Português na 1.ª pessoa - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
 
Início Português na 1.ª pessoa
A língua portuguesa, a campanha e a São(ta) ignorância

«Quando se lhe expõe a cauda, por sinal pouco limpa, vêm à superfície os assanhamentos do costume, sem grande novidade. E isso é de novo visível nos quase 100 comentários suscitados pelo artigo de Pacheco Pereira.» Considerações de Nuno Pacheco, num artigo de opinião publicado no jornal Público no dia 22 de fevereiro de 2024 (escrito de acordo com a ortografia de 1945), em que aborda questões de ortografia nas campanhas políticas.

<i>Mortágua</i> com <i>o</i> aberto ou [u]?
A pronúncia em discussão

Como se pronuncia o apelido da líder do Bloco de Esquerda: M[ó]rtágua ou M[u]rtágua? A consultora Sara Mourato reflete acerca das circunstâncias em que se pode ou não "abrir" a vogal átona o. 

O pluricentrismo do português
Reflexão na sequência de uma entrevista dos alunos do Iscte ao Ciberdúvidas (II)

Na sequência de uma entrevista aos alunos do Iscte pelo Ciberdúvidas*, a consultora Inês Gama apresenta, neste apontamento, uma reflexão sobre o pluricentrismo da língua portuguesa. 

* Ver "O que pensam os falantes de português da sua língua?" (09/02/2024).

A direita populista, a língua portuguesa <br>e outras questões linguísticas
As eleições de 10 de março de 2024 em Portugal

«A forma de abordagem das questões linguísticas espelha com nitidez o âmago do pensamento político de quem escreveu este programa eleitoral [do Chega].»

Crónica da linguista e professora universitária  portuguesa Margarita Correia, o primeiro de uma série que a autora dedica à atenção que os partidos políticos portugueses dão à lingua portuguesa, no contexto das eleições de 10 de março de 2024 em Portugal. Texto publicado no Diário de Notícias em 19 de fevereiro de 2024 e aqui transcrito com a devida vénia.

O plural de <i>spa</i>
De nome próprio a nome comum

A palavra spa está no centro do apontamento da professora Carla Marques, no qual se aborda a sua origem e a possiblidade de flexão no plural. 

(Apontamento divulgado no programa Páginas de Português, da Antena 2, em 18/02/2024)

O homem do leme
Aulas ao som dos Xutos e Pontapés
Por Dora Gago

«Uma das músicas que gostava de passar — conta neste texto* a professora e escritora Dora Gago —  era “o homem do leme” dos Xutos e Pontapés para o comparar com outros homens do leme, como é o caso de Vasco da Gama no episódio de o Adamastor de Os Lusíadas e o “homem do leme” de “o Mostrengo” na Mensagem de Pessoa

*in Algarve Informativo, com a data de 17 de fevereiro de 2024.

Novos conceitos nas relações amorosas
Red flag, green flag e limerência

Nas redes sociais surgem expressões, trazidas do século XVII,  como red flag green flag que se associam a aspetos negativos ou positivos das relações amorosas. Mas será que a forma aportuguesada destas expressões tem a mesma forma que as expressões inglesas? A esta questão responde a consultora Sara Mourato, num texto onde reflete sobre a origem, uso e aportuguesamento de red flaggreen flag e sobre a emergência do termo limerência.

A aprendizagem da língua materna
Reflexão na sequência de uma entrevista dos alunos do Iscte ao Ciberdúvidas (I)

Na sequência de uma entrevista aos alunos do Iscte pelo Ciberdúvidas*, a consultura Inês Gama apresenta, neste apontamento, uma reflexão sobre o ensino e aprendizagem do português como língua materna.

* Ver "O que pensam os falantes de português da sua língua?" (09/02/2024).

Uma manada de aliás
As variações na nomenclatura dos animais

Desde flexões simples de género até termos menos conhecidos, a consultora Sara Moutato explora como os nomes dos animais podem variar de acordo com o sexo, revelando uma riqueza linguística surpreendente. 

O plural de <i>não</i>
Flexão e classe de palavras

Neste apontamento da professora Carla Marques distingue-se os contextos em que é possível a palavra não admitir flexão em número.

(Apontamento divulgado no programa Páginas de Português, da Antena 2, em 11/02/2024)