«Jogar futebol» vs. «jogar à bola» - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
«Jogar futebol» vs. «jogar à bola»

Diz-se «jogar à bola», mas «jogar futebol», «jogar às cartas», mas «jogar no computador», «jogar à bisca» e «jogar póquer».

Existe alguma regra que determine quando se deve usar «jogar» e «jogar a»?

E, a propósito, qual a função sintáctica dos elementos que se seguem a «jogar» e «jogar a»?

Obrigado pela vossa ajuda.

Nuno Raimundo Arquiteto Lisboa, Portugal 2K

Não há propriamente uma regra. O que existe é um conjunto de expressões fixas que incluem jogar, havendo até certa variação regional, pelo menos, atendendo ao que dizia Vasco Botelho de Amaral, no seu Grande Dicionário de Dificuldades e Subtilezas do Idioma Português (1958), a respeito desse verbo:

«Em nosso idioma é mais frequente, sobretudo no Norte, o uso transitivo de jogar. E assim preferem alguns puristas. No Sul, em Lisboa, principalmente, fala-se: jogar à bola, jogar às cartas, às escondidas, etc. Não nos parece errónea esta construção. Aliás, em latim, ludere [«jogar»] pedia ablativo: ludere nucibus, ludere pila, etc. Camilo [Castelo Branco] usa, segundo apontámos, jogar transitivamente: jogava o quino [...], jogava-se o monte [...] jogar a bisca. Reflete-se [...] o emprego do Norte. Já Herculano escreve: Jogam à cabra-cega? [...], a agiotagem joga ao jogo dos trinta por cento [...].»

Carlos Rocha
Tema: Uso e norma Classe de Palavras: verbo
Áreas Linguísticas: Léxico; Sintaxe Campos Linguísticos: Expressões idiomáticas; Funções sintácticas