73 mil topónimos entre 310 mil palavras comuns a cinco países de língua oficial portuguesa - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Início Aberturas Abertura
73 mil topónimos entre 310 mil palavras comuns a cinco países de língua oficial portuguesa
73 mil topónimos entre 310 mil palavras
comuns a cinco países de língua oficial portuguesa
Por Ciberdúvidas da Língua Portuguesa 1K

1. 27 anos depois da assinatura do Acordo Ortográfico pelos então sete países da CPLP e sete anos depois de uma das recomendações do Plano de Ação de Brasília para a Promoção, a Difusão e a Projeção da Língua Portuguesa, o Vocabulário Ortográfico Comum da Língua Portuguesa (VOC) encontra-se já disponível na plataforma do IILP. Não integrando ainda os vocabulários nacionais de Angola, Guiné-Bissau, São Tomé e Príncipe – estes por razões diferentes entre si – e, naturalmente, do caso sui generis da Guiné Equatorial, Estado-membro também da CPLP, desde 2014 – conta, por agora, com cerca de 310 mil vocábulos. Desses, 73 mil são topónimos de todos os países envolvidos. Como damos conta na rubrica Notícias – e segundo declarações da linguista Margarita Correia, da equipa central do VOC, ao correspondente da agência Lusa, na capital de Cabo Verde –, trata-se, pois, de um «projeto aberto», em que, «a qualquer momento, novas palavras podem ser acrescentadas, incluindo dos três países lusófonos ainda em falta e com cada país a desenvolver ou atualizar o seu vocabulário.»

2. Da presente atualização do Ciberdúvidas assinalamos, entretanto:

• Um apontamento da professora Arlinda Mártires na rubrica Pelourinho, em alusão a um vídeo com o músico brasileiro Caetano Veloso, intitulado «Deitaram meu gerúndio fora». O desafio do ex-ministro português das Finanças e da Educação Guilherme d’Oliveira Martins, atual administrador da Fundação Calouste Gulbenkian, para os professores combaterem os “resumos” de obras literárias e a porem as crianças a ler escritores de língua portuguesa para melhorar o domínio do idioma.

• Cinco novas respostas no consultório [vide registo nos Destaques].

3. Uma dessas respostas esclarece o uso e o significado da palavra tríduo. E, já agora, a propósito do tão festejado pelos seus adeptos tetracampeonato de futebol do Benfica: qual é, afinal, o sentido preciso do elemento de formação tetra? Uma antiga controvérsia, a pretexto de outros dois clubes portugueses com igual sucessão de títulos ganhos, não podia ser mais atual. Aqui, aqui e aqui. E também aqui.

4. Ainda dois registos de impacto mediático em Portugal:

• A «tolerância de ponto» concedida pelo Governo português aos funcionários públicos coincidente com a visita do papa Francisco a Fátima levou muitas notícias a equivalerem o termo a um feriado. Nada disso, como se esclarece aqui.

• A vitória, pela primeira vez, de um cantor português no festival da Eurovisão 2017. Cantando em português para 26 países, com recordes acrescidos de audiência, Salvador Sobral protagonizou outro feito: foi o representante de Portugal com mais pontuação de sempre, vencendo tanto na votação do júri como na do público.

5. Finalmente, uma chamada de atenção para o tema do ilha da Madeira, no 9.º episódio da nona série do magazine televisivo Cuidado com a Língua!, regressando um mês depois da sua última emissão. Na terça-feira, dia 16/05, na RTP 1, às 21h00*.

* Hora oficial de Portugal Continental, com repetição nos canais internacionais da RTP (ver aqui), ficando também disponível na sua página oficial. Outras informações, aqui.