Complementos do nome e modificador restritivo do nome: sorriso, viagem e livro - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Complementos do nome
e modificador restritivo do nome:
sorriso, viagem e livro

Um dos critérios para se distinguir o complemento de nome é ser selecionado por um nome deverbal. Neste caso, se o verbo de onde deriva o nome for intransitivo, continua-se a considerar que exige um complemento? Por exemplo: «a construção da ponte» (verbo transitivo direto = «construir algo»); «a viagem marítima» (viajar é intransitivo, se bem que reconheço que pode também ser transitivo indireto...).; «o sorriso da Maria é lindo».

Ainda... na frase: «o livro que me deste é muito interessante», a oração relativa tem função sintática de complemento do nome, ou modificador restritivo? Consideram que «livro» exige complemento?

Grata.

Fátima Gomes Professora Braga, Portugal 2K

O complemento de um nome (no caso, sorriso) pode também relacionar-se com a transposição do sujeito do verbo transitivo correspondente (sorrir). É, portanto, adequado dizer que «da Maria» é complemento do nome na expressão «o sorriso da Maria»: «A Maria sorri» → «o sorriso da Maria».

Em relação a «viagem marítima», o adjetivo marítima tem a função de complemento do nome, porque pressupõe o uso transitivo indireto de viajar: «viajar por mar» [«por mar» = complemento oblíquo] → «viagem marítima».

Finalmente, a oração subordinada adjetiva relativa restritiva «que me deste» é um modificador restritivo. Não se trata de um complemento do nome, porque, se assim fosse, deveria remeter para as características semânticas de livro, as quais pressupõem uma atividade e o seu resultado (o próprio livro); nessa atividade contam-se: a) um autor; b) o tema, o tópico ou o assunto que organizam o texto do livro. Como a oração «que me deste» não se enquadra nem em a) nem em b), depreende-se que não pode ser senão um modificador restritivo.

Carlos Rocha
Tema: Uso e norma Classe de Palavras: substantivo
Áreas Linguísticas: Léxico; Sintaxe Campos Linguísticos: Semântica nominal; Funções sintácticas