Antiabuso e as regras do uso do hífen,conforme o Acordo Ortográfico - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Antiabuso e as regras do uso do hífen,
conforme o Acordo Ortográfico

Venho pelo presente colocar uma questão quanto ao novo Acordo Ortográfico, que é a seguinte: qual a redação atualmente correta da palavra "anti-abuso"?

Obrigado.

Alexandre Ferreira Estudante Lisboa, Portugal 8K

Escreve-se sem hífen: antiabuso.

Com o Acordo Ortográfico, comparando com a reforma de 1945 as regras o uso do hifen ficaram com uma melhor sistematização e coerência de critérios, nomeadamente com os prefixos de origem latina e grega.

É o caso do anti-, que só manteria o hífen se o segundo elemento começasse por h (anti-higiénico/higiênico) ou pela mesma vogal (anti-imperialista) – conforme o estabelecido na Base XVI ("Do hífen nas formações por prefixação, recomposição e sufixação"). Na nova reforma as restantes regras para o uso do hífen englobam ainda as relacionadas para os compostos, locuções e encadeamentos e com a ênclise, a tmese, ou mesóclise, e com o verbo haver.

Concretizando1:

Casos em que se deve usar hífen:

1. Quando o segundo termo iniciar por h.

•    Anti-higiênico, extra-humano, super-homem, micro-história.

2. Quando o prefixo terminar com a mesma consoante que se inicia o segundo termo.

•    Inter-relação, super-realista, hiper-racionaliza, hiper-romântico.

3. Usa-se hífen após o prefixo sub se o próximo termo iniciar com r.

•    Sub-regional, sub-raça, sub-racial, sub-região, sub-rubrica.

4. Caso o prefixo termine em vogal e o segundo termo comece com essa mesma vogal.

•    Anti-inflamatório, anti-inflacionário, micro-ondas, micro-organismo, auto-observação, contra-ataque.

5. Quando o segundo termo iniciar em m, n e vogal tendo como prefixos circum e pan.

•    Pan-americano, circum-navegação.

6. Emprega-se hífen com os prefixos além, aquém, ex, pré, pró, pós, recém, sem, soto e vice.

•    Pré-história, recém-nascido, pós-operatório, vice-governador, ex-mulher, soto-mestre, sem-teto.

7. Quando os sufixos tiverem origem tupi.

•    Capim-açu.

8. Para formar a união de palavras que se combinam por ocasião.

•    Ponte Rio-Niterói, Negociações China-EUA.

9. Algumas palavras continuam com sua acentuação própria, por isso a exigência do hífen.

•    Médico-cirurgião, sexta-feira, rosa-claro.

10. Em palavras relacionadas a espécies botânicas e zoológicas.

•    Beija-flor, couve-flor, erva-doce, pimenta-do-reino.

11. Em nomes próprios de lugar iniciados por grã e grão.

•    Grã-Bretanha.

12. Em elementos ligados por artigo.

•    Baía de Todos-os-Santos

Casos em que NÃO se deve utilizar hífen:

1. Quando o primeiro termo iniciar com des- e in- e o segundo termo perder o h do início da palavra.

•    Inumano, desumano.

2. Quando o prefixo terminar em vogal e o segundo termo iniciar com r ou s, dobra-se as consoantes citadas.

•    Autorregulamentação, cosseno, extrasseco, ultrarromântico, antissocial, contrarreforma.

3. Quando o prefixo terminar em vogal e o segundo termo iniciar com consoante diferente de r ou s.

•    Autopreparação, microcomputador, autopeça, extraforte.

4. Quando o prefixo terminar em vogal diferente da vogal que o segundo termo se inicia:

•    Autoescola, infraestrutura, extraescolar, autoajuda.

[Atenção! O prefixo co une-se, geralmente, ao segundo termo, mesmo se este começar com o. Exemplos: coordenador, cooperar.]

5. Quando o prefixo terminar com consoante e o segundo termo iniciar com vogal ou consoante diferente do primeiro termo.

•    Hipermercado, superamigo, hiperativo, superinteressante.

6. Palavras que perderam a noção de composição não têm mais hífen.

•    Mandachuva, paraquedas, pontapé.

7. As locuções substantivas, adjetivas, adverbiais, pronominais, conjuncionais ou prepositivas perderam o hífen.

•    Fim de semana, café com leite, cartão de visita.

1 Transcrito, com a devida vénia, da página brasileira Cola da Web.

 

Cf. Guia para a Nova Ortografia da Língua Portuguesa + O uso do hífen (Porto Editora) + Guia Prático da Nova Ortografia (Dicionário Michaelis) + Hífen (Abril.com) + Reforma Ortográfica

 

N.E. – Sobre os critérios de hifenização depois do Acordo Ortográfico de 1990, acompanhe-se a explicação do gramático brasileiro Sérgio Nogueira em registo de vídeo:

 

José Mário Costa
Tema: Acordo Ortográfico Classe de Palavras: adjectivo