Glossário de erros mais frequentes - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.

Glossário de erros mais frequentes [ Letra: P ]

P
As palavras iniciadas por per/pre e pre/pro, semelhantes na expressão oral, mas diferentes no significado, levam a inúmeros erros de escrita [percursor/precursor/percussor, perfeito/prefeito, perseverar/preservar, prenome/pronome, prerrogativa/prorrogativa, prescrever/proscrever, previdente/providente].
...e não "pagem".

...e não "paralizar". Cf. BARBARISMOS

...passados duplos. Princípio geral: a conjugação da forma regular é com os auxiliares ter e haver; e a irregular com os verbos ser e estar. É uma regra com várias excepções que aconselham o recurso a uma gramática. [Particípios duplos mais usados: absorvido/absorto, aceitado/aceite, acendido/aceso, afligido/aflito, assente/assentado,  cativado/cativo, cegado/cego, completado/completo, convencido/convicto, corrigido/correcto, cultivado/culto, descalçado/descalço, dirigido/directo, dissolvido/dissoluto, distinguido/distinto, elegido/eleito, entregado/entregue, envolvido/envolto, escurecido/escuro, expulsado/expulso, ganhado/ganho, gastado/gasto, imprimido/impresso, inquietado/inquieto, juntado/junto, libertado/liberto, limpado/limpo, manifestado/manifesto, matado/morto, morrido/morto, nascido/nado/nato, ocultado/oculto, pagado/pago, prendido/preso, rompido/roto, salvado/salvo, secado/seco, soltado/solto, tingido/tinto]. N.B.– Embora os verbos apresentar, empregar e encarregar tenham apenas o particípio regular (apresentado, empregado e encarregado, respetivamente), na linguagem corrente essas formas são frequentemente substituídas por pretensos particípios irregulares: presente, empregue, entregue, cujo uso deve ser evitado. Os gramáticos e dicionaristas mais antigos registam, no entanto, estes particípios passados, no uso da linguagem popular. Cf. Vocabulário de Rebelo Gonçalves: «Empregue e entregue usam-se na linguagem popular».

Cf. Particípios passados duplos

...e não paúl : pl.: pauis.
Dif. de PELO (POR + O).
Dif. PERCUSSÃO/PRECURSOR.
...e não "preserverança".
...e não "persuação", nem "presuasão".
...e não "Pirinéus".
"Sair para fora", "monopólio exclusivo", "principal protagonista".
Aconselha-se a consulta regular da gramática ou do prontuário, para os casos mais complexos. [papéis, móbiles, escolas-modelo, capitães-mores, guarda-portões, pores-do-sol, chupa-chupas, histórico-geográficos, vice-presidentes, pedreiros-livres, quebra-luzes, etc., etc.].

Dif. de PODE. Erro comum: "poude". Cf. VERBOS

Prefixo que dispensa o emprego do hífen [policromático, poliopia, polissilábico]. Cf. HÍFEN

Dif. da preposição POR. [Os compostos de pôr não levam acento circunflexo nas formas do infinito impessoal e na 1.ª e 3.ª do infinito pessoal: antepor, apor, compor, contrapor, depor, dispor, expor, impor, pospor, prepor, propor, repor, supor].

Dif. de PORQUE [Por que - sempre no sentido de a razão pela qual ("por que meio atinjo um fim?"); porque - nas restantes situações].

Dif. de POR QUANTO. Cf. HOMÓFONAS.

Prefixos sujeitos ao emprego do hífen por terem acento gráfico [pós-escrito, pré-romano, pró-francófono]. Cf. HÍFEN.

... no mais curto prazo e não (a redundância) "no mais curto espaço de tempo". Prazo é já um espaço de tempo dentro do qual se há-de fazer isto ou aquilo.

...fem. de primeiro-ministro e não "a primeiro-ministro" pl: primeiros-ministros. Tal como o feminino de ministro é ministra;  plural: ministras. Cf. FEMINIMO e PLURAIS.

...e não "previlégio".

Dif. PREEMINÊNCIA. Cf. HOMÓFONAS.