Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Ciberdúvidas da Língua Portuguesa – em linha, ao serviço de todos
Por Carlos Rocha 12K

Os números exatos podem variar, mas a verdade é que, pelo seu peso demográfico, o português é contemporaneamente uma das grandes línguas globais, razão por que é sempre mencionado entre as dez mais faladas no mundo. Tem estatuto de língua materna e/ou oficial em oito países – Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Timor-Leste e São Tomé e Príncipe –, dispersos por quatro continentes e conferindo à chamada lusofonia uma tal diversidade cultural, que muitas vezes se duvida que a língua, por si só, possa definir uma comunidade coesa. E, no entanto, ao Ciberdúvidas da Língua Portuguesa, espaço em linha destinado ao esclarecimento de questões sobre usos e normas linguísticas, chegam diariamente perguntas que são prova de o português ser entendido como património comum – da matriz portuguesa ao gigantismo brasileiro, passando pela dinâmica dos novos padrões linguísticos de Angola ou Moçambique, apesar das diferenças, todos consideram falar o mesmo idioma. A este vasto conjunto de falantes somam-se outros – os que constituem núcleos de emigrantes ou os que aprendem o português como língua não materna, nas mais variadas circunstâncias, tenham ou não laços com um país lusófono. Não admira, portanto, que sejam muitas e diversificadas as dúvidas que o Ciberdúvidas procura esclarecer. Como?

É para responder a esta e outras questões que se elaborou este breve artigo, estruturado ao jeito de uma lista de perguntas frequentes.

O que é o Ciberdúvidas da Língua Portuguesa?

Como surgiu?

 O Ciberdúvidas da Língua Portuguesa – http://www.ciberduvidas.pt/ – é um sítio1 da Internet em atividade desde 15 de janeiro de 1997, que presta um serviço gratuito e sem fins lucrativos, com a finalidade de tirar dúvidas e discutir temas da língua portuguesa numa perspetiva de afirmação cultural de todos os países da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP). Trata-se, portanto, de um espaço de esclarecimento, divulgação e debate de questões relativas ao funcionamento da língua portuguesa em diferentes âmbitos. Os conteúdos nele em linha formam atualmente um vasto arquivo de cerca de 33 000 respostas e de mais de 3000 artigos repartidos por diferentes rubricas. Fundado pelos jornalistas João Carreira Bom (falecido em 2002) e José Mário Costa (seu proprietário e  que partilha atualmente a coordenação editorial com José Manuel Matias, professor de História e investigador), é gerida pela Associação Ciberdúvidas da Língua Portuguesa. A esta entidade, de âmbito cultural e sem fins lucrativos, cabe também a dinamização as plataformas Ciberescola da Língua Portuguesa e Cibercursos da Língua Portuguesa, que, mediante a produção e disponibilização de materiais de apoio bem como pela organização de cursos em linha, visam promover o ensino e aprendizagem do português como língua materna e não materna, tanto no contexto da educação formal como noutros.

A quem se dirige o Ciberdúvidas? Quem o consulta? Como consultá-lo?

As tarefas do Ciberdúvidas da Língua Portuguesa centram-se fundamentalmente em promover junto de diferentes públicos um uso mais consciente e responsável do português nas suas formas padronizadas e normativas2. O Ciberdúvidas preenche assim um papel essencial de aconselhamento dos utentes da língua, por exemplo, do ponto de vista do léxico, a respeito dos numerosos empréstimos do inglês que pontuam insistentemente a comunicação em português; ou dá indicações sobre as flexões corretas de substantivos, adjetivos e verbos (morfologia); ou, ainda, atende dificuldades de vária ordem na construção de frases (sintaxe) e de texto. Entre os seus utilizadores, contam-se publicitários, informáticos, economistas, médicos, arquitetos e juristas; mas são os profissionais da comunicação social e a população escolar que mais recorrem a ele. Com efeito, dado o impacto dos media na nossa sociedade contemporânea, os jornalistas veem acrescida a sua responsabilidade no manejo da língua e sentem a necessidade de um recurso com as características do Ciberdúvidas. Por outro lado, professores e alunos de Português e mesmo doutras disciplinas, de diferentes níveis de ensino, de todos os países de língua oficial portuguesa, procuram o Ciberdúvidas da Língua Portuguesa para esclarecer dúvidas, especialmente frequentes a respeito da aplicação do novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa; e, em Portugal, são igualmente numerosas as questões sobre aspetos da análise e descrição gramaticais que decorrem quer da terminologia mais tradicional quer do Dicionário Terminológico3.

