Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
O uso adjectival dos particípios passados

Começo com a primeira pergunta: "bom-dia" deve usar-se com hífen ou sem? E "boa-tarde"? E "boa-noite" Tenho visto escrito de ambas as formas e confesso que já estou bastante baralhada, embora tenha aprendido a usar sempre com hífen.

A minha segunda pergunta prende-se com o verbo estar:«A porta está aberta»; «O exercício já está feito» ; «O livro ainda não está revisto» etc, etc. Considera-se "aberto/a"; "feito/a" ; "revisto/a" com este verbo um adjectivo ou um particípio passado?

Grata pela vossa resposta.

Francisca Sepúlveda Lisboa, Portugal 5K

Em relação à primeira pergunta, remeto-a para a resposta intitulada Bom dia!, bons dias!, bom-dia, etc.

Quanto à segunda pergunta, há duas maneiras de analisar as frases propostas:

1. Se estar é um auxiliar, temos a voz passiva «de estado» (ver Celso Cunha e Lindley Cintra, Nova Gramática do Português Contemporâneo, pág. 491) e, por conseguinte, aberto, feito e revisto são particípios passados.

2. No entanto, quando exprimem o estado, tais particípios confundem-se com os adjectivos (idem, pág. 493). Se podem desempenhar a função de atributo («uma versão revista»), não vejo razão para não poderem corresponder a um predicativo do sujeito. Deste ponto vista, aberto, feito e revisto são também adjectivos.

Carlos Rocha
Áreas Linguísticas: Morfologia; Ortografia/Pontuação Campos Linguísticos: Semântica temporal; Funções sintácticas