A relevância da pontuação - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
Este é um serviço gracioso e sem fins comerciais, de esclarecimento, informação e debate sobre a língua portuguesa, o idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Sem outros apoios senão a generosidade dos seus consulentes, ajude-nos a dar-lhe continuidade: Pela viabilização do Ciberdúvidas. Os nossos agradecimentos antecipados.
A relevância da pontuação

Gostaria de saber como pontuar frases do tipo: «Gosto de português/ não de matemática». Estou em dúvida se neste caso se aplica a regra pela qual utilizamos vírgula para marcar um termo elíptico (gosto) ficando a frase desta forma: «Gosto de português; não, de matemática». Ou se apenas é necessário o uso de uma vírgula separando as orações: «Gosto de português, não de matemática». Nesse segundo caso, se for correto, gostaria de saber a regra que se aplica. Outra dúvida é: se eu separar orações coordenadas com pontos, a união delas ainda continua sendo um período? Por exemplo: «Será uma vida nova. Começará hoje. Não haverá nada para trás.» Continua sendo um único período como em «Será uma vida nova, começará hoje, não haverá nada para trás.»?

Muito obrigado.

Erivaldo Nunes Engenheiro Recife, Brasil 766

Temos aqui várias dúvidas que trataremos por pontos:

1. A frase «Gosto de português, não de matemática» contém, de facto, a ideia do termo elítico, isto é, «Gosto de português, mas não gosto de matemática». Terá a vírgula a marcar a oposição das ideias contidas, como se vê no desdobramento com a introdução da adversativa mas.

2. No caso de «Gosto de português; não, de matemática» a ideia expressa é diferente, isto é, quando o emissor diz «não, de matemática» está a corrigir o que expressou na oração anterior, pois o advérbio de negação, não, antecedido e isolado por vírgula, contradiz o que anteriormente disse, que gostava de português. Afinal, o que gosta é de matemática. Assim, temos uma frase que expressa uma ideia contrária à do ponto 1.

3. «Será uma vida nova. Começará hoje. Não haverá nada para trás» tem três frases distintas, uma vez que temos ponto final no fim de cada oração. Estamos perante uma opção estilística, que se socorre de pausas acentuadas no fim de cada frase, marcando um ritmo lento.

Por outro lado, a frase «Será uma vida nova, começará hoje, não haverá nada para trás» é construída por orações coordenadas copulativas assindéticas, que transmitem uma ideia de enumeração exaustiva. É outra opção de construção estilística.

Maria Eugénia Alves
Áreas Linguísticas: Ortografia/Pontuação Campos Linguísticos: Pontuação