O gerúndio e a perífrase «estar a» + infinitivo - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
O gerúndio e a perífrase «estar a» + infinitivo

Gostaria de saber em que contextos se utiliza o gerúndio propriamente dito em Portugal, e quais são os contextos em que se substitui pela perífrase estar a + inf.

Muito obrigada e parabéns pelo site.

Maria Ana Aparicio Professora Valladolid, Espanha 937

A questão não é muito clara. Julgo que o que se pretende saber está relacionado com as construções estar + gerúndio e estar a + infinitivo.

Nas construções em causa, o verbo estar funciona como um auxiliar aspetual, introduzindo na construção perifrástica a ideia de que a situação que se descreve se encontra numa fase intermédia, ou seja, está a decorrer:

(1) «Ele está a comer.»

(2) «Ele está comendo.»

Em termos semânticos, as duas construções apresentadas são similares, exprimindo, portanto, um valor semelhante. Todavia, se cotejarmos o português europeu e o português do Brasil, constatamos que no primeiro se verifica uma preferência pela construção com o infinitivo, enquanto no segundo se prefere a construção com gerúndio. 

O Ciberdúvidas agradece as palavras gentis que lhe dirige.

Carla Marques
Tema: Uso e norma Classe de Palavras: verbo
Áreas Linguísticas: Morfologia Flexional; Sintaxe Campos Linguísticos: Aspecto (verbos); Deixis