O uso do travessão e das aspas em discurso direto - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
O uso do travessão e das aspas
em discurso direto

Considere-se um fragmento de discurso em que um indivíduo está a falar. Naturalmente, o discurso é iniciado com um travessão. O discurso do indivíduo prolonga-se por um parágrafo inteiro. No parágrafo seguinte, o mesmo indivíduo continua a falar. Que tipo de sinalização devemos utilizar para continuar o discurso no segundo parágrafo? Repete-se o uso do travessão? Ou empregamos outro sinal? Tenho visto que a continuação do discurso de um mesmo indivíduo num segundo parágrafo é sinalizada por ">>". É correcto empregar esta sinalização?

Obrigado.

José Reis Professor Lisboa, Portugal 13K

O uso do travessão na transcrição do discurso é uma opção (facultativa) de estilo. Há autores e publicações, jornais, por exemplo, que preferem as aspas – sejam aspas em linha [« »] ou aspas elevadas [" "]. E há outros que preferem, até, o recurso ao itálico1. E há ainda outros, como José Saramago, que pura e simplesmente dispensam qualquer dessas marcas tradicionais na sinalização do discurso direto.

No caso da utilização do travessão, classicamente, não há parágrafos, e a reprodução dos diálogos ou monólogos raramente ultrapassa a dúzia de linhas.

Se, por qualquer razão excecional, a reprodução tiver de ser especialmente extensa e com parágrafos, há duas opções possíveis:

1) O uso do itálico (com a vantagem de uma diferenciação mais clara do que é discurso direto em relação ao restante texto); ou

2) O recurso às aspas – tal como se sugere na resposta anterior "Discurso directo com mais de um parágrafo". Exemplificando, neste caso:

«Citação citação citação citação citação citação citação citação citação citação citação citação citação citação citação citação. citação citação citação

«Continuação da citação. Citação citação citação citação citação citação citação citação citação citação citação citação citação.

«Recomeço da citação. Fim de citação.»

1Cf. Mala de Senhora e outras histórias, de Clara Ferreira Alves, ed. D. Quixote, págs. 80-84.

José Mário Costa
Tema: Uso e norma
Áreas Linguísticas: Discurso/Texto; Ortografia/Pontuação Campos Linguísticos: Pontuação