O uso idiomático de nariz, o conceito de lusofonia, questões de sintaxe, uma Casa Portuguesa em Espanha e o Dia Mundial da/do Rádio - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Início Aberturas Abertura
O uso idiomático de nariz, o conceito de lusofonia, questões de sintaxe, uma Casa Portuguesa em Espanha e o Dia Mundial da/do Rádio
O uso idiomático de nariz, o conceito de lusofonia, questões de sintaxe,
uma Casa Portuguesa em Espanha e o Dia Mundial da/do Rádio
Por Ciberdúvidas da Língua Portuguesa 195

1. De «ser senhor/senhora do seu nariz» a «meter o nariz em tudo» vai a distância da assertividade à intromissão. Denotando esse elemento essencial de qualquer silhueta, a palavra nariz perfila-se também nas muitas expressões idiomáticas a que dá pitoresco. Em O nosso idioma, a linguista Carla Marques, consultora permanente do Ciberdúvidas, textualizando criativamente os seus usos, faz o inventário de tais expressões.

2.  No consultório, três perguntas centram-se em problemas de sintaxe, sempre muito presentes entre a população escolar, como sejam a identificação de orações que são complementos de nomes, adjetivos e verbos, a análise de frases em que ocorram locuções conjuncionais descontínuas e a descrição de regências verbais. Comenta-se também a pontuação a empregar com um marcador discursivo. E porque na língua se inscreve a história social, sonda-se a origem e a etimologia de um topónimo do norte de Portugal.

3. Que terá que ver o conceito associado ao termo lusofonia com a palavra portugalidade, tão mitificada no Portugal do Estado Novo e das últimas décadas do seu império colonial? Nos dias de hoje, numa perspetiva intercultural, pós-colonial, deseja-se que nada, como se assinala na Montra de Livros, na recensão que José Manuel Matias faz de Da Portugalidade à Lusofonia, de Vítor Sousa, uma obra que lança pistas de reflexão e aponta caminhos para a convivência entre os países em que o português tem estatuto oficial.

4. Entre atividades que levam a aprofundar, promovendo, o conhecimento da língua quer no presente, quer na diversidade do seu património, salientem-se:

– No âmbito da formação ao longo da vida, a sessão que a Universidade Sénior de Almada organizou na suas instalações em 11/02/2019, tendo por convidado o professor universitário e tradutor Marco Neves, que falou do seu mais recente livro, Dicionário de Erros Falsos e Mitos do Português (ver Montra de livros e Notícias).

– Em Espanha, o destaque dado pelo programa Una Casa Portuguesa, do canal Radio 5 da RTVE, ao projeto académico Frontespo, que estuda questões da vida tradicional, etnográfica e linguística da fronteira luso-espanhola – a chamada Raia. Saliente-se que o Casa Portuguesa consiste num breve apontamento sobre a cultura de Portugal, geralmente pondo os ouvintes espanhóis em contacto com muito do que se canta em português.

5. Quanto aos programas produzidos pelo Ciberdúvidas para a rádio pública portuguesa, refira-se que o A Língua de Todos* (emitido pela RDP África) se centra numa entrevista com a professora Cristina Vieira da Silva, da Escola Superior de Educação de Paula Frassinetti, do Porto, sobre a formação de professores de português do 1.º e 2.º ciclos do Básico e a necessidade de os dotar de profundos conhecimentos de gramática. No Páginas de Português* (na Antena 2), propõe-se uma conversa com a professora Mariana Oliveira Pinto da Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Setúbal sobre a relação entre a compreensão do funcionamento da língua e o desenvolvimento de competências de escrita.

* A Língua de TodosRDP África, sexta-feira, 15 de fevereiro, 13h15, com repetição no sábado, dia 16 de fevereiro, depois do noticiário das 9h00. Páginas de PortuguêsAntena 2, 17 de fevereiro, 12h30, com repetição no sábado seguinte, dia 23 de fevereiro, pelas 15h30. Hora oficial de Portugal continental, ficando ambos os programa disponíveis posteriormente, aqui e aqui.

6. Um registo final para o Dia Mundial da Rádio**, comemorado em 13 de fevereiro, data que foi escolhida porque, em 1946, a Rádio das Nações Unidas (United Nations Radio) emitiu pela primeira vez um programa para um grupo de seis países (mais informação aqui). Sobre este tópico, leiam-se os seguintes artigos e respostas: "A rádio e o rádio", "O português na rádio e na TV", "Falar mal na rádio e na TV", "Radiouvinte", "Pela língua portuguesa, na rádio e na televisão".

**  No Brasil, rádio é um substantivo masculino – tanto no sentido de «aparelho emissor ou receptor de telegrafia e de telefonia sem fios», como «estação radiodifusora que transmite programas de entretenimento, educação e informação pelo sistema de ondas hertzianas» (= emissora, rádio emissora). Etim. red. de radiofonia .