O centenário de Sophia de Mello Breyner, os femininos de poeta e druida, o português na Venezuela e o legado de Jorge de Sena - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Início Aberturas Abertura
O centenário de Sophia de Mello Breyner, os femininos de poeta e druida, o português na Venezuela e o legado de Jorge de Sena
O centenário de Sophia de Mello Breyner, os femininos de poeta e druida,
o português na Venezuela e o legado de Jorge de Sena
Por Ciberdúvidas da Língua Portuguesa 299

1. A obra e a personalidade de Sophia de Mello Breyner Andresen (1919-2004) deixaram memória perene na vida literária e cívica de Portugal. É o que se assinala neste dia, 6 de novembro de 2019, em que se cumprem cem anos sobre o seu nascimento, um aniversário marcado por um extenso programa de atividades culturais a realizar até 20/12/2019 no Porto (sua cidade natal), em Lisboa e noutras cidades portuguesas (ver programa aqui). No Ciberdúvidas, a rubrica Antologia dá igualmente testemunho do génio de Sophia na descoberta da linguagem e da sua língua materna em poemas como "A palavra", "Arte Poética – II", "Breve encontro " e, a propósito da diversidade do português, "Poema de Helena Lanari". Recorde-se ainda a trasladação dos restos mortais da poetisa portuguesa para o Panteão Nacional em 02/07/2014, acontecimento de que a Abertura também fez registo na mesma data.

No Consultório, consultem-se as perguntas e respostas de índole gramatical, motivadas pelos textos desta autora: "Análise sintactica de duas frases de Sophia de Mello Breyner Andresen"; "A palavra almadilha (Sophia de Mello Breyner)"; "O e em dois versos de Sophia de Mello Breyner"; "Sophia de Mello Breyner: demais, outra vez"; "Metalogismos e metataxes em Sophia de Mello Breyner"; "Análise sintática de duas frases de Sophia de Mello Breyner Andresen". E, ainda. o documentário da autoria de Manule Mozos, Sophia, na Primeira Pessoa + No centenário do nascimento de Sophia – Parte I +  No centenário do nascimento de Sophia – Parte II

Fonte da imagem: Eduardo Moga, "Sophia de Mello Breyner, um tumulto de clarão e sombra", in blogue Letras I.Verso e Re.Verso, 11/06/2018

2. «Sophia foi poeta», ou «poetisa»*? A discussão, recorrente, pode surpreender quem se demore com outras palavras terminadas em -a, só que tradicionalmente do género masculino. Dê-se o exemplo de druida, um vocábulo da noite mágica dos tempos que, em Portugal, se popularizou não só pelo celtismo mais linguístico ou musical mas também por causa dos álbuns de Astérix, um herói da banda desenhada franco-belga. Mas, se houver necessidade de referir uma mulher, falamos de «uma druida», ou será mais correto  empregar formas como druidesa e druidisa? Esta é uma das novas questões em linha no Consultório, cuja atualização abrange ainda outras dúvidas, da pronúncia dos plurais de mês e vez à análise da construção «feito de cristal e flores» e do uso frásico do verbo pousar, passando pelo composto téorico-pragmático e a associação do verbo expressar com o nome célula.

* Releia-se a nota que, sobre o emprego de poeta e poetisa, se deixou na Abertura de 02/07/2019.

3. Da atualidade em que a língua portuguesa é tema, saliente-se:

– o II Fórum Internacional da Língua Portuguesa. 500 anos da Circum-Navegação do Mundo: Novas Contribuições em Investigação e Ensino, organizado pela Universidade Complutense de Madrid (UCM) e a Associação de Professores de Língua Portuguesa em Espanha (APLEPES) e realizado nos dias 13, 14 e 15 de novembro de 2019, na Faculdade de Filologia da UCM;

– a capacidade de resistência dos alunos e dos professores envolvidos no ensino da língua portuguesa na Venezuela, atendendo às graves dificuldades sentidas neste país, conforme sublinhou Paula Cristina Pessanha Isidoro, professora da Universidade de Salamanca, em intervenção feita no II Congresso e VI Encontro de Professores de Língua Portuguesa, que reuniu  quase uma centena de docentes em 02/11/2019, na cidade venzuelana de Maracay, no estado de Arágua (ler Correo de Venezuela de 04/11/2019, p. 6; ler também "A importância do português na Venezuela").

4. Tópicos centrais dos programas que Associação Ciberdúvidas da Língua Portuguesa produz para a rádio pública portuguesa:

–  no programa Língua de Todos, transmitido pela RDP África na sexta-feira, dia 8 de novembro, pelas 13h20,  A consultora linguística Sandra Duarte Tavares responde a dúvidas sobre a distinção entre pronomes e advérbios;

– no programa Páginas de Português, emitido pela Antena 2, no domingo, 10 de novembro, pelas 13h30, evoca-se o legado de Jorge de Sena, a propósito do centenário desta figura maior da literatura portuguesa do século XX, e entrevista-se Teresa Calçada, comissária do Plano Nacional de Leitura.

* Ambos os programas são repetidos: o Língua de Todos, no sábado, dia 9 de novembro, depois do noticiário das 09h00, e o Páginas de Português no sábado seguinte, dia 16 de novembro, às 15h30. Hora oficial de Portugal continental,  ficando ambos os programas disponíveis posteriormente aqui e aqui.

5. No 25.º episódio da 10.ª série do magazine Cuidado com a Língua!, que vai para o ar na RTP1, neste dia,  06/11/2019, depois das 21h00**, visita-se a Cinemateca de Lisboa, na companhia do jornalista Mário Augusto, que revela os segredos de palavras como ecrã, tela ou fita, entre outras que constituem o vocabulário da chamada «sétima arte»  (notícia aqui).

**  Hora oficial  de Portugal continental, podendo o programaser visto, posteriormente, via RTP Play.