Concordância verbal com um sujeito composto - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Concordância verbal com um sujeito composto

«A disposição dos móveis, os enfeites de cristal, as estatuetas de bronze, tudo isso e o mais que não me ficou na memória, cumpria bem a finalidade de dar requinte à peça.»[1]

No período acima, poderia o verbo cumprir fazer a concordância canônica no plural (já que há claramente dois núcleos de sujeito: «tudo isso e o mais...»)?

Qual regra que se aplica no caso de concordância no singular?

Obrigado.

 

[1 N.E. – A pedido do consulente, a pontuação da frase foi ligeiramente alterada. Na versão inicial, apresentava-se uma vírgula antes de «cumpria». A resposta tem em conta a versão sem vírgula, mas segue-se-lhe uma nota de comentário à nova frase.]

Fernando Bueno Engenheiro Belo Horizonte, Brasil 242

Na frase apresentada, estamos perante um sujeito composto, como o prezado consulente afirmou.

A regra aponta para a necessária concordância com uma forma plural do verbo, que seria então a forma cumpriam, pois o sujeito seria «A disposição dos móveis, os enfeites de cristal, as estatuetas de bronze»:

(1) «A disposição, dos móveis, os enfeites de cristal, as estatuetas de bronze cumpriam bem a finalidade de dar requinte à peça.»

Os elementos da frase que se encontram entre vírgulas («tudo isso e o mais que não me ficou na memória») podem ser suprimidos sem afetar a gramaticalidade da frase.

No entanto, penso que, com uma vírgula suplementar, poderíamos fazer de «tudo isso» o núcleo do sujeito e assim manter a forma singular do verbo. Isto acontece porque a enumeração de grupos nominais é resumida pelo pronome /determinante tudo, que condicionará a concordância, tal como aconteceria com palavras similares como nada ou ninguém.

(2) «A disposição dos móveis, os enfeites de cristal, as estatuetas de bronze, tudo isso, e o mais que não me ficou na memória, cumpria bem a finalidade de dar requinte à peça.»

De modo que estariam no mesmo patamar estas duas falhas: ou a forma plural, ou a vírgula. Tal como está a frase, porém, sinto-me tentado a dar toda a razão ao consulente.

 

 

N. E. (11/11/2019) – Conforme se assinala na pergunta, em nota, a pontuação da frase, a pedido do consulente, foi entretanto alterada conforme se segue: ««A disposição dos móveis, os enfeites de cristal, as estatuetas de bronze, tudo isso e o mais que não me ficou na memória, cumpria bem a finalidade de dar requinte à peça.» Sobre esta nova versão, o autor da resposta observa: «Se a frase tiver esta apresentação, então estaríamos na presença, formalmente, de uma enumeração, i.e., uma listagem de elementos equivalentes formando um longo sujeito composto. Mas, partamos do princípio de que a frase que realmente interessa seja: "Tudo isso e o mais que não me ficou na memória "cumpria" bem a finalidade de dar requinte à peça." Neste caso, seria necessário recorrer a uma forma de plural (cumpriam), pois, mesmo que a palavra tudo, antecedida do pronome demonstrativo, funcione como quantificador universal (capaz de resumir toda a enumeração), não engloba semanticamente um outro conjunto designado pela expressão «o mais que não me ficou na memória», e, formalmente, através da conjunção e, ambos os segmentos são colocados ao mesmo nível sintático (parataxe).»

 

Diamantino Antunes
Tema: Uso e norma Classe de Palavras: verbo
Áreas Linguísticas: Ortografia/Pontuação; Semântica; Sintaxe Campos Linguísticos: Funções sintáticas; Concordância