O nosso idioma - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
 
Início Português na 1.ª pessoa O nosso idioma
Textos de investigação/reflexão sobre língua portuguesa.
Além de nós
Documentário sobre a língua portuguesa na China, Brasil e Angola

Documentário da RTP 1 sobre a presença e a importância estratégica da língua portuguesa no Mundo, numa viagem que nos leva a Macau, a Xangai, ao Brasil e a Angola.

Bambilar,  bambila e bambilador
Neologismos angolanos

São os mais recentes (e populares) neologismos do sempre tão criativo português falado em Angola: bambilar («bajular»), bambila («bajulação») e bambilador («bajulador»).

Com graça
Ter ou não ter humor antirracista
 «Não falta material para parodiar em torno do racismo à portuguesa e, acima de tudo, da sua negação, mas em Portugal, se calhar, não se sabe fazê-lo “com graça”», escreve * a socióloga Cristina Roldão, comparando, pela positiva, o programa humorístico brasileiro Porta dos Fundos.

* in jornal Público, do dia 9 de junho de 2022.
 
Chéquia e o sururu toponímico da atualidade
Uma forma legítima em processo de integração

«"Chéquia" é uma forma nova, mas legítima, em processo de integração» – afirma a linguista Margarita Correia, em crónica publicada no Diário de Notícias, em 13 de junho de 2022, a respeito da perplexidade («um sururu») que a forma curta do nome da República Checa – Chéquia – tem suscitado em Portugal, na sequência do jogo disputado em 9 de junho de 2022 entre os dois países a contar para a Liga das Nações da UEFA-2022/23.

O racismo das grandes e o das pequenas coisas
Na linguagem de conteúdo político racista
«Devemos continuar a defender a importância da linguagem inclusiva. Mas não podemos continuar a aceitar que um partido que perfilha um ideário que é racista viva entre nós, e pise o chão das mais altas instituições democráticas, como se de uma organização respeitável se tratasse.»
 
Artigo da advogada portuguesa Carmo Afonso, a seguir transcrito, com a devida vénia, do jornal Público, do dia 10 de junho de 2022.
O que perdemos quando morre uma língua?
A propósito do dálmata

«A morte duma língua é a morte do mundo inteiro. Na verdade, o mundo morre sempre que morre alguém…», escreve neste apontamento o professor unversitário e tradutor português Marco Neves, publicado no blogue Certas Palavras em 15 de fevereiro de 2018. Texto que se transcreve com a devida vénia, mantendo a ortografia original, a de 1945.

Dupla negativa
Uma construção típica das línguas latinas

«Em português – e nas outras línguas latinas que conheço, exceto em francês oral, por causa da supressão do advérbio ne na fala – a regra é que, numa frase negativa tem de haver sempre uma negativa antes do verbo.»

Apontamento do tradutor Vítor Santos Lingaard, que critica a moda de evitar a dupla negação do português, fazendo com que a forma correta «não vi nada» se transforme incorretamente em «vi nada». Texto publicado no blogue Travessa do Fala-Só em 7 de abril de 2022.

 

Sansão e as sanções
Das palavras homófonas

A crónica da professora Carla Marques aborda a homofonia entre as palavras sanção e Sansão, numa altura em que as sanções contra a Rússia se encontram na ordem do dia. 

Do assédio moral
O cerco à dignidade pessoal

«Os dicionários de língua portuguesa fornecem como primeiras aceções de assediar e assédio as referentes à esfera militar [...]. Alguns dicionários especificam "assédio sexual", mas só na Infopédia encontrei a distinção entre ele e o assédio moral, definido como "pressão psicológica exercida sobre uma pessoa, de forma repetida e prolongada, geralmente por alguém em posição de poder ou superioridade".»

Crónica da linguista Margarita Correia a propósito das queixas de assédio sexual e moral que têm vindo a lume na comunicação social em Portugal. Texto publicado no Diário de Notícias de 6 de junho de 2022.

Antigamente é que se escrevia bem!
Um mito da língua portuguesa

«Olhamos para o passado e, de todos os textos de quem escrevia (e eram poucos os que sabiam fazê-lo), só vemos os textos que sobreviveram ao turbilhão do tempo, só nos lembramos dos bons textos.» A propósito de certos mitos sobre o uso da língua, um artigo de Marco Neves incluído no blogue Certas Palavras em 5 de abril de 2021. Texto que se transcreve com a devida vénica, mantendo a ortografia original (a do acordo de 1945).