É de notar que as perguntas publicadas são sempre uma seleção das muitas chegadas ao Ciberdúvidas, que, não se limitando a Portugal, antes provêm de todo o mundo lusófono, com destaque para o Brasil, Angola, Moçambique e Cabo Verde. Muitas consultas têm ainda origem em Espanha, em especial na Galiza, região que guarda grande afinidade linguística e cultural com a Lusofonia. Observe-se ainda que, face ao recente aumento da participação de utilizadores de Angola e Moçambique, e perante a pertinência das suas perguntas, impôs-se dar maior relevo ao contributo desses consulentes nas atualizações dos conteúdos do Ciberdúvidas.

Para fazer uma consulta, basta aos utilizadores enviarem uma pergunta por meio de um formulário de acesso gratuito, sem exigência de inscrição, que se encontra em http://ciberduvidas.pt/ask.php. A questão passa diretamente à gestão de conteúdos, donde é encaminhada para uma equipa de consultores para ter a devida resposta (ver secção seguinte).

Qual é a estrutura do Ciberdúvidas? Como se desenvolve a sua atividade?

 O sítio é constituído por duas áreas fundamentais:

• um consultório de dúvidas atualizado regularmente com base na seleção das perguntas/respostas;

• e um conjunto de rubricas (treze, no total: Aberturas, Erros Mais Frequentes, Correio, Antologia, Montra de Livros, Notícias, Diversidades e Português na 1.ª Pessoa, constituído por sub-rubricas) nas quais se acolhem textos de temática relacionada com a língua portuguesa (encarada como objeto de estudo, tópico de reflexão ou tema literário), que provêm de obras hoje pouco acessíveis, ou que constituem artigos publicados recentemente na comunicação social de língua portuguesa, ou, ainda, que surgiram como peças expressamente produzidas para o Ciberdúvidas.

O consultório de dúvidas apoia-se num processo que compreende duas etapas: a recolha de questões enviadas pelo público utilizador; a seleção, edição e publicação das respostas entretanto elaboradas, como parte das atualizações regulares dos conteúdos, as quais abrangem também as diferentes rubricas que constituem o Ciberdúvidas.

Como se disse na secção anterior, as questões são enviadas através de formulário eletrónico existente para o efeito nas páginas do sítio (ver secção anterior). Dado haver dúvidas que acham esclarecimento em arquivo, é muitas vezes possível atender imediatamente aos pedidos dos consulentes. No caso de perguntas total ou parcialmente novas, procura-se também responder imediatamente ou fazer o encaminhamento para outros consultores em diferentes áreas linguísticas (léxico, morfologia, sintaxe, história da língua, etc.). Estas respostas, uma vez editadas e revistas, são postas em linha, fazendo parte das atualizações regulares do Ciberdúvidas da Língua Portuguesa.

Os temas abordados no consultório repartem-se por diferentes áreas de funcionamento gramatical e institucional da língua, como sejam a fonética (com a fonologia), o léxico, a etimologia, a morfologia, a sintaxe, a semântica, a pragmática ou a ortografia, tendo escrupulosamente em conta a variação regional e nacional que molda, hoje, o português. Diversificada é também a rede de colaboradores, portugueses, brasileiros e africanos, a reforçar uma perspetiva de diversidade e policentrismo linguístico.

Para além do consultório, as rubricas do Ciberdúvidas são, antes de mais, páginas de divulgação e reflexão. Salientam-se as “Aberturas”, renovadas com regularidade na página principal para acompanharem as atualizações dos conteúdos e darem relevo a notícias concernentes à língua portuguesa. Nas restantes rubricas, colocam-se artigos respeitantes a diferentes áreas temáticas. Por exemplo, o “Português na 1.ª Pessoa” abrange várias sub-rubricas: o “Pelourinho”, designado à notação crítica de maus usos da língua nos órgãos de informação e noutros espaços de exposição pública; em “O Nosso Idioma”, contemplam-se especificamente os usos do português nos diversos países lusófonos; nas “Lusofonias” disponibilizam-se artigos respeitantes à política de língua; as rubricas “Acordo Ortográfico” e “Controvérsias” definem-se como espaços de polémica e de debate; finalmente, em “Ensino”, discutem-se temas relativos ao ensino do português como língua materna e não materna. O Ciberdúvidas integra ainda uma “Montra de Livros”, onde se apresentam obras sobre diferentes dimensões do funcionamento da língua portuguesa; e uma “Antologia” de textos de escritores lusófonos de todos os tempos que escreveram sobre a língua portuguesa – alguns contemporâneos, que escreveram especificamente para o Ciberdúvidas (casos, entre outros, do angolano Pepetela, do cabo-verdiano Germano Almeida, do moçambicano Mia Couto ou do português, Prémio Nobel da Literatura, José Saramago).

