Preposições que introduzem complementos do nome - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Preposições que introduzem complementos do nome

Começo por agradecer a qualidade do vosso serviço.

A dúvida em questão relaciona-se com o facto de, no Dicionário Terminológico, todos os exemplos de complemento do nome introduzido por preposição sejam com de.

Questiono se poderão os seguintes casos ser complemento do nome:

«A paixão [ por Pero Marques]»;

«A diferença [entre um e outro]»;

«A discussão [sobre o assunto]»;

«A resposta [ao pedido]».

Sem mais, reforço a gratidão e envio os meus agradecimentos.

Maria Duarte Professora Lisboa, Portugal 299

Os complementos do nome são sempre introduzidos por uma preposição (à exceção dos complementos que assumem a forma de determinantes possessivos).

A preposição de é a que mais frequentemente é utilizada para assegurar a ligação do complemento do nome ao nome que determina. Esta situação deve-se ao facto de a preposição de ser a mais gramaticalizada das preposições, «o que lhe permite ocorrer em construções que expressam um leque variadíssimo de valores semânticos, recuperáveis a partir do sentido geral da expressão e/ou com base em informação contextual» (Raposo et al., Gramática do Português. Fundação Calouste Gulbenkian, p. 1052).

Não obstante, é possível assinalar a presença de outras preposições em diversas situações. Enumero aqui algumas sem pretender ser exaustiva:

(i) Nomes deverbais que mantêm a preposição regida pelo verbo do qual derivam:

(1) «Ele interessou-se pelo cinema.» = «O interesse pelo cinema»

(2) «Chegaram casa.» = «A chegada casa»

(ii) Nominalizações feitas a partir de uma frase passiva:

(3) «A máquina foi inventada pelo João.» = «A invenção (da máquina) pelo João»

(iii) Nominalizações com verbos de atitude subjetivos (adorar, amar, respeitar) constroem-se com a preposição por (cf. Id., ibid., p. 1055):

(4) «A adoração pela culinária»

(5) «O respeito pelo saber»

(iv) Nominalizações acompanhadas por argumentos que tenham o valor semântico de paciente afetado constroem-.se com a preposição (cf. Id., ibid., p. 1055):

(6) «Ele ameaçou o rapaz.» = «A ameaça ao rapaz»

(v) Nome com valor de assunto constrói-se com a preposição sobre (cf. Id., ibid., p. 1064):

(7) «Um filme sobre a 2.ª Guerra Mundial»

Através destes exemplos/situações é possível concluir que, com efeito, o complemento do nome pode ser introduzido por outras preposições que não o de, como, aliás, as frases apresentadas pela consulente também comprovam.  

O Ciberdúvidas agradece as gentis palavras que lhe endereça.

Carla Marques
Tema: Uso e norma Classe de Palavras: preposição
Áreas Linguísticas: Semântica; Sintaxe Campos Linguísticos: Semântica nominal; Funções sintácticas