Modificador restritivo do nome e não complemento do adjetivo - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Modificador restritivo do nome e não complemento do adjetivo

«Uma das bibliotecária aproximava-se, segurando com as duas mãos uma caixa vermelha de capa dura». Na análise sintática desta frase, um manual escolar do 10º ano identifica o segmento de capa dura como complemento do adjetivo. Não consigo entender essa classificação. Será que me podem ajudar?

Muito obrigada.

Francisca Santos Estudante Porto, Portugal 806

      O segmento de capa dura funciona na frase como modificador restritivo do nome. Este limita, restringe a realidade referida pelo nome que modifica, neste caso, caixa. A caixa não é uma qualquer, é a vermelha de capa dura (Aliás, vermelha é também modificador).

      O modificador restritivo pode ser realizado, entre outros, por um grupo adjetival (no caso de vermelha) e por um grupo preposicional (no caso de capa dura).
 

      O complemento do adjetivo é selecionado por um adjetivo, isto é, «há adjetivos que precisam de um constituinte que complete a sua significação.

Ex.: capaz de tudo; doente por futebol; parecido com o pai» (in Gramática de português, de Maria Regina Rocha, Porto Editora, 1ª ed., p. 125)

      No caso da frase em análise, o constituinte de capa dura não foi selecionado pelo adjetivo vermelha, de capa dura limita a definição da caixa, tal como vermelha

      Assim, o manual a que a consulente se refere apresenta uma incorreção, talvez resultado de gralha tipográfica.

Maria Eugénia Alves
Tema: TLEBS
Áreas Linguísticas: Sintaxe