Infinitivo pessoal ou flexionado - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
Infinitivo pessoal ou flexionado

Li no n.º 436 da revista Visão o habitual artigo de Clara Pinto Correia. A certo ponto afirma: "... e deparava com as pessoas a discutirem...". Mais à frente diz: "... a ciência portuguesa funciona (...) com projectos (...) a aparecerem...".

Esclareçam-me por favor se, em qualquer um dos exemplos, não haverá um predicado a mais. O 2.º verbo, respectivamente "discutir" e "aparecer", não deveria estar no infinitivo?

António Matos Godinho Portugal 4K

As construções utilizadas estão correctas. A autora utiliza o infinitivo pessoal ou flexionado, porque o seu sujeito é diferente do do verbo da frase na qual se integra.

No primeiro caso, o sujeito de “deparava” não está expresso (falta o princípio da frase), mas, pela forma verbal, deduz-se que será uma 1.ª ou 3.ª pessoa do singular (eu, ele ou ela). O sujeito de “discutirem” é “as pessoas”, 3.ª pessoa do plural, com a qual a forma verbal concorda.

No segundo caso, o sujeito de “funciona” é “a ciência portuguesa”, enquanto o de “aparecerem” é “projectos”.

O infinitivo impessoal desses verbos é discutir e aparecer.

Maria Regina Rocha