A ação do Ciberdúvidas limita-se à Internet?

Embora se identifique principalmente pelo sítio da Internet que lhe dá visibilidade, o Ciberdúvidas da Língua Portuguesa tem alargado a sua ação a outros canais de comunicação para promover a língua portuguesa. Entre os vários projetos levados a cabo, contam-se em especial os que têm por objeto a rádio e a televisão tanto em Portugal como noutros países lusófonos. São, portanto, de salientar:

 

• O magazine televisivo Cuidado com a Língua!, da autoria do jornalista José Mário Costa, apresentado pelo ator Diogo Infante e galardoado em 2013 como o melhor programa de entretenimento da televisão portuguesa.

• Três programas na rádio pública portuguesa, a saber: Páginas de Português, na Antena 2; Língua de Todos, na RDP África (este especificamente à volta sobre questões do ensino e culturais do português no continente africano); e Jogo da Língua, pequena rubrica diária emitida na Antena 1, à volta do bom uso do nosso idioma comum.

• O programa Mambos da Língua, realizado pela Rádio Nacional de Angola desde fevereiro de 2014, com a colaboração do Ciberdúvidas.

Considerações finais

Com características únicas no mundo lusófono – pela variedade e pelo tratamento dos conteúdos subordinados ao tema dos usos e das normas do português –, o Ciberdúvidas da Língua Portuguesa constitui um recurso ao alcance de todos, que tem sabido merecer o interesse do público. A sua popularidade vem ao encontro de uma atitude de abertura às muitas formas que a nossa língua comum pode assumir geográfica, social ou contextualmente, tendo como horizonte a necessidade que os falantes sentem de adquirir à-vontade nas modalidades linguísticas normativas da administração, da educação, da cultura, da ciência. Muitas têm sido as manifestações de apoio ao trabalho realizado, e importa sublinhar as reiteradas palavras de apreço e estímulo que os consulentes – entre estes, os que pertencem às comunidades escolares de Portugal, do Brasil, de Angola, de Moçambique e de tantos outros países – juntam às dúvidas que pretendem ver esclarecidas. Essas mensagens constituem, sem dúvida, a evidência de a atividade do Ciberdúvidas ter excelente acolhimento entre quem fala o português e pretende usá-lo com critério e responsabilidade. É muitas vezes daí que este projeto retira justificação para enfrentar com ânimo as muitas dificuldades com que se tem deparado ao longo dos anos e acompanhar com competência os constantes desafios da língua portuguesa contemporânea.

1 Apesar da sua ambiguidade usa-se neste artigo o termo sítio como tradução do inglês site.

2 Fala-se geralmente de norma-padrão ou língua-padrão, termos que o Dicionário Terminológico define como sendo relativos «[à] variedade social de uma língua (falada e escrita) que foi legitimada historicamente enquanto meio de comunicação entre os falantes da classe média e da classe alta de uma comunidade linguística». Neste artigo, de forma a evitar a ideia de uma língua monolítica e centralizada na tradição de um único país, prefere-se encarar o português sob o ângulo da sua diversidade internacional, optando-se sobretudo por outras expressões como "formas padronizadas/normativas" ou "modalidades padronizadas/normativas".

3 O Dicionário Terminológico é um instrumento de consulta para apoio do conhecimento explícito da língua nos ensinos básico e secundário em Portugal (ver nota 2 deste artigo).

 

Outros textos do autor

Fonte

artigo publicado na revista Almadaforma - Revista do Centro de Formação da Associação das Escolas de Almada, n.º 7, de setembro de 2014

Sobre o autor

Licenciado em Estudos Portugueses pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa e mestre em Linguística pela mesma faculdade. Foi leitor do Instituto Camões na Universidade de Oxford e no King's College de Londres. Professor do ensino secundário, é o editor executivo do Ciberdúvidas da Língua Portuguesa, destacado para o efeito pelo Ministério da Educação português.