Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Início Aberturas Abertura
Nos 21 anos do Ciberdúvidas
Nos 21 anos do Ciberdúvidas
Por Ciberdúvidas da Língua Portuguesa 399

1. A 15 de janeiro de 1997 nascia o Ciberdúvidas da Língua Portuguesa. 21 anos decorridos, seja-nos permitido realçarmos a singularidade deste projeto em todo o espaço de língua oficial portuguesa, desde a sua criação. Assente na filosofia de um verdadeiro jornal – espaço simultaneamente noticioso, de esclarecimento, reflexão e polémica sobre o idioma comum de oito povos, em toda a sua diversidade histórica e geográfica (e com essas áreas, de informação e opinião, sempre delimitadas). Contando, à data, no seu arquivo com cerca de 45 mil respostas e outros textos sempre disponíveis, dos mais diversificados sobre o português escrito e falado, não tem sido isento de dificuldades a manutenção deste serviço  público, gracioso e universal, sem quaisquer apoios senão a generosidade dos seus consulentes mais dedicados. A eles, e ao grupo de consultores que garantem o regular funcionamento do consultório, o nosso bem-hajam. 

2. Na atualização deste dia*, deixamos em linha 10 novas respostas. Entre elas, destacamos o pedido de esclarecimento chegado do Brasil sobre esta curiosa frase de Jorge Amado, em Capitães da Areia, «Tú vae acabar tútú!». E um outro, de um consulente português, a propósito da frase idiomática «Fazer-se de Inês». Dois novos colaboradores do Ciberdúvidas assinam estas respostas: os professores Regina Antunes Meyerfeld e Artur Morão. Outras dúvidas: a eventual redundância da expressão «Render preito e homenagem a alguém», a sinonímia de anestético e de anestésico e, ainda no domínio da semântica, se vingará em Portugal o neologismo arrobar, como acontece na vizinha Espanha. De Angola, chegou-nos o pedido de distinção ente conjunções e preposições. Finalmente, a nível sintático, analisa-se uma construção clivada, bem como se esclarece uma dúvida sobre a hipótese de um complemento direto preposicionado; e ainda se aborda o caso de uma passiva adjetival.

* Pelas razões já anteriormente expostas, o Ciberdúvidas passou a assegurar as suas atualizações temáticas apenas uma vez por semana – agora à terça-feira. Entretanto, sempre que a atualidade ou a relevância informativa o justificar, não deixaremos de o assinalar nos Destaques.  

3. As rubricas Montra de Livros e O Nosso Idioma trazem também novos conteúdos: registos sobre os dicionários de regionalismos Falares e Ditarenhos do Alentejo e Pragas e Falares do Algarve; e um texto transcrito da Revista do semanário “Expresso” do dia 6 p.p., da autoria de José Tolentino Mendonça sobre verbos «que pressupõem a repetição e convocam uma multitude de sentimentos». 

4. A plataforma CiberEstudo, inaugurada em maio de 2017, outro projeto educativo da Associação Ciberdúvidas da Língua Portuguesa, e patrocinada em exclusivo pela Fundação Vodafone, está a ter grande aceitação junto de alguns agrupamentos de escolas de ensino básico e secundário em Portugal. Mais pormenores na rubrica Noticias.