a propósito do que sociedades e países fazem ou não fazem pela vitalidade do idioma que, materno ou não, lhes confere identidade.

6. No programa Língua de Todos, emitido na RDP África, o fenómeno do contacto linguístico em Angola é o tema em destaque numa conversa com Liliana Inverno, investigadora do CELGA-ILTEC (sexta-feira, dia 26/04, depois do noticiário das 13h00*, com repetição no dia seguinte, pelas 09h15). No programa Páginas de Português, da Antena 2, o destaque é o recém-editado livro Contos com Nível – B1,  da autoria de Ana Sousa Martins. No domingo, dia 28/04, às 12h30 *, com repetição no sábado seguinte, dia 4 de maio, às 15h30*).

 * Hora oficial de Portugal continental, ficando ambos os programa disponíveis posteriormente, aqui e aqui.