Dicionário de Erros Falsos e Mitos do Português - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Dicionário de Erros Falsos e Mitos do Português
Marco Neves
Guerra e Paz, 2018 2K   

Um livro  que bem pode classificar-se como um antidicionário de dificuldades da língua. Depois de 12 Segredos da Língua Portuguesa, o professor universitário e tradutor português  Marco Neves faz nova incursão no mundo do prescritivismo gramatical, para, ao modo dos muitos guias publicados na última década em Portugal, acabar por contrariar uma a uma várias ideias feitas sobre o português e outras línguas naturais.

Trata-se de uma obra na sua maior parte preenchida por um conjunto de 41 secções, cada qual dedicada a uma expressão ou construção supostamente incorreta, como seriam os casos de «beijinhos grandes», «o comer», «fazer a barba», «já agora», «mal e porcamente», entre outros. Configura-se, assim, um reportório de erros, afinal, inventados deliberada ou inconscientemente – os «erros falsos» do título –,  em cujo comentário por vezes se intercala a desmontagem de 12 mitos sobre a linguagem e os seus estudos. Uma introdução e um glossário precedem esta lista, seguida ainda de um epílogo que revela como os pseudoerros, sem serem um exclusivo do contexto português, têm igualmente levantado barreiras sociais noutros domínios linguísticos – o do inglês não é exceção. As notas facultam de forma concisa informação bibliográfica útil, que permite aceder ao essencial da discussão em torno da natureza do fenómeno linguístico e da sua regulação em sociedade; o índice remissivo final facilita a consulta. É deste modo que, ao longo de mais de duzentas páginas, o autor vai tomando posição contra os «cultores da tal norma curta», quando declara, por exemplo, na p. 50:  «No fundo, o que estou aqui a defender é que sejamos mais abertos à língua toda, menos insistentes num uso limitado e pouco arriscado da mesma, mais decentes na forma como encaramos os outros. A língua,  a literatura e os nossos dias só têm a ganhar.»

Dicionário de Erros Falsos e Mitos do Português (editora Guerra & Paz) é um livro estimulante – e também bem-sucedido no intuito de divulgar junto dos seus leitores o que hoje se sabe sobre o funcionamento das línguas, assim contribuindo para um uso crítico, mais consciente, do português oral e escrito.

Carlos Rocha

 

N. E. – Sobre esta obra, leia-se também o texto intitulado "Queria um copo de água, depois vou fazer a barba", que o jornalista português Nuno Pacheco assinou no Público de 23/11/2018. E, ainda, do próprio autor, o apontamento O que é um erro falso de português?