Guilherme d'Oliveira Martins - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Guilherme d'Oliveira Martins
Guilherme d'Oliveira Martins
1K

Guilherme d'Oliveira Martins (Lisboa, 1952), admnistrador da Fundação Calouste Gulbenkian, presidente do Centro Nacional de Cultura, professor universitário e político português.

 
Textos publicados pelo autor
O inesquecível Eça
Portugal concede honras de Panteão Nacional ao escritor

«A aprovação por unanimidade pela Assembleia da República da resolução que visa conceder honras de Panteão Nacional a José Maria Eça de Queiroz constitui um ato de elementar reconhecimento em relação a quem é referência indiscutível das culturas de língua portuguesa.» Palavras de Guilherme d'Oliveira Martins acerca das honras de Panteão Nacional concedidas a Eça de Queirós.

Artigo publicado no Diário de Notícias no dia 19 de janeiro de 2021. Mantêm-se as grafias Queiroz e queiroziana, usadas pelo autor.

Serviço público da língua portuguesa

«A língua portuguesa tem uma difusão planetária», recorda neste texto* o antigo ministro da Educação português e atual administrador da Fundação Calouste GulbenkianGuilherme d'Oliveira Martins, avisando: «Tal obriga [a] que as instituições de ensino superior e de investigação, em especial as que se dedicam à cultura e à defesa do nosso idioma, desenvolvam ações articuladas, coerentes e persistentes, em ligação com os Estados que usam o português como língua oficial, bem como com as instituições da sociedade civil, no sentido de pôr em comum as ações necessárias com vista à preservação, salvaguarda e desenvolvimento da língua e da cultura. (...)»

* in jornal Público de 26/09/2016

«Tudo começou pela linguagem. Entre os mais antigos vestígios humanos, contam-se os poemas escritos e compilados nos Vedas, em sânscrito, uma língua que desceu com os Arianos das vertentes ao sul dos Himalaias, seguindo o curso do Indo e do Ganges.»

António José Saraiva, O que é a Cultura?

A pátria é a língua. Dói, por isso, ver os maus-tratos que sofre o português, um pouco por toda a parte, no dia a dia, na escrita, na rádio, na televisão ou nos discursos de muitos responsáveis. ...