O complemento indireto introduzido pelas preposições a e para - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
O complemento indireto introduzido pelas preposições a e para

Pode o complemento indireto ser precedido pela preposição para?

Na frase «Ela trouxe os bolos para as crianças», a expressão «para as crianças» pode ser complemento indireto ou é modificador?

Obrigada.

Fernanda Moura professora Matosinhos, Portugal 1K

   Geralmente, o complemento indireto é introduzido pela preposição a, só muito raramente pela preposição para. Para o comprovar, basta que se introduza na frase um novo complemento indireto regido pela preposição a:

      «Ela trouxe os bolos à mãe para as crianças.»

   Note-se que se «à mãe» e «para as crianças» exercessem a mesma função de complemento indireto, deveriam aparecer coordenados pela conjunção «e», como ocorre com todos os termos de igual valor gramatical. 

     Também só é possível a substituição da expressão «à mãe» pelo pronome pessoal lhe/lhes:

     «Ela trouxe-lhe os bolos para as crianças.»

    *«Ela trouxe-lhe os bolos à mãe.» 

    Assim, a expressão «para as crianças» é um modificador do grupo verbal.

 

* Indicação de agramaticalidade 

Fontes:

BECHARA, Evanildo, Moderna Gramática Portuguesa. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2009

Dicionário Terminológico 

Aura Figueira
Tema: DT (Dicionário Terminológico) Classe de Palavras: preposição
Áreas Linguísticas: Sintaxe Campos Linguísticos: Regência