Marco Neves - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
 
Textos publicados pelo autor
A origem da palavra <i>verão</i>
Em Portugal e noutros países europeus
21 de junho, início do verão no hemisfério Norte, como é o caso de Portugal. Onde fomos buscar o nome da estação – pergunta e responde neste apontamento* o tradutor e professor universitário Marco Neves
 
* Texto transcrito, com a devida vénia, do blogue Certas Palavras, com o título original "Qual a origem da palavra Verão" (Verão com maiúscula, segundo a norma ortográfica de 1945, seguida pelo autor). Publicado, também, na plataforma SAPO 24, com a data de 21/06/2022.
O que perdemos quando morre uma língua?
A propósito do dálmata

«[...] A morte duma língua é a morte do mundo inteiro. Na verdade, o mundo morre sempre que morre alguém…» A propósito da história da língua dálmata (língua latina falada na Dalmácia, na costa da atual Croácia) e do seu desaparecimento, partilha-se um artigo de Marco Neves publicado no blogue Certas Palavras em 15 de fevereiro de 2018. Texto que se transcreve com a devida vénia, mantendo a ortografia original (a do acordo de 1945).

Antigamente é que se escrevia bem!
Um mito da língua portuguesa

«Olhamos para o passado e, de todos os textos de quem escrevia (e eram poucos os que sabiam fazê-lo), só vemos os textos que sobreviveram ao turbilhão do tempo, só nos lembramos dos bons textos.» A propósito de certos mitos sobre o uso da língua, um artigo de Marco Neves incluído no blogue Certas Palavras em 5 de abril de 2021. Texto que se transcreve com a devida vénica, mantendo a ortografia original (a do acordo de 1945).

 

Qual era o país de Camões?
História da palavra país

«[País é] uma palavra relativamente recente [que] começou por ser equivalente a terra e, ao longo dos últimos séculos, passou a significar «estado independente» – observa o professor universitário e tradutor Marco Neves a respeito da história da palavra país na língua portuguesa. Artigo publicado no blogue Certas Palavras em 19 de maio de 2022, que aqui se transcreve com a devida vénia, mantendo a ortografia de 1945, que é a adotada pelo autor.

Português de A a Z
Armadilhas e Maravilhas da Língua
Por Marco Neves

Construído, segundo o seu autor, «para servir de ferramenta a quem escreve», Português de A a Z: Armadilhas e Maravilhas da Língua é o mais recente livro de do tradutor e professor universitário Marco Neves e proporciona uma viagem rigorosa e atrativa pela língua portuguesa.

Organizado por temas estruturados em torno das letras do alfabeto, o livro oferece uma abordagem da língua portuguesa, desde a sua acentuação, «A – Acentos e sinais», até à origem do alfabeto, «Z – Z, cedilhas e invenção das letras», com um «X – [Censurado]», dedicado ao palavrão. O jogo entre a forma do X e o sinal usado para designar as incorreções, por exemplo, num teste, permitiu ao autor reservar o tema da letra P «P – Pronomes: antes, no meio ou no fim?» para uma referência à utilização do pronome pessoal e sua posição relativamente ao verbo a que se liga.

A preocupação com o registo escrito perpassa ao longo da obra, com alertas nem sempre de fácil acesso em outras obras, como alguns aspetos da numeração «B – Biliões e outros números» e das siglas e abreviaturas «R – Recortar palavras». A própria estruturação do texto merece destaque na letra «E – Escrever (em cinco passos)», que, de certa forma, vai ser complementado com o que é dito nos capítulos subsequentes «F – Frases na oficina» e «G – Gramática e termos úteis», de que destacaríamos a breve referência à «Regra de etiqueta» apresentada num subcapítulo com o mesmo nome e focando a atitude a ter face a determinados vocábulos cujo uso generalizado na oralidade não é sinónimo de aceitação num texto formal.

A problemática da tradução de termos como saudade «I – Intraduzibilidade da saudade» é abordada com destaque para o facto de a tradução se não fazer palavra a palavra, mas frase a frase o que permite a transmis...