Português na 1.ª pessoa - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
 
Início Português na 1.ª pessoa
A palavra e o seu dono
Da (não) neutralidade das palavras

O caso que envolveu a Câmara Municipal de Lisboa sobre os dados pessoais enviados à Embaixada da Federação da Rússia, respeitantes aos três imigrantes russos em Portugal  promotores de  uma manifestação contra a prisão, em Moscovo, do oposicionista Alexei Navalny motivou o uso na imprensa de diferentes verbos e substantivos cujos valores a professora Carla Marques analisa neste apontamento. 

<i>Das línguas nacionais</i>
Conceito e abrangência

No âmbito da conferência Desafios das línguas nacionais e da língua portuguesa nalguns países da CPLP – Contextos locais/Desafios Globais, realizada em Cabo Verde, em 21 de maio de 2021, a linguista Margarita Correia apresentou uma reflexão sobre as línguas nacionais, cujos aspetos essenciais condensa neste artigo publicado no Diário de Notícias de 14 de junho de 2021.

 

Por que é melhor não tratar ninguém <br> por “você” em Portugal
Conselhos para os falantes brasileiros
Por Lira Neto

«Sempre que eu tentava responder ou dirigir-me ao interlocutor português utilizando-me do prosaico você – pronome de tratamento que no Brasil normalmente empregamos para demonstrar proximidade e cortesia –, recebia de volta as reações mais ambíguas. Ora os gajos encaravam-me com ar de pasmo; ora disparavam-me semblantes de notória indignação.»

Crónica assinada pelo jornalista e escritor Lira Neto no Diário Cearense em 8 de junho de 2021, a seguir transcrita na íntegra, com a devida vénia.

«Não sou de cá, só vim cá ver a bola»
Expressões, bairros e ruas de Lisboa

«Não sou de cá, eu só vim à bola!», «Vê lá se não compras a casa do Dâmaso!», «ir à bola» e outros modos linguísticos alfacinhas, entre  bairros, ruas e ruelas, lojas, jornais, livros, bares e restaurantes de Lisboa, nesta crónica memorialista do autor*, a seguir transcrita na íntegra, com devida vénia.

*in jornal digital Mensagem, com a data de 7 de junho de 2021.

As cautelas da cautela
Significados e família de palavras

Os significados do nome cautela, os seus contextos de uso e a sua família de palavras dão matéria ao apontamento da professora Carla Marques, que surge na sequência da importância que adquiriu o adjetivo cautelar no espaço público por vias do nome do programa de Filomena Cautela, na RTP1: Programa Cautelar

Outra Literatura Portuguesa
A reinterpretação do cânone à luz de novos princípios

«A ausência de discussão explícita e consistente sobre o Portugal pós-colonial tem expressão no plano nacional de leitura, nos curricula do ensino básico e secundário e no modo como a literatura portuguesa é tratada pelas instituições. A visibilidade pública da literatura portuguesa não-branca pós-colonial, sobre como estes autores olham o seu Portugal, é quase inexistente», afirma a professora universitária Ana Paula Dourado, que alerta para a necessidade de reinterpretar o cânone literário. Artigo incluído na edição digital do semanário Expresso em 7 de junho de 2021, a seguir transcrito integralmente, com a devida vénia.

 

Ter «dois pesos e duas medidas»
Da mercearia à moralidade

A crónica da professora Carla Marques – emitida no programa Páginas de Português, na Antena 2, do dia 6 de junho de 2021 – centra-se na expressão idiomática «Ter dois pesos e duas medidas». Ponto de partida: o  que aconteceu na final da Liga dos Campeões de futebol, realizada na cidade do Porto, no dia 29/05/2021.

 

 

18 erros de português frequentes  <br>e que mancham a sua imagem
Uma lista para não passar vergonhas

«A competência linguística, associada ao domínio da comunicação oral e escrita, assume, inequivocamente, um valor sociocultural relevante, promovendo cada vez mais aceitação, credibilidade e prestígio social.» Para tanto, a professora e divulgadora de temas gramaticais Sandra Duarte Tavares apresenta uma lista de 18 erros corrigidos.

Artigo incluído na edição digital da revista Visão em 5 de maio de 2021, aqui transcrito com a devida vénia.

O sol nasceu
Estilo e mutação cultural

«Aí pelo século XIX, não se dizia "O sol nasceu". Uma frase como essa era um resumo que o autor rascunhava e escondia, com medo de que o acusassem de falta de imaginação ou indigência verbal.» Assim se exprime o escritor  brasileiro Chico Viana em crónica dedicada a comparar o estilo literário do século XIX ao de hoje.

Texto publicado no mural Língua e Tradição (Facebook, 7 de maio de 2021) e aqui transcrito com a devida vénia.

Conferência da Praia e plano de ação para o IILP
A posição do português no mundo

Atual presidente da Comissão Científica do IILP, a linguista e professora universitária prtuguesa  Margarita Correia dá conta da 4.ª Conferência Internacional sobre a Língua Portuguesa no Sistema Mundial, com o tema "Horizontes e Perspetivas da Língua Portuguesa", organizada pelo Governo de Cabo Verde e que teve lugar nos dias 26 a 28 de maio de 2021. Neste contexto, destaca alguns desafios para a língua portuguesa.

 

*Texto publicado no Diário de Notícias em 31 de maio de 2021.