Marco Neves - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
 
Textos publicados pelo autor
Imagem de destaque do artigo

A lenta evolução das palavras acontece de forma discreta mas efetiva, como nos explica Marcos Neves no seu artigo.Por vezes, é necessário observar a percurso da palavra ao longo de séculos para identificar os processos de erosão, alteração, supressão ou inserção que vão tendo lugar, operados pelos falantes de forma natural e inconsciente. O autor convida-nos a refletir sobre a história das palavras, seguindo de perto a evolução das palavras paifilho, desde o proto-indo-europeu às línguas atuais, no sentido de mapear não só a mudança fonológica como também a semântica (inclusive a mais embaraçosa).

Imagem de destaque do artigo
Sobre a variação histórica e contemporânea da língua portuguesa

Uma perspetiva do tradutor Marco Neves sobre a proximidade e as tendências de afastamento entre o português de Portugal, o português do Brasil e o galego (texto publicado no blogue Certas Palavras em 1/11/2018; todas as imagens provêm do original).

Imagem de destaque do artigo
(mas não digam a ninguém)

Os palavrões «são armas mentais», defende o tradutor e professor universitário português Marco Neves. Neste artigo que escreveu no seu blogue Certas Palavras, no dia 3/01/2016, demonstra que estas palavras existem desde sempre e estão presentes em todas as sociedades, veiculando carga emocional. 

Imagem de destaque do artigo
Paradoxos dos diminutivos

Uma palavra que inclua um sufixo de diminutivo – por exemplo, beijinho – será necessariamente incompatível com o adjetivo grande? O professor e tradutor  Marco Neves tem bons argumentos para achar que não e defender a legitimidade da expressão «um beijinho grande» neste apontamento publicado em 18/10/2018 no blogue Certas Palavras.

Imagem de destaque do artigo

«No caso de "Volta à França", o nome é mais usado assim, com acento, embora também encontre, nalguns jornais, o uso de "Volta a França". Curiosamente, pronunciamos sempre da mesma maneira, pois mesmo sem artigo os dois "aa" ali seguidos transformam-se numa vogal aberta. Coisas da língua falada. (...)»

[Marco Neves, no blogue http://www.certaspalavras.net/volta-a-franca-e-erro-de-portugues/ Certas Palalavras, 4 de julho de 2018]