A concordância verbal com a expressão «um monte de...» - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
A concordância verbal com a expressão «um monte de...»

Devo dizer «Há um monte de pessoas que não são...» ou «Há um monte de pessoas que não é...»?

Susana Maria Cordeiro Ladeiro Professora Carcavelos, Portugal 42

O verbo ser pode concordar das duas maneiras, porque o seu sujeito, o pronome relativo que, retoma tanto o significado de «um monte», que é singular, como o de «pessoas», no plural.

Numa frase simples, a concordância com a expressão «um monte de» ocorre geralmente com o verbo no singular: «um monte de pessoas é feliz». Com efeito, «um monte (de)» é o constituinte que desencadeia a concordância em número do verbo1. Contudo, numa frase complexa como «há um monte de pessoas que é feliz/são felizes», ocorre uma oração subordinada adjetiva relativa restritiva («que é feliz» ou «que são felizes») cujo sujeito, realizado pelo pronome relativo que, pode ter por antecedente quer «um monte» (núcleo do constituinte «um monte de pessoas»), quer «pessoas».

 

1 Observe-se que monte pode enquadrar-se entre nomes como grupo, conjunto, horda ou leque, isto é, nomes que referem coleções de objetos e outras entidades sem as quantificarem (nomes de referência dependente, segundo João Andrade Peres e Telmo Móia, Áreas críticas da Língua Portuguesa. Edições Caminho, pág. 471 e 477). Convém também assinalar que se atesta a concordância no plural em construções com estes nomes, como é o caso de data:

(1)  «[...] uns camaradas contavam que uma data de provocadores tinham interrompido a conferência [...]», o que pode contradizer a teoria acima descrita. No entanto, não há muito registos desta ocorrência.» (António Alçada Baptista em Os Nós e os Laços)

Tendo em conta a sinonímia de monte com data, uma frase como «um monte de pescadores tinham interrompido a conferência» não será aconselhável, mas também não configurará um erro inequívoco.

Sara Mourato/Carlos Rocha
Tema: Uso e norma
Áreas Linguísticas: Léxico; Semântica; Sintaxe Campos Linguísticos: Concordância