O sujeito e o predicativo do sujeito na frase «A personagem principal é a Sementinha» - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
O sujeito e o predicativo do sujeito
na frase «A personagem principal é a Sementinha»

Na frase «A personagem principal é a Sementinha», qual é o sujeito?

Na minha opinião o sujeito é «a Sementinha» já que «a personagem principal» é o predicativo de sujeito.

No entanto, na correção proposta pelo manual de Português do meu filho, a resposta é precisamente o contrário. Como pode um nome próprio, neste caso Sementinha (da obra de Alves Redol), ser um predicativo de sujeito?

Agradeço os vossos esclarecimentos.

José Sousa vendedor Porto, Portugal 373

Na frase em questão, o constituinte «A Sementinha» desempenha a função sintática de sujeito, enquanto o constituinte «personagem principal» será predicativo do sujeito.

A frase apresentada é um caso de oração copulativa identificadora, que se caracteriza por «identificar um indivíduo como portador de uma propriedade individual» (cf. Raposo et al., Gramática do Português. Fundação Calouste Gulbenkian, aqui).

Este tipo de orações copulativas caracteriza-se por poder apresentar dois tipos de estruturas equivalentes: SUJEITO + SER + PREDICATIVO DO SUJEITO ou PREDICATIVO DO SUJEITO + SER + SUJEITO. As frases que permitem este tipo de inversão designam-se equativas. A dificuldade que estas frases oferecem tem a ver com a identificação da função sintática desempenhada pelos seus constituintes: qual é o sujeito e qual é o predicativo do sujeito? Uma das formas de identificar as funções sintáticas passa por determinar qual a frase que está na ordem canónica e qual a que se encontra na ordem inversa. Para ajudar nesta identificação, podemos usar dois testes1 que permitem identificar a frase que se encontra na ordem canónica:

(i) teste da clivagem: este teste usa a construção SER…QUE para colocar o foco num elemento da frase; nas frases na ordem inversa não é possível colocar o foco no constituinte à esquerda do verbo:

(1) É a Sementinha que é a personagem principal?»

        (2) «*É a personagem principal que é a Sementinha?»

Como se pode observar a frase (2) não admite clivagem, o que indica que a frase «A Sementinha é a personagem principal» será a canónica;

(ii) teste do redobro do sujeito: neste teste, o pronome retoma o sujeito da frase canónica:

(3) «A Sementinha… ela é a personagem principal.»

(4) «?/*A personagem principal… ela é a Sementinha.»

Os resultados apontam para a estranheza ou mesmo a inaceitabilidade da frase (4), o que confirma que a frase (3) apresenta a estrutura canónica.

Assim, a ordem canónica da frase será:

(5) «A Sementinha é a personagem principal.»

Este facto permite-nos concluir que o constituinte «A Sementinha» desempenha a função sintática de sujeito, enquanto o constituinte «personagem principal» será predicativo do sujeito. 

Acresce que as copulativas identificadoras se caracterizam por o predicativo do sujeito atribuir ao sujeito uma propriedade individual, que o caracteriza. No caso da frase apresentada, a Sementinha é identificada como sendo portadora da propriedade de ser «a personagem principal», o que vem reforçar a interpretação de «A Sementinha» como sujeito da frase.

É importante referir, todavia, que não se deve depreender da análise apresentada que os nomes próprios serão sempre sujeito numa frase copulativa. Com efeito, como afirma Eduardo Raposo, «Os nomes próprios também podem funciona com valor predicativo nas orações copulativas identificadoras, o que mostra que têm um valor descritivo» (Gramática do Português, p. 1325). O autor apresenta como exemplo a frase que aqui reproduzimos em (6):

(6) «Ele é o Pedro.»

É importante referir ainda que as frases equativas são complexas, estando a sua análise adequada à reflexão desenvolvida no ensino superior. No ensino básico será preferível começar por trabalhar as frases copulativas atributivas que têm uma estrutura SUJEITO (Nome) + SER + PREDICATIVO DO SUJEITO (adjetivo), por exemplo. 

Finalmente, não esqueçamos que a análise das funções sintáticas nas frases copulativas não é um assunto pacífico, pelo que será possível identificar posições distintas das que aqui se defendem. 

Disponha sempre! 

1. Testes selecionados com base em Oliveira, M., Frases copulativas com ser: Natureza e estrutura. Dissertação de mestrado em linguística descritiva portuguesa, 2001.

Carla Marques
Classe de Palavras: substantivo
Áreas Linguísticas: Semântica; Sintaxe Campos Linguísticos: Funções sintácticas