Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Coesão lexical e coesão gramatical

A fronteira entre a coesão referencial e a lexical nem sempre é fácil! Surgiu-me uma dúvida em relação ao tipo de coesão que o termo «livros» configura no seguinte enunciado:

«Esta publicação do autor inclui várias poesias cuja escrita corresponde ao tempo de publicação dos seus livros, desde Peregrinação até Exorcismos e Conheço o Sal, mas que não foram incluídos neles.»

Tratando-se de um hiperónimo, o vocábulo «livros» aponta para uma coesão lexical, mas não poderá considerar-se uma catáfora lexical, tendo em conta que há uma clarificação dessa realidade logo a seguir, quando se explicita os títulos dos livros? Neste sentido, tratar-se-ia de uma cadeia de referência, pelo que já não se poderia tipificar como coesão lexical.

Qual a vossa opinião?

Mónica Sanches Professora Fânzeres, Gondomar, Portugal 377

     Se consultarmos o Dicionário Terminológico, verificamos que tanto a coesão lexical como a coesão referencial, designada por cadeias de referênciaconstituem procedimentos que contribuem para a coesão textual.

    A diferença entre ambas é que a primeira se socorre de «reiterações e substituições lexicais», aquilo que, na TLEBS, se designava de «Mecanismo de coesão textual que envolve a repetição da mesma unidade lexical ao longo do texto ou a sua substituição por outras unidades lexicais que com ela mantêm relações semânticas de natureza hierárquica (hiponímiahiperonímia) ou não hierárquica (sinonímiaantonímia).», enquanto a segunda «pode ser constante (por exemplo, D. Afonso Henriques, e com a maior parte dos usos de nomes próprios) ou variável (por exemplo, "eu", "hoje", "isso"), sendo, neste caso, fixada através de processos de deixis ou anáfora.»* 

Assim, a coesão referencial é um mecanismo de coesão gramatical** que pode ser assegurada por vários meios, nomeadamente a catáfora, na qual os pronomes, determinantes ou advérbios antecedem o seu referente:«Essa é muito inteligente, a jovem de cabelo curto.»*

   Pelo exposto, no enunciado em análise encontramos uma situação de coesão lexical.

 

*in Dicionário Terminológico

**in Programa e Metas Curriculares de Português - Ensino Secundário, p.21

Aura Figueira